quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

VOCÊ É Lixo Na Dialética Marxista Da Corrupção



A realidade objetiva, não virtual (fora da Matrix) é essa na qual despertamos sonâmbulos para o café da manhã todos os dias. Trabalhamos até a hora do almoço e almoçamos No outro dia sonâmbulos. Ingerimos um cafezinho na sobremesa e, sonâmbulos, voltamos ao trabalho. Após a novela e/ou o jornal nacional sonâmbulos, vamos dormir.

fazemos a mesma coisa e nada melhora na vida diária. A educação, a saúde e todos os demais serviços públicos continuam uma caca. Não temos apenas sete vidas, mas setenta vezes setenta e sete mais uma memória na biografia do dia a dia. Enquanto lemos nos jornais e revistas e velamos os jornais noturnos com os políticos da conjuração bolivarista cheios da grana, vantagens e impunidade nos esquemas políticos e jurídicos da corrupção.

As categorias filosóficas do idealismo ou do materialismo dialético e histórico alimentam o pensar dos filósofos marxistas ou não. Enquanto os políticos levam vantagens no Congresso garantido pela impunidade. E todos, todos os políticos, estão do mesmo lado da fraude e da manipulação da massa magma de eleitores. Sonâmbulos!

E de nada vale a “negação determinada” da vida e da moral essencial de governantes e governados. De que nos vale a demagogia explícita dos discursos dos artistas do parlamento? Eles, os políticos, são os atores principais da representação social congressual. E todo esse Povo sonâmbulo não passa de coadjuvante com olhos de câmeraman vendo a vida diluir-se em vã esperança de mudança moral da sociedade.

A história dessa inconsciência coletiva cansada pela estafa do estado crítico de sobrevivência faz com que toda a multidão incongruente que vegeta no absurdo da aceitação dessa temporalidade carente do devir e da imaginação, saiba que esse sistema que a mantém na mesmice carente de sua condição (pessoal e social) não pode lhe fornecer justiça social, mas, todos os dias mais intensamente, a aceitação passiva e incongruente dessa dominação efetiva esgota-se na potência dirimida de sua força: individual e coletiva. O devir, por antecipação, se torna ficção.

Preste atenção: toda ideologia, marxista ou não, é uma barbárie em curso se investe apenas na sua necessidade e no seu medo. O marxismo, mais do que qualquer outra ideologia, investe no teatro macabro das marionetes sistêmicas, obedientes ao controle da vontade da tirania Nomenklatura. 

Se você á autoconsciente e age em proveito de sua condição humana, você é histórico: seu simples existir plasma não apenas a esperança e a ilusão, mas a superação destas. E você sabe que sua consciência afirma a morte da corrupção política e jurídica como sendo condição essencial para que sua vida supere a condição de sonâmbulo: 

Você, ao ganhar essa luta, não é mais apenas o centro incoerente da periferia do existir, mas a manifestação presente que se move na direção de suas melhores possibilidades de construir uma realidade que não seja a de vítima dos carrascos políticos e de uma jurisprudência do retrocesso. 

Não se permita direcionar pelo diversionismo das assembleias legislativas, câmaras e Senado em causa própria. Sua dialética não é mais de afirmação periférica. Você não está mais à mercê da maré dos ferozes demagogos da inexistência: sua e de seu vizinho!!! Você não é mais um sonâmbulo pessoal e coletivo!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário