terça-feira, 27 de dezembro de 2016

EXÉRCITO CONFERE PROTEÇÃO E HONRARIA AO JUIZ SÉRGIO MORO APÓS ATAQUE DE GILMAR MENDES


O Exército Brasileiro conferiu total apoio ao juiz Sérgio Moro que conduz a Lava Jato na Justiça Federal no Paraná. Como forma de reconhecimento o magistrado recebeu a condecoração foi em cerimônia oficial, no quartel-general do Exército, em Brasília, pelo comandante da Força, Eduardo Villas Bôas, e pelo ministro da Defesa, Raul Jugmann.
A honraria foi criada em 1953, “como evocação às homenagens prestadas a Luiz Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias”, que é patrono do Exército Brasileiro.
A medalha foi entregue a Moro na semana em que o ministro do Supremo Gilmar Mendes chamou de “cretino absoluto” quem defende o uso de provas ilícitas em investigações, desde que elas tenham sido colhidas de boa fé.
Moro também foi questionado no Supremo por ter divulgado gravações de conversas telefônicas que envolviam a presidente afastada Dilma Rousseff. Pelo fato de a petista ter foro privilegiado, Moro, que é juiz de primeira instância, não poderia ter gravado a presidente. Ele argumentou, entretanto, que o objeto da gravação não era Dilma, mas seus interlocutores e, por isso, as provas não deveriam ser descartadas.
Para Gilmar Mendes, a Lava Jato comete excessos e é preciso por um freio. Essa última crítica foi motivada pela suspeita de que investigadores vêm vazando documentos para a imprensa com a intenção de causar danos políticos e de confrontar posições tomadas por ministros do Supremo.
Na cerimônia de condecoração, Moro foi perguntado sobre a fala de Mendes. “Não creio que tenha sido alvo de ataques dessa forma. Mas não tenho comentários sobe isso”, respondeu enquanto, segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, tirava retratos com dezenas de “fãs” civis e militares presentes na cerimônia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário