sexta-feira, 3 de junho de 2016

Reuniãozinha do governo Temer com o MST

Em reunião com o MST e FNL, governo promete comprar imóveis pra 'criar assentamentos'


Vai dizer o que disso?
(Detalhe na foto: José Rainha, do FNL, braço radical do MST, condenado a 31 anos de prisão, sentado à mesa com o Presidente da República Interino).


O Brasil precisa de homens e mulheres de verdade no poder, com coragem, amor à Pátria, pulso firme e não vassalos de partidos, de ideologias ultrapassadas e de 'jeitinhos de levar as coisas' fazendo 'acordos' descarados e ocultos com os traidores da nação. Gostem ou não, a verdade é que, desse jeito, o Brasil está (perdoem a expressão) fodido. Ou se tem esquerdopata no poder ou vassalo rabo preso de esquerdopata. Pqp!

R$ 3,5 BILHÕES PARA A 'CONVERSINHA DE REFORMA AGRÁRIA'



Dos R$ 3,6 bilhões previstos no orçamento do Incra, a maior parte, R$ 1,6 bilhão ou 42,5%, é destinada para o programa “Reforma agrária e Ordenamento da Estrutura fundiária”.
Ele inclui as áreas de concessão de crédito individual as famílias assentadas, que vai receber R$ 946 milhões. Esses créditos se destinam, por exemplo, para a recuperação de unidades habitacionais.

Também serão destinados R$ 425 milhões para a compra de imóveis rurais para a criação de assentamentos da reforma agrária.
Estão previstos ainda recursos neste programa para o desenvolvimento de assentamentos rurais (R$ 167 milhões), e de promoção da educação no campo, (R$ 27 milhões), entre outros.

No MST crianças são doutrinadas a “louvarem” a revolução cubana.



O Incra, no ano passado, assentou 2.669 famílias em um total de 81 projetos de reforma agrária no país.
Os recursos orçamentários do Incra foram destinados ainda para outras sete áreas, entre elas para o programa de gestão e manutenção da extinta pasta de Desenvolvimento agrário (R$ 707 milhões), agora substituído pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Também foram alocados recursos, por exemplo, para “Operações especiais: cumprimento de sentenças judiciais (R$ 675 milhões)”.
Se forem incluídos no orçamento os recursos sob a supervisão do Incra e o de supervisão do Fundo de Terras e Reforma Agrária/Banco da Terra, o orçamento total da autarquia chega a R$ 5,8 bilhões. Os recursos do Banco da Terra são destinados para o financiamento a trabalhadores rurais sem terra, arrendatários, meeiros e pequenos agricultores.
O objetivo o programa também é a implantação de infraestrutura nas terras compradas por este grupo. Outras cinco secretarias ligadas ao ministério do Desenvolvimento Social e Agrário também foram transferidas para a casa Civil – Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário; de Reordenamento Agrário; da Agricultura Familiar; de Desenvolvimento Territorial; além da Secretaria Extraordinária de Regularização Fundiária na Amazônia Legal.
Procurados, a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) não responderam às ligações. ***(Com informações doContas Abertas)
===


Um comentário:

  1. Estamos realmente "fudidos",sem ter para onde correr.....

    ResponderExcluir