quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

TODO SILÊNCIO TEM UM PREÇO!

TODO SILÊNCIO TEM UM PREÇO!
ELES COMEM NAS MINHAS MÃOS!
COMO ASSIM?


General Enzo é suspeito de estar envolvido em corrupção e desvio de recursos
Segundo a investigação do Ministério Público, são 25 oficiais envolvidos no caso.
Segundo a investigação do Ministério Público, são 25 oficiais envolvidos no caso, entre eles estão sete generais. As suspeitas são de que os oficiais integram um esquema que fraudou licitações, superfaturou contratos, fez pagamentos em duplicidade e pode ter desviado dos cofres públicos ao menos 15 milhões de reais entre 2003 e 2009.
O desdobramento jurídico do escândalo é abafado e protelado há anos. Até o governo petista teme o estouro de uma “crise militar” capaz de afetar a estabilidade da gestão Dilma Rousseff.
Pela interpretação até agora em vigor, eles só podem ser julgados pelo Superior Tribunal Militar (STM), onde até agora um único general foi condenado, e posteriormente absolvido no Supremo Tribunal Federal (STF). Mas o Ministério público militar defende tese diferente: “Se um general comete um crime militar, é processado e julgado pelo STM. Se o crime é comum, o processo corre na Justiça Federal”.
Tudo sobre o assunto: epochtimes

MPF divulga nota sobre decisão de desarquivar investigação da compra de caças Gripen.


Já arquivado, o inquérito civil retornou à PR/DF em janeiro de 2016, quando já eram conhecidas algumas informações referentes aos indícios encontrados pelos investigadores que atuam na Operação Zelotes. Uma das descobertas foi a de que o investigado Mauro Marcondes atuou como lobista da empresa SAAB junto ao governo brasileiro. A suspeita é que a atuação possa ter envolvido a corrupção de agentes e ex-agentes públicos federais.
Mais sobre o assunto: aéreo

Sob as asas dos pais

Filhos de brigadeiros são contratados para trabalhar em empresa que mantém negócios milionários com a Força Aérea Brasileira.


Nos últimos meses, a empresa israelense AEL Sistemas, fabricante de componentes aeronáuticos, passou a contar, em seu quadro de funcionários, com oficiais da ativa e filhos de integrantes da alta cúpula da Força Aérea Brasileira. 

Detalhe: a AEL mantém negócios milionários com a Aeronáutica, que dispensou a licitação para a contratação de seus serviços.

Jovens recém-formados e sem experiência na área passaram a ocupar cargos estratégicos na companhia israelense. O brigadeiro Gilberto Antonio Saboya Burnier, braço direito de Juniti Saito, ex comandante da Aeronáutica, no mesmo mês em que passou para a reserva, seu filho, que tem o mesmo nome e é apelidado de “Gilbertinho”, foi contratado pela AEL como “analista de compras” da empresa.
As denúncias confirmam reportagem publicada por ISTOÉ, que revelou os benefícios obtidos pela AEL em contratos sem licitação com a FAB. Isso aconteceu, segundo relatório de inteligência da Polícia Federal, depois que a companhia admitiu entre seus diretores um cunhado do comandante Juniti Saito, o coronel reformado Luiz Pondé. 
Mais em isto é

MPF apura denúncia que ligaria militar à compra irregular de submarinos.

Luxo e viagem dão indício de improbidade. Marinha não explica.

As viagens para o exterior feitas pelo comandante da Marinha, ‘em tese, desnecessárias e em número excessivo’ —, também serão apuradas. Só em 2012 foram 64 dias fora do país.
Mais em Militar

O QUE????

Imóvel de comandante da Marinha facilita naturalização de jordaniano

 O endereço nobre do apartamento comprado pelo comandante da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, na Avenida Atlântica, no Leme, foi crucial para que um jordaniano conseguisse naturalizar-se brasileiro. 


Então? Como depositar nossa confiança nestes “melancias”? Foram nomeados pelo partido no poder, o mesmo que esfacela o País financeiramente e mata a população pela falta de saúde, segurança e educação.

São tão imundos quanto a totalidade do PT e assemelhados, parte do conseguido nas falcatruas que estão envolvidos, alimentaram a quadrilha no seu anseio de propriedade do Brasil.


Militares da reserva criticaram o vídeo com depoimentos de comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, dando as boas-vindas ao novo ministro.

"Em nome do Exército, e como seu amigo, ministro Aldo, venho saudar e dar as boas-vindas. Não haveria escolha melhor, de alguém tão comprometido e com identificação com a causa da defesa, dos valores próprios dos militares e com a consciência da importância da estrutura defesa para nosso país. Somos amigos", afirmou o comandante do Exército, o general Eduardo Villas Bôas.
Mais em jornalggn


Até o momento nenhuma investigação sobre os atuais comandantes, mas, em breve mais uma leva de denuncias vão surgir. Afinal, equipar as Forças Armadas dispensa custos vultosos e de desconhecimento do real valor de cada item adquirido. Questão de tempo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário