terça-feira, 13 de setembro de 2016

Dívida com fábrica ameaça deixar VLT sem manutenção

Fornecedora dos trens cobra de concessionária atrasados que chegam a quase R$ 100 milhões



O sinal amarelo acendeu nos trilhos do VLT. Na próxima sexta-feira, vence o prazo de 30 dias que a concessionária VLT-Rio tem para pagar à empresa francesa Alstom, fabricante dos bondes, as parcelas atrasadas referentes à compra de composições e à manutenção delas.


Procurada, a concessionária não quis se manifestar sobre o assunto, alegando que não trata publicamente sobre questões comerciais. Em nota, a Asltom confirmou que notificou a concessionária sobre a dívida, sem entrar em detalhes.


O GLOBO confirmou com fontes que o débito estaria em quase R$ 100 milhões. A fabricante forneceu 32 composições à VLT-Rio. A existência da dívida foi revelada pelo jornalista Ancelmo Gois, em sua coluna no GLOBO.

A prefeitura, que escolheu a concessionária, preferiu não se manifestar sobre o risco de o sistema ficar sem manutenção, alegando que o serviço está operando normalmente.


O secretário de Concessões e Parcerias Público-Privadas, Jorge Arraes, disse que o município está em dia com o repasse para a concessionária das verbas relativas à contrapartida para as obras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário