quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Os desfalques no FUSPOM e suas vitimas

Tal qual os criminosos que diariamente fazem da PM seu alvo preferido, sejam criminosos ou políticos criminosos, há também o criminoso gestor.
Eles sem nenhuma preocupação com o resultado, meteram a mão no dinheiro que deveria custear a Saúde PMERJ, dinheiro descontado no contra cheque de cada policial militar. Segundo a Legislação sobre o assunto, de cada centavo descontado do policial militar, o Estado deve entra com uma contrapartida de igual valor, mantendo saudáveis as finanças que custeiam a saúde dos policiais e suas famílias. Mas não é isso que acontece, o Estado há décadas não faz esse repasse, se apropriando de quantia que não lhe pertence para outros setores, ou seja, seus bolsos.

Em noticia recente, Jorge Picciane (PMDB) surge como suspeito nestes desvios, acusado após apresentação de áudio onde o nome do Presidente da ALERJ é citado.


Não só praças estão expostos a deficiência dos Hospitais PMERJ, os danos também atingem Oficiais Superiores, colegas dos gestores ladrões.
A Ten Cel Carla Andréia sofreu mutilação em seu braço quando em atendimento no HCPMERJ. Erro médico ou carência de recursos?
E vamos seguindo, com os PMs morrendo dia a dia, seja nas ruas, seja nos hospitais falidos (roubados) da PMERJ.

"Devo esta mutilação aos meus nobres companheiros que, mediante suas ações criminosas, sucatearam o HCPM"


Um comentário:

  1. Os maiores ratos estão nas PMs que roubam até eles mesmo. Roubam fora e roubam dentro

    ResponderExcluir