quarta-feira, 20 de julho de 2016

A maracutaia de Sérgio Cabral na linha 4 do metrô.


O Ministério Público Estadual está investigando os gastos do Governo do Estado com a linha 4 do metrô. Segundo o Tribunal de Contas do Estado, Sérgio Cabral não poderia ter usado contratos de 1987 e 1998 para a linha 4 do metrô. Os projetos da época de Moreira Franco (o dinheiro ainda era o cruzado) e Marcello Alencar previam outros trajetos do metrô, de Botafogo à Barra, e não como é hoje, de Ipanema para a Barra. Segundo delações premiadas, Cabral teria recebido propinas de pelo menos R$ 2,5 milhões pela obra. O custo que inicialmente foi previsto em R$ 5,4 bilhões já atingiu R$ 10,4 bilhões, o dobro. Mas o pior é a justificativa do governo estadual. O secretário de Transportes, Rodrigo Vieira, que nunca trabalhou no ramo, mas foi nomeado para o cargo por ser amigo de Marco Antônio Cabral, filho do ex-governador, alega que se fosse feita nova licitação não haveria tempo de concluir as obras para a Olimpíada. Pura lorota. As obras da linha 4 começaram em março de 2010, há mais de 6 anos. Se investigarem a fundo vão ver além de um monte de irregularidades e fraudes, uma roubalheira milionária.

Por Edival Anchieta

Nenhum comentário:

Postar um comentário