quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Esquerda PERDE na VENEZUELA e parlamentares chavistas abandonam discussão.

Ontem, 17 de fevereiro, ocorreu a primeira discussão na Assembléia Nacional da Venezuela visando a aprovação da lei de anistia para os presos políticos encarcerados pelo governo de Nicolás Maduro. As discussões foram acirradas, contando inclusive com pronunciamentos do ex-líder da casa, o deputado Diosdado Cabelo.



Nos dias anteriores ao evento o governo tentou criar uma pressão popular rejeitando a ideia, publicou-se no site da rede de TV estatal uma enquete conclamando o povo a votar se desejava ou não a anistia, os votantes em favor da anistia somaram mais de 80% e MADURO mandou tirar a enquete do site e do twitter, apagando-a da linha do tempo. Mostrando que a esquerda venezuelana deve intensificar sua ação nas redes sociais a hashtag governista #AmnistiaEsImpunidad chegou ao topo do trends e assim permaneceu por todo o dia.
Mas, as pressões de MADURO não surtiram o efeito desejado e a lei foi aprovada na primeira discussão. A norma pode libertar 75 presos políticos presos, entre eles Leopoldo Lopes.
Diosdado cabelo, antes de abandonar o parlamento, muito nervoso, disse que a lei pode até ser aprovada, mas não será colocada em prática. “Não haverá liberdade para os assassinos”, disse.
Essa semana ainda a Assembléia deve discutir a devolução de várias empresas expropriadas pelo chavismo. Ao todo são 1.500 pequenas e médias empresas, a oposição pretende também realizar uma auditoria para apurar os danos causados pelos administradores do governo.
Causa estranheza aos parlamentares o fato de que das 1.500 empresas expropriadas, cerca de 300 são produtores de alimentos que atualmente não se encontra nas prateleiras dos supermercados.
Ha poucas semanas vários blocos carnavalescos colocaram Nicolás Maduro em destaque nos carros alegóricos. Veja algumas imagens, a mídia brasileira fez questão de omitir.



Nenhum comentário:

Postar um comentário