quinta-feira, 9 de junho de 2016

A diferença entre a qualidade e a quantidade


Nos casos no mundo em que o povo se insurgiu contra ditaduras é clara diferença entre a qualidade e a quantidade dos manifestantes. A qualidade se manifesta aos primeiros sinais de que a Nação está em perigo e que as futuras gerações irão sofrer as consequências, depois vem a quantidade. A quantidade é aquela que só se preocupa com seu umbigo, que só vai se preocupar quando as benesses que os sustentavam se acabarem, não estão nem um pouco preocupados com o futuro, querem o peixe, não querem pescar. Então só a barriga vazia os fará demover da inércia para ações.
É assim que vejo, é assim que aconteceu recentemente na Venezuela, é assim que acontecerá aqui.


“É intolerável que haja três milhões de venezuelanos a comer menos de duas vezes por dia. Não podemos aceitar que metade dos nossos cidadãos não comam lacticínios, nem carne, nem ovos”

Protestos em massa ocorreram em várias áreas de Caracas, na Venezuela, por causa de falta de comida, de bens e serviços. Nos confrontos, o Exército usou gás lacrimogêneo. Depois, os protestos se deslocaram para outros bairros de Caracas, chegando também ao centro da cidade, onde as pessoas encheram a Avenida das Forças Armadas, entrando em confronto com os militares.



Estamos há anos nos manifestando por uma Intervenção, pela destituição de todos para, num breve intervalo, reorganizar o País e convocar novas eleições com pessoas ilibadas, pois pessoas de caráter e competência, atualmente não querem concorrer a cargos eletivos para não serem igualados ao que hoje se denomina os políticos, a ladrões.


Somos poucos, eu sei. Mas poucos com qualidade, é o que sempre digo. E a qualidade está a nos procurar para ombrear, ontem um jovem professor de história a nós se juntou, pois sabedor da verdade não se envergou a mentira que foi ensinada a outros jovens. Em nossa qualidade, já são dois professores preocupados com as gerações vindouras.


Nossas ações tem o resultado esperado, ontem foram cerca de 2.500 impressos informativos, impressos que, os que o receberam, com interesse, saberão do que falamos e, com um pouco de raciocínio, se convencerão de que temos razão. Além do que, por ser em área militar, eles também foram nosso alvo, o burburinho na caserna é inevitável, como também os relatórios que percorrerão todas as esferas de comando até Brasília. Quem é ou foi militar sabe do que estou falando.


A aprovação vem das palavras de aprovação e das buzinas dos passantes, dos que não resistem, mesmo no frio ou na chuva, de abrir os vidros do carro para, no engarrafamento do transito, receber espontaneamente nosso material.



Então, mais uma “Operação Visibilidade” foi realizada, ainda aguardamos a quantidade, que na hora em que a barriga estiver vazia, como no caso da Venezuela, irá se juntar a nós.

2 comentários:

  1. Parabens por essa luta pena que ainda não acordou se acomodaram gostam de sofrer na mãos destes comunista ladrões corruptos até quando não sabemos mais espero que logo acondem a cada dia fica pior.

    ResponderExcluir
  2. Tem Meu apoio, Como Faço Pra Trazer Pra Minha Cidade, Me Procurem no Face e me informem, Hurra!!!!

    ResponderExcluir