quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Somos animais políticos!


A política é uma ciência das mais antigas, desde a era primitiva já era exercida mesmo que inconscientemente. Quando nos estabelecemos, deixando de ser nômades em busca de alimento e passamos a produzi-los, a político começou a se formar como razão de ser de um grupo.

Dos grupos as cidades se formaram e com elas foi necessário um governo, mas foi na Grécia que a palavra como a conhecemos hoje começou a se formar com as “polis”, as cidades estados. A política era a preocupação em governar bem a polis, eclodiu dos ideais de homens e sociedades pensadas pelos filósofos.

Com o tempo a “politica” foi se transformando até chegar a democracia, onde a vontade da maioria elege os políticos que os representarão. E neste votar muitas merdas emergem para fazer suas merdas, situação hoje vivida pelo Brasil.

Com Aristóteles o homem exerce a política com a finalidade do bem comum, valorizando a moral e com a prudência sendo estimada, pois, somente com a experiência e inteligência se consegue antever as consequências de um ato desviante a moral do grupo.


A política aristotélica é essencialmente unida à moral, porque o fim último do Estado é a virtude, isto é, a formação moral dos cidadãos e o conjunto dos meios necessários para isso. O Estado é um organismo moral, condição e complemento da atividade moral individual, e fundamento primeiro da suprema atividade contemplativa. A política, contudo, é distinta da moral, porquanto esta tem como objetivo o indivíduo, aquela a coletividade.

Não há como se falar de política sem comentar a democracia, “demo” (povo) E “cracia” (governo). Em Athenas, berço da democracia, só uma parte seleta participava do processo de escolhas, já que a maioria não estava provida de conhecimento, principalmente o interesse político.


Na democracia contemporânea todos participam, independente de qualquer diferença sócio, cultural, religiosa, ideológica ou financeira. Daí, os políticos mudaram seu perfil para, aproveitando-se da ignorância e da fácil manipulação, ludibriaram a boa fé e alçam o poder para não mais deixa-lo.


Hoje no Brasil desprezamos a política, uma ciência das mais antigas e belas, que está presente em todos os momentos de nossas vidas. Na escola a praticamos nos grêmios estudantis, no serviço militar o praticamos nas regras de hierarquia e disciplina e convívio com os colegas, na administração do lar ela está presente, nas compras, na escolha do carro, da casa, dos móveis e tudo mais que englobem a vida do grupo, da família, da “polis”.



Mas os políticos..........Estes deram no que deu hoje, nos países em fase de desenvolvimento que estão voltando para o subdesenvolvido. Olhe bem para os últimos acontecimentos no Brasil, a culpa não é da política e sim dos políticos e sua política particular, o corporativismo corrupto.

Não odeie a política, aprenda a fazê-la para o bem comum da sociedade em que ela vai ser aplicada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário