quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

As PMs e a sociedade agradecem a esquerda pelo “tiro que saiu pela culatra”


“Tiro que saiu pela culatra” significa: Quando algo deu errado, não ocorreu da forma que se esperava.  Culatra é a parte detrás da arma - portando o lado oposto ao cano, uma vez que o cano é a parte da frente da arma.
Se o tiro saiu pelo lado errado da arma, ele pode acertar quem puxou o gatilho, ao invés de acertar o alvo em que se mirou.
E foi assim que a esquerda tem conseguido arregimentar manifestações contra ela, ao proferir acusações infundadas e ameaças por diversas formas.

Foi assim com Stedile, com Lula, com o líder da CUT e com o professor demente da UFRJ, que foram alvos de criticas e se calaram.

Em sua ânsia em desmilitarizar as polícias, a esquerda com apoio da mídia usa de maquiagem e cenas montadas para colocar a população contra a sua polícia, mais um “tiro pela culatra”. Esquecem que existem pessoas com conhecimento para desmontar as farsas montadas e as redes sociais, antes tão utilizadas pela esquerda, são o instrumento da direita para colocar a verdade dos fatos.
                   O tiro saiu pela culatra causando bastante estrago no rosto do rapaz 

Insistindo nos seus propósitos, esta esquerda burra continuará a tomar na cara o resultado proveniente de seus “tiros” falhos.

Espero que surja uma esquerda sadia, para fazer frente a direita que surge das cinzas e se torna imbatível. Afinal, democracia sem oposição não é sadia.

Atitude nobre de PMs durante bloco de carnaval comove: 'Primeiro mundo'


Após o susto e a surpresa, Patrícia reencontrou os policiais para agradecer. "Nós estamos sempre de olho no que está alterado no dia a dia das pessoas", disse o oficial Noan Lopes.
Já para o PM Dirnei Carvalho Alves, apesar da ação 'normal', o reconhecimento foi motivo de felicidade para a equipe. "Ficamos sempre felizes, porque vemos que o cidadão ficou agradecido com o nosso trabalho. Trabalhamos para eles e nós temos que cuidar do cidadão de bem"


Para o PM Dirnei Carvalho Alves, a ação ‘normal’ foi motivo de felicidade. “Ficamos sempre felizes porque vemos que o cidadão ficou agradecido com o nosso trabalho, porque trabalhamos para eles. Nós temos que cuidar do cidadão de bem”, destacou.

Um comentário:

  1. OS POLICIAIS MILITARES DO RIO DE JANEIRO ARRISCAM A PRÓPRIA VIDA POR MUITO POUCO!

    A Polícia Militar precisa ser valorizada e fortalecida, pois POLICIAIS MILITARES DESMOTIVADOS significa SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA. Vale lembrar que o Rio de Janeiro sediará os Jogos Olímpicos de 2016, sendo o reconhecimento pecuniário indispensável, imprescindível para melhorar a qualidade do serviço policial-militar.

    Nas sociedades capitalistas é comum que o valor de um indivíduo seja aferido através do seu poder de compra, e isso tem muito a ver com seus rendimentos – a quantidade de dinheiro que ele consegue adquirir em determinado espaço de tempo. O salário do Policial Militar do Rio de Janeiro é incapaz de atender às suas necessidades vitais básicas (previstas no inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988).

    Não é à toa que, falando de valorização dos policiais brasileiros, sempre se remete à questão salarial como um problema sério, pois além de garantir elementos essenciais para a sobrevivência, “ganhar bem” concede ao profissional um posicionamento social de relevância. Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna.

    A PMERJ pode reclamar bastante dos seus vencimentos, pois são inadequados para as funções exercidas. Os baixos salários desmotivam a tropa e criam desinteresse pela profissão. Um Soldado de Polícia Militar em início de carreira deveria receber vencimentos iniciais de no mínimo R$ 3.518,51 (três mil, quinhentos e dezoito reais e cinquenta e um centavos) mensais, para uma jornada de trabalho de até 144 horas mensais. A questão salarial impacta diretamente na autoestima dos Policiais e na valorização das Polícias. O referido valor foi estimado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), trata-se do Salário Mínimo Necessário referente ao mês de Dezembro/2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Carta Magna.

    Os baixos salários fazem a PMERJ perder oficiais e praças. O idealismo vai esmorecendo, pois já não encontra-se mais comandantes com "C" maiúsculo, dignos de orgulho de seus comandados e os vencimentos não são suficientes para dar uma vida digna à família. A tropa da PMERJ está desmotivada, insatisfeita e tem VERGONHA DO SALÁRIO! Não há justificativa para os BAIXOS SALÁRIOS.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." O Policial Militar precisa ser valorizado como herói! Em contrapartida, a Polícia Militar deveria acabar definitivamente com a Promoção de Praças por Tempo de Serviço! As Promoções devem ser conquistadas mediante aprovação em concursos internos para o CFC, o CFS e o CAS, bem como a conclusão de um Curso de Ensino Superior. Os Policiais Militares que já concluíram o 3º Grau deveriam receber um acréscimo no salário, como é feito na Guarda Municipal do Rio de Janeiro. Quem se qualificou tem que ser premiado. É a única forma de incentivar o estudo, a qualificação.

    “POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA SÓ É FEITA COM POLICIAIS BEM PAGOS” foi o que disse o então candidato ao Governo do Rio, Sérgio Cabral Filho.

    “O GOVERNANTE QUE DIZ QUE O ESTADO DO RIO NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR MELHOR SEUS POLICIAIS ESTÁ MENTINDO!” (palavras de Sérgio Cabral em 2006)

    ResponderExcluir