sábado, 5 de novembro de 2016

Isso mais parece um pacto demoníaco


Temer se mostra ridículo e omisso na Presidência. Tem ele motivos mais do que suficientes para decretar a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro e não decreta. Desordem nas finanças de um Estado (nem chega a ser preciso a situação de falência, como acontece no RJ) e desrespeito aos direitos da pessoa humana são duas das muitas outras razões que a Constituição Federal prevê para que seja decretada a intervenção.

Parece um plano previamente elaborado onde, com data para pagamento de 50% do 13º, o governo cancela e diz não ter dinheiro para fazer o cumprir sua obrigação. Ora, é claro que muitos confiando no calendário fizeram gastos com o cartão de credito, confiando neste dinheiro que não saiu. Depois começa a atrasar o pagamento e, novamente os funcionários recorrem aos créditos bancários para conseguirem “sobreviver”.


O BRADESCO embora não esteja recebendo os repasses das parcelas dos consignados descontadas nos contra cheques dos servidores, se saboreia com os atrasos no pagamento, já que impossibilitados de cumprir com os compromissos financeiros, ficam os funcionários atrelados aos juros exorbitantes dos serviços de credito bancários da instituição. O que resta do pagamento o BRADESCO vai absorver aos poucos até nada restar a não ser mais dividas.


Em 2011, com o poder agregador dos BMs do Rio de Janeiro, tivemos uma ótima oportunidade de afastar o perigo que hoje nos atinge, um “Fora Cabral” que não aconteceu não se sabe porque (Fora Cabral ) (rvchudo). Depois com a invasão do QG CBMERJ (rvchudo ) e ameaça de uma possível greve, centenas de bombeiros e policiais foram recolhidos a presidio de segurança máxima em afronta à legislação. Sergio Cabral continuou seu governo e deu hoje no que deu.



A bomba vai estourar, o Estado falido de mentiras, e vai estourar no colo de quem sempre teve condições de afastar o PMDB mas não o fez. Temos mais uma chance e é nesta terça feira dia 8 de novembro, uma manifestação às 10 horas na ALERJ. A quantidade de presentes e que vai demonstrar insatisfação, do contrário seremos só mais um grupo desmerecedor de atenção, incentivando os deputados (Picciani) a votar sem restrição no famigerado “pacote de maldades” do moribundo Pezão.


Faz algum tempo que não vou às ruas, mas é imprescindível minha presença, a minha e a de todos afetados neste pacto ilegal resultante da irresponsabilidade criminosa de uma sequencia de governos e legisladores. De volta à ALERJ que por muito tempo deixou governantes a vontade para fazer o quer bem entendessem!


Nenhum comentário:

Postar um comentário