segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Governo acaba com 'Bolsa Empresário' e fica com dívida de R$ 214 bilhões


Indústria da CSN onde é feita a transformação de ferro líquido em aço líquido, em Volta Redonda (RJ)


Depois de despejar R$ 362 bilhões até 2014 em empréstimos subsidiados do BNDES para a compra de máquinas e equipamentos, o governo encerrou o PSI (Programa de Sustentação de Investimentos) no final do ano passado com uma conta para pagar de pelo menos R$ 214 bilhões.
A maior parte desse valor (R$ 184 bilhões) entrará na contabilidade da União como dívida pública.

O restante (R$ 30 bilhões) terá de ser coberto pelo Tesouro até 2041 para compensar a diferença entre os juros pagos pelo BNDES à União na captação dos recursos (mais elevados)  e as taxas cobradas dos tomadores dos empréstimos (abaixo da inflação).
Conhecido ironicamente como "Bolsa Empresário", o PSI não ofereceu à economia um estimulo à altura dos desembolsos realizados desde 2009, quando o programa foi criado para ajudar a tirar o País da crise global.
Os benefícios foram pontuais em alguns setores e maiores para grandes empresas, que normalmente tem acesso a outras fontes de financiamento.
Link: Mais Aqui
NÃO É PARA TODOS!!!
Lembrem-se das palavras de Levy por ocasião da proposta da CPMF: REPASSES!!  REPASSES! O mais escandaloso foram os US$ 109 BI lhões para a In Ambev comprar outra cervejaria
Você eleitor que reelegeu a Dilma, se seu patrão lhe demitir porque não consegue acesso a esse tipo de crédito lembre-se que seu desinteresse por política o levou ao voto no PT e a sua demissão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário