sexta-feira, 11 de março de 2016

Eu não queria pensar assim, mas como está escancarado, seria Bolsonaro o “plano B”?


Temos ainda uma tênue linha democrática ainda atuante, é a Justiça encabeçada pelo Juiz Federal Sergio Moro, a única que ainda se mantem de pé apesar dos ataques da esquerda.

Neste rumo, com a tênue linha democrática em funcionamento, poderíamos pensar num impeachment da presidente e de outros que a sucedessem, se isso fosse possível com a “oposição” apresentada. Não, não é, a “oposição” já se mostrou clara quanto a seu intento, manter do jeito que está, pois, em se concretizando uma iniciativa deles, muita merda vai se espalhar.
Atá, temos uma possibilidade com Bolsonaro presidente, já que ele trocou de partido e já é considerado pré candidato. Legal! Vencemos então.
Sei não.................


Surpreendentemente, os principais líderes da oposição no Brasil decidiram não referendar o pedido do promotor Cassio Conserino para que Lula seja preso. Nos bastidores, articuladores afirmam que um pedido de prisão preventiva de Lula sem “bases sólidas” seria, nesse momento, um desserviço


Fim do impeachment! Não existe oposição.

Como Bolsonaro espera superar as urnas manipuláveis? Assim como elas deram vitória a Dilma com auxilio de Dias Toffoli, pode eleger qualquer PTista em prejuízo da candidatura de Bolsonaro.



Dilma não pode se reeleger, Lula levantaria muitas suspeitas, além do que, deve ser condenado e preso. Outras figuras principais do PT nem pensar. Então, há de se ter um "plano B" para as urnas fraudáveis.

No Jornal EXTRA de ontem (dia 10), os testes realizados nas urnas apontaram que há risco de vulnerabilidade.

Apenas um dos 35 partidos políticos, o PDT, compareceu ao teste do TSE.

Poxa! Eles na propaganda televisiva informavam ser um teste público, mas não foi. 


PSC anunciou nessa terça-feira a filiação do deputado Jair Bolsonaro (RJ), que deixa o PP. Bolsonaro é o primeiro deputado fluminense a formalizar a troca de partido.


Bolsonaro foi apresentado como pré-candidato à Presidência da República em 2018.


Nem o PSC, um partido interessado compareceu? Estranho, muito estranho.

"Especialistas" do desgoverno, em teste fechado, mas que eles apelidaram de público, com as urnas já fraudadas anteriormente e que deram várias eleições aos ladrões do Brasil.

Bolsonaro eleito satisfaria a todos, a direita que é a maioria e, principalmente a esquerda, que sairia do pleito com a certeza que pode continuar a enganar o povo por mais 4 anos. Seria Bolsonaro o “plano B”?

Se não for Intervenção depois Bolsonaro Presidente, estarei certo disso. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário