terça-feira, 26 de abril de 2016

Não se trata de defesa de Bolsonaro, se trata de equidade.

Falar de militar não pode? Mas mandar bilhões a ditadores Cubanos e Venezuelanos, pode?



A polêmica em torno da declaração do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ)está tomando proporções inimagináveis, em face do entreguismo/comunismo de boa parte da velha mídia.
Reveja o que Bolsonaro disse, durante seu voto a favor do Impeachment:


Até a OAB/RJ entrou na canoa comunista de pedir a cassação do deputado por lembrar do Coronel que era visto como o 'o terror de Dilma Rousseff e dos guerrilheiros comunas'.

Pois bem.

Ninguém aqui está defendendo o caricato e polêmico Bolsonaro, ele tem seus motivos para exaltar o Coronel, assim como os comunas tem seus motivos para fazer 'mimimi e polemizar' sobre o assunto.
Além do que, o deputado, não apenas lembrou do militar, mas exaltou o exército, as forças armadas, a família, criticou o Foro de São Paulo, o Comunismo e elogiou o bagrão Cunha, que naquele momento, cumpriu seu papel como presidente do legislativo federal. E é isso que doeu mais nos comunas, parece.

O FATO É QUE... para os comunas declarados e para os enrustidos, lembrar de militar, seja qual for, falar de Foro de São Paulo, de Comunismo, criticar o desgoverno ladrão, não pode.
Mas, roubar a Petrobras, desviar dinheiro do BNDES para enviar a ditadores em Cuba e na Venezuela, na África e, por tabela, até financiar o terrorismo, pode?

Apesar de ser visto como radical por alguns e ser criticado até pelo tosco do FHC, aquele que disse antes que Dilma é uma mulher honrada, Bolsonaro, exceto pela parte do Coronel, que poderia ter evitado, não falou mais do que a verdade para aquele momento.
O povo fala isso nas ruas e nas redes sociais: Fora Dilma, Lula, PT, Foro de São Paulo, Comunismo e por aí vai.
Se Bolsonaro está errado ou não, isso depende do ponto de vista de cada um que analisa a coisa, o fato é que não se pode permitir mais que a ditadura comunista da corrupção e os militontos patrulheiros do crime organizado vermelho que está no poder, invertam os valores e transformem simples opiniões em crime ou coisa que o valha.

Chega desse golpismo diário de inversão de valores. A maioria manda. Nossa bandeira jamais será vermelha. Ponto.

Além de tudo isso, é bom lembrar (ESTÁ TUDO NA INTERNET, NAS GRAVAÇÕES DOS GRAMPOS DA PF) que Lula chamou delegados da PF de filhos da puta, disse que a a OAB era filha da puta, disse que Janot tinha tomado no cu se não fosse a ajuda dele, disse que o STF está acovardado, que o presidente da câmara e do senado estão fodidos, que era pra enfiarem o processo todo no cu e, tempos atrás, disse que o povo cubano é mais digno que o brasileiro, entre outras aberrações, como a declaração preconceituosa de que 'gente branca dos olhos azuis tinha gerado a crise, que não sei quem tinha o grelo duro, enfim... Lula disse um monte de coisas absurdas, fez coisas absurdas, e o militontos, os comunopatas não se escandalizaram com nada disso. Desta forma, que se lasquem eles.
Não apoiamos extremismo algum. Até criticamos muitas das declarações do Bolsonaro.
Somos realistas.


E observando bem, perto das declarações e atos de Lula e Dilma, bem como dos demais comunas, a declaração de Bolsonaro, por mais infeliz que seja sobre Coronel, é brincadeira de criança diante das barbaridades dos petistas bolivarianos. Não é?
LEIA O LIVRO: A VERDADE SUFOCADA/LINK  para entender um pouco mais do 'mimimi comuna'.

REVEJA, TAMBÉM

Enquanto os brasileiros trabalhavam feito bois, mandavam R$ 200 bilhões a ditadores


Tuma Júnior diz que ministro admite assassinato de prefeito e que Lula era 'dedo duro' da ditadura


Nenhum comentário:

Postar um comentário