quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

LÍDER CRIMINOSO DO CRIMINOSO MST FAZ AMEAÇA DE PARAR PAÍS SE DILMA SOFRER IMPEACHMENT


Lá atrás, quando novelas da TV Globo romantizavam o MST, alguns já alertavam para os perigos que o movimento representava. Fui um deles, e dediquei um capítulo inteiro em Estrela Cadente, de 2005, para mostrar que o MST não tinha nada de “movimento social” legítimo, e sim que era um braço armado do PT no campo. A posição dos assentamentos sempre foi estratégica: o foco era claramente a proximidade com estradas importantes, para poder eventualmente inviabilizar o escoamento de produtos e o trânsito de pessoas pelo Brasil.

Pois bem: os bananas de sempre falavam que era paranoia, que os liberais e conservadores enxergavam comunista em todo lugar, que a Guerra Fria já tinha acabado. Só faltou avisar aos próprios esquerdistas brasileiros! O MST, uma espécie de embrião das FARB, como a Colômbia tem as FARC, nunca deixou de ser apenas isso: um instrumento ilegal da esquerda radical para ameaçar nossas instituições democráticas. Vejam o que confessa João Pedro Stédile, líder do MST que já estaria preso em qualquer país sério do mundo:
A menção da localização estratégica dos “assentamentos” não deixa margem a dúvidas, mesmo em eternos românticos: o MST tem objetivo político-ideológico, e usa a “reforma agrária” somente como pretexto. Sua meta mesmo é uma revolução marxista, é transformar o Brasil numa espécie de Zimbábue, só que dominado pela elite branca dos vermelhos. Stédile não é povo, não representa povo, não fala em novo do povo. Ele tem apenas um “exército paralelo”, como disse o próprio ex-presidente Lula, e está disposto a usar essa legião de “soldados” do crime para afrontar nossas leis, nossa Constituição, nossa democracia.
Link: Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário