quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Olhei com o melhor de meus olhos, o País precisa acreditar nisso!


Olhei com o melhor de meus olhos, fixei atentamente em tudo que ocorria. Sim, sou um Intervencionista, mas estou ciente de que uma Intervenção não pode acontecer como em 64. Estamos num mundo globalizado, vimos ações intervencionistas fracassadas em outros países, muitos morreram, muitos desaparecidos. Vimos também outras bem sucedidas, mas com o povo organizado em torno do que queria, aqui não é assim. A esquerda nunca deixou de doutrinar, nem mesmo nos anos em que os militares estiveram no poder, ela agiu sorrateiramente. Depois da abertura democrática a esquerda escancarou, fabricou militantes fanáticos, deu-lhes benefícios, os comprou como comprou parlamentares e juízes. Criticamos os militares, ofendemos de diversas maneiras os Comandantes, eu inclusive também o fiz, mesmo que não citando seus nomes, foi bem disfarçado, mas entenderam.


Hoje nem a presença de Caetano Veloso e Lula junto a outros ladrões FDP no STF me desiludiu, eles foram e se sentiram ridicularizados, há instituições funcionando, e as outras vão sim se enquadrar neste funcionamento. A arma contra a esquerda é a que está sendo usada, com os rastros que deixaram. Esta Intervenção, no mundo globalizado, há de ser aceita e respeitada com louvor. Por fim, agradeço a Deus e a todos que participaram, participam e participarão, sentindo orgulho por seus feitos.

Hoje pela manhã estava curiosa para saber o porquê de determinadas presenças na posse da presidente do STF. E, mais ainda, o porquê do convite ao Caetano Veloso para cantar o Hino Nacional na cerimônia.
Depois que ouvi, atentamente, os discursos do Ministro Celso de Melo, do Presidente da OAB, do Janot, entendi tudo. Os discursos deles foram pesados, fortes, diretos; falaram claramente sobre a corrupção que impera no País, que a Lava Jato veio para consertar isso, que não pode continuar assim, que ninguém está acima da Lei, seja ele ocupante ou não de cargo público, e por ai a fora.


Creio que o convite foi para dar o recado em mãos; o constrangimento nas caras de Pimentel. Lula, Sarney, Renan e outros mostrava isso muito bem. E quanto ao Caetano, depois que eu o vi se curvar frente às Autoridades Constituídas, vestir terno e cantar o Hino de frente para Michel Temer, entendi tudo; o recado era para a classe artística toda. Coisa do tipo podem falar a vontade, mas com classe e educação; respeito é bom e eu gosto. Caetano representava a classe artística que transformou os shows em manifestações políticas; ele disse no seu ultimo show que achava que começar um show com “Fora Temer” era “manero”, bárbaro”. Ele não podia recusar (e nem queria) e teve que se agachar frente à Constituição, às Leis, à casa maior da Nação. Teria sido melhor se tivesse sido o Chico Buarque a estar lá; mas, acho que ele não foi convidado porque sua voz é bem pequena e não atinge os agudos que o Hino exige. Enfim, a turma foi convidada para se ajoelhar frente ao Tribunal máximo da Nação. Espero sinceramente que os cinco Ministros que a Dilma diz ter em mãos, escorreguem pelos seus dedos como quiabo...O País precisa acreditar nisso!
Maria Helena Michel


Sobre os esquerdistas que querem descredibilizar o MPF alegando que eles não têm "provas" contra o lula, segue abaixo um recado...


Deltan Dallagnol passou no concurso de procurador do MPF aos 23 anos de idade, tem doutorado em Harvard, é especialista em crimes conta o sistema financeiro e lavagem de dinheiro.


O palpiteiro de internet é incapaz de resolver problemas matemáticos elementares, mas não conhece os rudimentos do conhecimento científico, não sabe história, tem dificuldades para escrever e desenvolver raciocínios simples.

“Provem que sou culpado e vou a pé a delegacia”, diz Lula após denúncia.

Lula pede que seus acusadores peçam desculpas a ele e à sua família e reafirma sua inocência, comprovada, segundo ele, pela falta de provas das investigações.

Mas quem manja mesmo da Operação Lava-Jato? O analfabeto e politizado palpiteiro de internet?


2 comentários: