sábado, 31 de dezembro de 2016

A LIÇÃO DA HISTÓRIA


Lembro de um artigo que li num jornal nos dias que antecederam 1964 que dizia mais ou menos assim: “Enquanto o comunismo e o caos ameaçam a Nação, os milicos passam o dia jogando futebol de salão nos quartéis”. É evidente que isso não era verdade, tratava-se de mais uma provocação como outras. Tínhamos, como sempre tivemos, o nosso horário de treinamento físico quando praticávamos variados esportes, inclusive o que foi aludido na reportagem.
De outra feita, lembro também, em meio à balbúrdia, uma manchete bastante agressiva de um periódico que interrogava: “Afinal, para que temos Forças Armadas”?
Pois é, esses dois exemplos deixo àqueles que viveram menos de cinquenta anos.
As Forças Armadas não são intervencionistas, nem golpistas. Nunca foram. São democratas, legalistas por formação e convicção. O que vi e vivi, naquela época, foram praticamente todas as forças vivas da Nação, Povo, Mídia, Igreja, na iminência da derrocada geral, apelando quase em desespero ao seu último baluarte.
O Brasil de hoje, perdido, parece já não saber voltar. O exemplo de ontem precisa permanecer vivo na nossa memória. Só não vemos que, na sua grande maioria, nossos dirigentes e políticos estejam à altura do grave momento que enfrentamos.


Gen Gilberto Pimentel
Presidente do Clube Militar

2 comentários:

  1. Que saudade daquela época!!! Mas eu acredito nas FORÇAS ARMADAS... Chegarão de surpresa. Eles trarão o nosso BRASIL DE VOLTA!!! PÁTRIA AMADA BRASIL!!!

    ResponderExcluir
  2. COMECEI TRABALHAR PARA ME MANTER AOS 15 ANOS, QUANDO ACABOU O GOVERNO MILITAR EU TINHA 27 ANOS, SOBREVIVI O GOVERNO SARNEY PORQUE ERA SERVIDOR PÚBLICO, DE 1985 ATÉ O PRESENTE MOMENTO SÓ ENTRAR PARA GOVERNAR ESSE PAÍS APROVEITADORES, PELO AMOR DE DEUS, INTERVENÇÃO MILITAR URGENTE.

    ResponderExcluir