terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Hora de tomada de posição, é Intervenção que vai conter a bandidagem.

Eduardo cunha se viu traído pela operação de investigação policial da lava-jato, e sabe que a Presidente Dilma está envolvida pois tudo começou quando Dilma era presidente do conselho da Petrobras, mas por ela estar no cargo de Presidente da Republica as leis garantem que ela não pode ser investigada nem citada no desfecho da operação de investigação, por mais que já foram citado nas delações premiadas o nome da Presidente e de Lula. Segundo fontes do congresso, Eduardo cunha solicitou uma reunião com os comandos das forças Militares para pedir apoio em seu plano para conter a corrupção e dar uma resposta para sociedade, antes que o caos tome conta do país, em seu plano seria primeiro ele faria a solicitação de impeachment da presidente Dilma, para que ela seja enquadrada na operação Lava-Jato. Depois seria solicitada por ele uma Intervenção Militar, para que todos sem exceção sejam investigados e processados. E os militares ficariam no poder do País ate se organizarem novas eleições. Pois ele não se acha inocente, mas quer que todos sejam investigados.


Todos lembram das palavras do Comandante do Exercito Eduardo Villas Bôas, de que as Instituições estão em pleno funcionamento. Sim, elas existem e deviam funcionar, o que não aconteceu. Foi dada uma chance, foi dado um alerta. Não se importaram.

Num voto de confiança, apesar de suas posturas não agradáveis à maioria do povo decente, vamos acompanhar sua desenvoltura na questão. Se não for de agrado, que venha a quebra da hierarquia para que um General de verdade faça o que deve ser feito.


Se as Instituições não quiseram funcionar, que um parlamentar funcione, mesmo aceitando sua parcela de culpa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário