quarta-feira, 2 de março de 2016

SubTenente do EXÉRCITO aparece como comprador de brinquedos para NETOS de LULA

Não poderia ser pior. Um militar do EXÉRCITO na ATIVA foi o comprador de pedalinhos do sítio de LULA que não é de LULA.


O material foi comprado por telefone.  Um dia após a emissão da nota fiscal o militar esteve no sítio,  em 19 de dezembro de 2013. Moura Pinto permaneceu no local até o dia 22 do mesmo mês. O SubTenente até agora nada declarou sobre a aquisição do material. Obviamente apenas cumpriu ordens superiores.

Um subtenente do Exército normalmente têm salário na faixa de 5.5 mil reais.
Sem as reposições inflacionárias devidas ao longo dos últimos anos, o que causou perda enorme de poder aquisitivo, grande parte dos militares nessa graduação têm dividas pesadas com empréstimos consignados.
Lotado na PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, com cargo DAS 102.5 – DIREÇÃO E ASSESSORAMENTO SUPERIOR, no setor de apoio a ex-presidentes, um suboficial recebe algo em torno de 12 mil reais mensais, um acréscimo substancial. Em uma função desse tipo o graduado, se estiver servindo a governantes “complicados”, pode ser submetido a situações esdrúxulas e nada relacionadas com a atividade militar, como comprar brinquedos para crianças.
O militar em questão apenas cumpre o que prescreve a lei LEI Nº 7.474, DE 8 DE MAIO DE 1986.
Art. 1º O Presidente da República, terminado o seu mandato, tem direito a utilizar os serviços de quatro servidores, para segurança e apoio pessoal, bem como a dois veículos oficiais com motoristas, custeadas as despesas com dotações próprias da Presidência da República. § 2o  Além dos servidores de que trata o caput, os ex-Presidentes da República poderão contar, ainda, com o assessoramento de dois servidores ocupantes de cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores – DAS, de nível 5. 
Caberia à sociedade exigir a modificação dessa norma, extinguindo ou diminuindo o número de servidores e veículos a que tem direto um ex-presidente. Atualmente LULA pode usar 6 servidores federais para apoiá-lo.
A norma diz que os funcionários oferecerão SEGURANÇA e APOIO. Até onde vai esse apoio fica para a imaginação de cada um. Não se discute aqui a atitude do Subtenente, que como foi dito acima, apenas cumpre ordens. O que se busca no texto nos diversos meios que publicaram notas sobre isso é chamar a atenção para o fato de LULA adquirir bens para um sitio que continua alegando não lhe pertencer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário