sábado, 31 de dezembro de 2016

A LIÇÃO DA HISTÓRIA


Lembro de um artigo que li num jornal nos dias que antecederam 1964 que dizia mais ou menos assim: “Enquanto o comunismo e o caos ameaçam a Nação, os milicos passam o dia jogando futebol de salão nos quartéis”. É evidente que isso não era verdade, tratava-se de mais uma provocação como outras. Tínhamos, como sempre tivemos, o nosso horário de treinamento físico quando praticávamos variados esportes, inclusive o que foi aludido na reportagem.
De outra feita, lembro também, em meio à balbúrdia, uma manchete bastante agressiva de um periódico que interrogava: “Afinal, para que temos Forças Armadas”?
Pois é, esses dois exemplos deixo àqueles que viveram menos de cinquenta anos.
As Forças Armadas não são intervencionistas, nem golpistas. Nunca foram. São democratas, legalistas por formação e convicção. O que vi e vivi, naquela época, foram praticamente todas as forças vivas da Nação, Povo, Mídia, Igreja, na iminência da derrocada geral, apelando quase em desespero ao seu último baluarte.
O Brasil de hoje, perdido, parece já não saber voltar. O exemplo de ontem precisa permanecer vivo na nossa memória. Só não vemos que, na sua grande maioria, nossos dirigentes e políticos estejam à altura do grave momento que enfrentamos.


Gen Gilberto Pimentel
Presidente do Clube Militar

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Segurança não pode ser "blefe"


A Associação de Oficiais Militares Ativos e Inativos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (AOMAI) divulgou uma carta aberta direcionada ao governador Luiz Fernando Pezão e ao prefeito Eduardo Paes, em que recomenda “o cancelamento dos shows artísticos e pirotécnicos no município do Rio de Janeiro”. Na mensagem, o grupo justifica o apelo na possibilidade da ocorrência de manifestações “que pela amplitude e quantidade de pessoas envolvidas poderão tomar proporções violentes e atentatórias a integridade da população presente”, principalmente na comemoração que tradicionalmente acontece na Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio.

— Achamos que, em primeiro lugar, deve ser priorizada a segurança e integridade das pessoas — afirma o coronel reformado da Polícia Militar Paulo Ricardo Paul, que integra o conselho fiscal da entidade.
Segundo Paulo, a AOMAI não organiza nenhum ato para a virada do ano:
— Justamente porque achamos muito perigoso — conta.


No documento divulgado nesta terça-feira, durante uma reunião da associação, é exposto que a grave crise política e financeira — que tem ocasionado sérios prejuízos financeiros aos servidores públicos e militares — pode gerar manifestações contra a Administração Estadual, como as que vêm ocorrendo há um ano. A carta ainda lembra a ocorrência de atos similares durante a Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas 2016.
Procurada, a Secretaria de Estado de Segurança (Seseg) disse que não vai se manifestar sobre o tema. Já a prefeitura do Rio ainda não respondeu à reportagem.


Quer seja pela ocorrência de manifestações ou pela ausência de policiamento suficiente, deve-se considerar a ousadia de ladrões, arrastões e outros meios de delinquência que infestam a Cidade do Rio de Janeiro. Sabemos que os agentes da Segurança Pública, como os demais servidores deste Estado estão sem receber seus vencimentos e na segurança pode refletir diretamente no evento. Mesmo que os policiais não faltem por motivos financeiros, trabalharão como numa operação “olhos vendados”, sem nada ver ou ouvir. Motivação é o melhor fator na repressão aos ilícitos e na segurança pública a motivação está negativa.


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

O Estado do Rio de Janeiro continua arrecadando muito bem, obrigado.

Apesar das inúmeras desculpas para sustentar esta crise fantasiosa, os números não mentem e dizem que o Estado consegue sim pagar seus funcionários, inativos e pensionistas.


Até o dia 15 de dezembro o Estado do rio de janeiro já havia arrecadado R$ 3.182.066.686,68, estimando-se chegar ao final de dezembro com o total de R$ 6 bilhões arrecadados. Então pra onde está indo esse dinheiro?

Como pode o Estado que arrecada quase 14% do total do Brasil estar falido?


PMDB é que está em crise, é numa séria crise moral. Com grande parte de seus detentores de mandatos envolvidos em diversos esquemas fraudulentos e corruptos. Daí uma crise é essencial, já que Pezão, Cabral e Paes devem ir pra cadeia em breve.

Pensionistas são as principais vitimas desta quadrilha, que tem envolvimento até no governo (PMDB) federal, já que as contas estão sempre sendo bloqueadas para servir de desculpas que inviabilizem pagar os funcionários.
Não, eles não têm vergonha, têm é cara de pau, maldade, fazem tudo para viabilizar a continuação do PMDB no Estado do Rio de Janeiro, nem que para isso tenham que colocar pessoas idosas em risco dependendo da boa vontade de outros servidores preocupados em arrecadar alimentos para essa gente hoje faminta.


Infelizmente a Corporação que tem força para fazer frente a esses bandidos continua inerte. Os inativos estão a frente, arrecadando alimentos e se manifestando, mas também reclamando da omissão dos ativos, os quais uma ínfima parcela apoia presencialmente as manifestações. Por quer será?



Surge então a figura de Picciani, acreditando que as mãos da Justiça não o alcançarão por não estar diretamente envolvido. Em 2017 certamente Pezão e Dornelles, incompetentes e moribundos, renunciarão ao governo, a ALERJ escolherá o novo governador, que certamente será Picciani o indicado.

Com ele o dinheiro vai aparecer rapidamente, só está escondido. Vai pagar os funcionários, quitar dívidas e novamente uma MERDA fraudulenta e corrupta estará no governo deste Estado propenso a se reeleger em 2018. O PMDB tá salvo! Pode continuar a meter a mão.
Viram em algum momento empreiteiros reclamarem? Claro que não, sabem que o deles vem depois, é certo! Mas os funcionários terceirizados........Estes também foram incluídos na "crise", sem pagamento, demitidos!


A suspeita deste “acordo” já foi postado aqui e pode ser por bem ou por mal, depende da resistência que Pezão fizer.

Um delegado escreveu aos “Bombas” (Bombeiros Militares do Rio de Janeiro)

O Dr. Alexandre Neto aos Bombeiros Militares pela atuação contra o governo criminoso deste Estado:


Queridos “Bombas”, sem querer me desfazer dos demais companheiros, que no embate tomaram parte sem temos, Tenho em vocês nossos grandes guerreiros, que lutaram o bom combate por amor! Amor à dignidade do servidor estadual, Amor à vida e ao bem dos demais, dos iguais. Sobretudo amor à profissão que “Homens do Fogo” os faz, e que por estarem acostumados ao calor, a dor.
Mais uma vez nos salvaram, não nos deixando morrer nas mãos do político impostor.


Eternizarei para sempre em minha mente a bandeira do GMAR, que no meio da fumaça, das bombas e dos tiros de borracha, lá estava a tremular, sempre a nos representar... E tremulava como símbolo da resistência e da bravura, que se contrapunha às covardes fardas camufladas, usadas por aqueles que se prestam a bandidos bajular.

Ordem absurda não se cumpre!!! Esse é o bê-a-bá da verdadeira tripa unida do Alferes Tiradentes, que por migalhas e bordões na farda, optou por ficar ao lado da política prostituta, traindo assim os inconfidentes.

Na vida tudo tem um preço, um passado e um futuro. Alguns lutam por sua dignidade, outros por seus ideais; há também os que seguem lutando por solidariedade aos demais. Mas há também aqueles que se vendem, tal qual Joaquim Silvério dos Reis, mesmo sabendo que o resultado da luta, apesar de lhes favorecer, não os terão como guerreiros, mas sim como simples venais.


E com vocês, colegas “Bombas”, lutamos o bom combate! Derramamos sangue e suor em prol de uma causa justa, não ficamos por detrás das grades, mas sim defronte delas. Quem fica por detrás das grades sempre acaba se esgueirando por vielas.

Fomos verdadeiros guerreiros e não nos importamos com a luta, mas sim com o resultado do combate e com a honra que nos custa.
E por causa de vocês saímos vitoriosos, prontos para outras lutas que ainda virão, pois lutar ao lado daqueles que o fogo combatem, por mais dura que seja a refrega, jamais nos afasta da chama, cuja glória é lutar ao lado de irmãos.


Obrigado para sempre “Bombas”!!! Tenho orgulho de vocês!!! Muito orgulho!!! Tenham um maravilhoso Ano Novo.

Afinal PM, quem é você que se diz um herói em defesa da sociedade, mas se mostra um cagão em defesa de si próprio e dos seus?

Os 500 sorvetes Haagen Dazs de Temer

A crise só atinge a nós que somos simples mortais. Para o presidente Michel Temer e seus convidados, nos voos do avião presidencial, o Aero Temer, o cardápio não enfrenta crise, muito pelo contrário. Quinhentos potes de sorvete importado, uma tonelada e meia de tortas de chocolate, entre outros itens. convenhamos... Aliás, o consumo de açúcar vai ser elevado, cuidado com diabetes.

"O exemplo vem de cima", é uma expressão corriqueira. No caso da presidência da República, porém, parece que foi esquecida. Em plena crise econômica, enquanto funcionários públicos em vários Estados Falidos protestam pelo parcelamento, ou até mesmo não recebimento de salários, governadores fecham e vendem fundações, com 12 milhões de desempregados e sem perspectiva de melhoras a curto prazo, o Palácio do Planalto abre licitação para abastecer a cozinha do avião presidencial, que transporta Michel Temer e seus convidados.

O Palácio do Planalto abriu uma licitação para comprar comida para abastecer durante um ano o avião presidencial que serve Michel Temer e seus convidados. O valor previsto para ser gasto é um total de R$ 1,75 milhão.

O café da manhã de Temer no avião será incrementado. Com o nome “Breakfast PR”, foram encomendados 200 cafés da manhã prontos ao custo de R$ 96,00 cada, com presunto de Parma e queijos brie, provolone e mozzarella de búfala.

Mas Temer foi exigente mesmo com os sorvetes, da marca americana Haagen-Dazs. Foram encomendados 500 potinhos, totalizando R$ 7.500,00. Também pediu 50 cornetos, 50 picolés Tablitos, 50 Chicabons, 50 Esquibons e 50 Frutillys. Foram pedidos ainda 300 picolés sem lactose.
O maior gasto no entanto será com tortas de chocolate, foi pedida uma tonelada e meia ao custo de R$ 96.000,00.

A propósito, Temer deve gostar mesmo de doce. O Planalto encomendou 120 potes de Nutella a R$ 34,00 cada um.



terça-feira, 27 de dezembro de 2016

EXÉRCITO CONFERE PROTEÇÃO E HONRARIA AO JUIZ SÉRGIO MORO APÓS ATAQUE DE GILMAR MENDES


O Exército Brasileiro conferiu total apoio ao juiz Sérgio Moro que conduz a Lava Jato na Justiça Federal no Paraná. Como forma de reconhecimento o magistrado recebeu a condecoração foi em cerimônia oficial, no quartel-general do Exército, em Brasília, pelo comandante da Força, Eduardo Villas Bôas, e pelo ministro da Defesa, Raul Jugmann.
A honraria foi criada em 1953, “como evocação às homenagens prestadas a Luiz Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias”, que é patrono do Exército Brasileiro.
A medalha foi entregue a Moro na semana em que o ministro do Supremo Gilmar Mendes chamou de “cretino absoluto” quem defende o uso de provas ilícitas em investigações, desde que elas tenham sido colhidas de boa fé.
Moro também foi questionado no Supremo por ter divulgado gravações de conversas telefônicas que envolviam a presidente afastada Dilma Rousseff. Pelo fato de a petista ter foro privilegiado, Moro, que é juiz de primeira instância, não poderia ter gravado a presidente. Ele argumentou, entretanto, que o objeto da gravação não era Dilma, mas seus interlocutores e, por isso, as provas não deveriam ser descartadas.
Para Gilmar Mendes, a Lava Jato comete excessos e é preciso por um freio. Essa última crítica foi motivada pela suspeita de que investigadores vêm vazando documentos para a imprensa com a intenção de causar danos políticos e de confrontar posições tomadas por ministros do Supremo.
Na cerimônia de condecoração, Moro foi perguntado sobre a fala de Mendes. “Não creio que tenha sido alvo de ataques dessa forma. Mas não tenho comentários sobe isso”, respondeu enquanto, segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, tirava retratos com dezenas de “fãs” civis e militares presentes na cerimônia.

DESEMBARGADOR DO RJ MORRE DE PENA DOS ‘FILHOS’ E QUER LIBERTAR MULHER DE CABRAL

                                Desembargador IVAN Athié
O desembargador federal Ivan Athié, do TRF do Rio, foi o único a votar, ontem, pela concessão de prisão domiciliar a Adriana Ancelmo, e seu argumento chamou a atenção: “Nenhuma vaca lambe o bezerro da outra”, referindo-se ao fato de que a advogada tem dois filhos, de 10 e 14 anos, que precisam dela.
Mas…
A procuradora federal Silvana Batini já tinha lembrado que o Brasil tem umas 36 mil mulheres presas — 7% da população carcerária —, que elas têm filhos mais novos e… continuam nos presídios.
Quem é o desembargador?

Os homens públicos nos hospitais particulares


Nem os homens públicos brasileiros acreditam nos hospitais públicos. O exemplo é triste para a população do país, que hoje tem menos 4 milhões de clientes em planos de saúde por causa do desemprego. Tudo isso mostra que o serviço público realmente não foi feito para quem tem privilégios.
Os hospitais públicos só servem para os ricos ganharem dinheiro, e não para se tratarem. Levantamento feito pelo Estado de S. Paulo mostra que 70% dos esquemas de corrupção com verbas federais em cidades do país desviaram recursos destinados para a saúde, e também para a educação. 
A Operação Voadores, no Maranhão, revelou que parte da verba destinada para a saúde enviada pela União pagou R$ 600 mil em vinhos e restaurantes de luxo na capital São Luís. 
Um dos maiores escândalos de corrupção no setor de saúde no Brasil foi a chamada máfia dos sanguessugas, que fraudava a compra de ambulâncias em municípios e teria desviado mais de R$ 110 milhões. 
Descoberto pela Polícia Federal em 2004, o esquema dos vampiros da saúde operava envolvendo empresas, funcionários do Ministério da Saúde e deputados federais ao menos desde 1990. O esquema principal do grupo consistia em fraudes de licitações, gerando sobrepreços na compra de remédios e hemoderivados. Segundo estimou a PF, o esquema teria causado um prejuízo de R$ 2 bilhões, o que corrigido pela inflação, equivale hoje a R$ 4,08 bilhões.
Em 2012, outro escândalo veio à tona, desta vez no Hospital Federal Infantil do Rio de Janeiro. Um esquema de fraudes envolvia contratos e licitações, pagamentos de propinas, pagamentos sem serviços prestados ou sem cobertura contratual. O prejuízo aos cofres públicos foi de R$ 22 milhões.
Uma investigação feita pela auditoria do Sistema Único de Saúde (SUS) e pelo Ministério Público Federal (MPF) constatou um suposto desvio de R$ 4 bilhões na saúde pública do Tocantins - valor referente aos danos aos cofres públicos e a multas pelas irregularidades. O esquema envolveu gestores públicos e 13 empresas entre 2012 e 2014. Medicamentos e produtos hospitalares eram adquiridos sem licitação, superfaturados e muitas vezes não eram sequer entregues.
Em 2015, a operação Ilha Fiscal desbaratou uma quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com a Prefeitura do Rio de Janeiro. Organizações Sociais de Saúde - as chamadas OS - foram acusadas de desviar recursos que a Prefeitura encaminhava para a manutenção de hospitais. Na operação foram apreendidos carros importados - sendo duas Ferraris -, e cerca de R$ 500 mil em espécie na casa de dois dos acusados, além de dólares e joias na casa dos envolvidos.
Estes são apenas alguns dos casos que vieram à tona nos últimos anos, e que mostram como foi construído o caminho que deixou à míngua o serviço público de saúde. Enquanto isso, a população que não pode pagar atendimento privado - que cresce cada vez mais com o nível de desemprego - é obrigada a buscar socorro num sistema falido e em colapso. Restam a dor e o sofrimento em corredores, à espera de remédios e atendimento que quase nunca chegam.
Ironicamente, nos modernos, caros e sofisticados hospitais privados do país, os homens públicos são clientes assíduos. Recentemente, o ministro das Relações Exteriores, José Serra - que inclusive foi ministro da Saúde no governo FHC - passou por uma cirurgia no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, referência nacional. 
Já o governador Geraldo Alckmin não pestanejou ao recorrer ao mesmo Sírio-Libanês, em 2010, após ter uma crise de soluço. Recebeu alta 24 horas depois.
Também em 2010, o então governador Sérgio Cabral se internou no Copa D'Or, em Copacabana, ao torcer o joelho quando saía do carro.
No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes correu para o Hospital Samaritano, neste ano, após constatar, no Hospital Miguel Couto, que seu caso era mais complexo e seria preciso uma intervenção. Trocou o público pelo privado quando se viu precisando de cuidados especiais, devido a um cálculo renal.
Se os homens públicos tivessem que usar hospitais públicos, será que a realidade mudaria?

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Maior facção criminosa do Brasil lança ofensiva empresarial no Rio

Após ruptura com Comando Vermelho, PCC penetra nos morros e chega à favela mais rentável da cidade.

Ameaça de morte ao juiz Sérgio Moro acorda os militares

Agora complicou – Ameaça de morte ao juiz Sérgio Moro acorda os militares.
Moro em Curitiba: protegido por agentes treinados em Brasília; no detalhe, um dos ataques feitos pela internet .
O juiz Sérgio Moro, responsável pela operação Lava-Jato, vem sendo ameaçado de morte pelo baixo-clero descontente com sua atuação nas investigações. Desde que destacou-se como figura crucial às investigações da operação Lava Jato, aquela que vem ameaçando cobras e lagartos, Moro recebe ameaças de morte, pois até mesmo chegou a ser alçado ao patamar de ‘herói nacional’ pelo povo e mandar buscar Lula em sua humilde residência para uma conversinha entre cavalheiros, as ameaças ao juiz triplicaram.
video
O Juiz Sergio Moro no aeroporto aguardando embarque, seus seguranças fazem formação em circulo ao redor dele, sinal de que as ameaças são reais sim.
Pelo menos três desses ataques resultaram em abertura de inquérito por um motivo muito simples: incitaram, entre outras barbaridades, ao assassinato do juiz da Lava-Jato. “Chega de palhaçada de acreditar na democracia de direita. Matem o Moro”, escreveu no Twitter um agressor já identificado. “Tenhamos coragem. Matemos Moro e acabemos com esta festa”, emendou o militante. “Todos de esquerda nas ruas já e com armas! É guerra civil”, postou outro radical no Facebook. “Matar o Moro e todos os fascistas. É guerra”, prosseguiu. Mensagens desse quilate puseram a polícia e Moro em alerta. A “ameaça concreta” que o juiz paranaense dizia inexistir despontou como uma possibilidade real. Prudência agora é o nome do jogo. Desde aquela sexta-feira em que Lula depôs numa sala do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, agentes da Polícia Federal se revezam num esquema ostensivo ao redor de Moro. Em paralelo, policiais rastreiam a origem das ameaças e de telefonemas que o magistrado tem recebido. “Identificaremos todos eles”, disse a VEJA um investigador que trabalha no caso.
Os delinquentes já não escondem o rosto atrás de bandeiras partidárias: gritam seu ódio em redes sociais para qualquer um acessar, certos de que a mesma impunidade que blindava os chefões ainda os blindará agora. E o governo ainda tem o desplante de vir a público dizer que nunca na história do Brasil houve tanto combate à corrupção. Ora, ora, malandragem, dá um tempo ! Quem combate a corrupção é a Polícia Federal.
Se há corrupção no PT, por que a Polícia Federal não pode investigar? Se houve corrupção no governo FHC ou qualquer outro, por que não denunciaram ?
Ameaçar o juiz Sérgio Moro é o mesmo que dizer que a luta pela queda do regime militar nunca passou de golpe para tomar o poder. Aliás, alternância de poder não é uma coisa que esteja nos planos petistas, não é mesmo ? –
Fontes: Pensa Brasil e veja

domingo, 25 de dezembro de 2016

264 VIAGENS AO EXTERIOR COM GRANA ROUBADA.

COM GRANA ROUBADA!
SÉRGIO CABRAL E A MULHER SAÍRAM DO PAÍS TRÊS VEZES POR MÊS DESDE 2007, CASAL USOU ATÉ JATINHOS EM 264 VIAGENS AO EXTERIOR DESDE 2007.


A QUANTIDADE DE VIAGENS DE CABRAL E ADRIANA PARA O EXTERIOR DESPERTOU A ATENÇÃO DE INVESTIGADORES DA CALICUTE.


O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) e a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo saíram do País e voltaram pelo menos 264 vezes entre abril de 2007 e setembro deste ano. Eles passaram pelo Aeroporto Internacional do Galeão, em média, 2,93 vezes por mês em viagens internacionais, principalmente para destinos como Londres, Paris e Nova York. O casal é investigado pela Operação Calicute da Polícia Federal e do Ministério Público Federal (MPF), um desdobramento da Lava Jato.

Os deslocamentos de Cabral e Adriana foram tabulados pelo Estado com base em análise de dados colhidos pela Calicute no Sistema de Tráfego Internacional da PF. O casal, além de voos comerciais, também usou jatinhos particulares. O ex-governador e a advogada já são réus, estão detidos em Bangu, na zona oeste do Rio, e respondem por suposto envolvimento em organização criminosa que teria desviado R$ 224 milhões de obras públicas por meio de empreiteiras investigadas pela Lava Jato. Para o MPF, Cabral teria chefiado o esquema. Ele nega.

A quantidade de viagens de Cabral e Adriana para o exterior despertou a atenção de investigadores da Calicute. Procuradores e policiais federais querem saber se, em suas passagens por outros países, eles aproveitaram para esconder parte do patrimônio que, supostamente, desviaram. A suspeita se fortalece porque, com frequência, o casal viajou separado, segundo os dados analisados. 
Em apenas duas das 22 “pernas” feitas em jatinhos no período, por exemplo, há registro de que eles tenham ido e voltado na mesma aeronave. Foi assim que deixaram o Brasil em 8 de fevereiro de 2011 e voltaram no dia 13, no avião Gulfstream GV-SP, prefixo PROGX, operado pela AVX Taxi Aéreo. Localizada na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, a empresa tem como sócios Eike Batista, Thor Batista e Ivo Buschmann Júnior. Procurado, Eike, por meio de assessoria de imprensa, informou que o empréstimo do avião a Cabral não é novidade e alegou não ter negócios com o Estado. Desse modo, não haveria irregularidade.

Os dados do Sistema de Tráfego Internacional da PF de posse da Calicute confirmam também que Cabral e Adriana, mesmo depois da renúncia do ex-governador em abril de 2014, continuaram a usar passaportes diplomáticos fornecidos pelo Ministério das Relações Exteriores, conforme revelado pelo Estado no dia 5 deste mês. Há registros da expressão “diplomata” ao lado da anotação de entrada ou saída do País do ex-governador e sua mulher, em datas nas quais o peemedebista já havia deixado o cargo.
Pós-mandato
De 72 viagens de Adriana ao exterior, 28 (quase 40%) foram feitas após Cabral deixar o governo. Em boa parte dos deslocamentos, ela estava sem o marido, segundo os registros. Ela teve como destinos iniciais, apurados a partir do número de cada voo, Londres (24 vezes), Paris (9) e Nova York (13). As cidades são hubs – pontos de conexão de viagens aéreas. A advogada desembarcou também em outras 26 cidades.
Nos dados obtidos pelo Estado, não há registro de saída do País do ex-governador em 2015. Em 2016, há uma saída – foi em 22 de janeiro, uma viagem para Londres. Dos 61 destinos identificados de viagens de Cabral, Londres foi principal destino, seguida de Paris (14) e Nova York (8). Cabral viajou também para outros 21 cidades.
Não é possível, porém, distinguir viagens oficiais das particulares durante o período em que Cabral foi governador, entre janeiro de 2007 e abril de 2014. Levantamento divulgado em maio de 2012 pelo Palácio Guanabara revelou que, desde sua posse até aquela data, ele ficara 128 dias fora do País em viagens oficiais. Foram 39 cidades em 37 missões a 18 países – quase uma a cada dois meses.
Os destinos das viagens realizadas de jatinhos também não são informados. Os dados mostram que, sem a companhia da mulher, Cabral usou o avião PRAVX seis vezes; o PROGX uma vez; o PPMMF quatro vezes; e o PT JAA duas vezes. Adriana viajou sem o marido no PRAVX seis vezes e no PPVDR uma vez. Também não há informação sobre a cidade visitada pelo casal na viagem que realizaram juntos no jatinho de Eike.
Curiosidades
Além da frequência a alguns destinos, há algumas curiosidades nos dados sobre as viagens do ex-governador e da ex-primeira-dama do Rio ao exterior. Em setembro deste ano, por exemplo, dois meses antes de a Operação Calicute ser desencadeada, Adriana saiu do País no dia 6, voltou no dia 13, viajou de novo em 19 e voltou em 26. Os destinos desses deslocamentos, porém, não estão registrados. Desde abril de 2014, mês em que Cabral renunciou, as viagens da ex-primeira-dama ocorreram ao ritmo de pelo menos uma (ou uma e meia) por mês. Doze dessas viagens foram para Londres.
Em 7 de maio de 2014, há o registro de chegada de Adriana no voo 8079 da Air France. O ponto de partida era Mahe, ilha em Seychelles, paraíso turístico e fiscal no Oceano Índico. Meses depois, partiu para Dubai no voo EK248, da Emirates, em 6 de outubro de 2014. Voltou pela mesma companhia, no 247, no dia 13 seguinte. 

A pesquisa também registra para onde o ex-governador viajara, em janeiro de 2011, quando o Rio sofreu uma tromba d’água que matou cerca de mil pessoas na Região Serrana, no dia 13. Na época, assessores de imprensa do Palácio Guanabara disseram que Cabral estava no exterior em viagem particular, mas não sabiam onde. Os registros apontam que o casal embarcara para Londres no dia 6, no voo JJ8084, e voltou no dia 13, no JJ8085, a tempo de o então governador sobrevoar as áreas atingidas, de helicóptero, com a então presidente Dilma Rousseff. (AE)


sábado, 24 de dezembro de 2016

Governo do Rio projeta janeiro tenso por provável atraso no pagamento da Segurança


Enquanto os servidores estaduais se desesperaram pela falta de dinheiro, entre os membros do governo do Rio o que se fala após o anúncio do novo calendário de pagamento é sobre o que será feito em janeiro. Já é certo que o Estado vai atrasar os vencimentos de dezembro, que deveriam ser quitados até o dia 13 de janeiro, 10º dia útil do mês. O problema é que o parcelamento dos vencimentos de novembro só termina no dia 17 de janeiro.
— Até aqui, a Educação e a Segurança Pública estavam recebendo de forma integral e perto do 10º dia útil. Isso não vai mais acontecer. Esses servidores já vão ter que enfrentar o atraso — disse um membro da cúpula do governo.

video

A maior preocupação é sobre os servidores da Segurança Pública — policiais militares e civis, bombeiros e agentes penitenciários. Eles são tidos como prioridade pelo governo, mas deixarão de receber próximo ao 10º dia útil em função do calendário de novembro. Por ora, todos no governo são unânimes em dizer que o pagamento de dezembro só irá começar quando novembro for quitado. Enquanto isso não ocorre, não há previsão sobre os salários de dezembro.

O natal da tristeza
O drama vivido pelos servidores comoveu até “Papai Noel”. Em um dos atos que aconteceram durante a semana, o técnico de nível superior da Universidade do Norte Fluminense (Uenf) José Paccelli Rocha usou a fantasia do Bom Velhinho para retratar o momento dos funcionários.
— O que vi foram pessoas abatidas, desesperadas e ao mesmo tempo indignadas, algumas chorando pela situação que estão vivenciando com sua família — disse o servidor.
“Papai Noel” deixou um recado para cada servidor:
— Em primeiro lugar, não perca a esperança.
EXTRA

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Um Partido para chamar de NOSSO


Os partidos políticos hoje são "oligarquias", onde um grupo seleto define suas tendências, seus participantes. Nenhum deles ousou se postar como de Direita Conservadora, nenhum deles tomou posição sobre o Brasil e o mundo.

São partidos onde consideram “MEU”, com seus donos tramando uns com outros a melhor forma de obter vantagem em detrimento do interesse geral.
O LIGA veio do anseio de se fazer diferente, de declarar abertamente suas pretensões, de se posicionar como o único Partido de Direita Conservadora e não podendo fugir a isso.

O LIGA é um partido de direita, liberal clássico-conservador, inspirado no pensamento de autores como Russell Kirk e Edmund Burke.
Nosso Estatuto e programa foram redigidos de modo que seja garantida a orientação liberal clássica-conservadora do partido, independente de quaisquer alianças que a legenda venha a adotar.
Acreditamos que apenas uma economia capitalista desenvolvida, onde há respeito pelas liberdades individuais – de expressão, ao direito à propriedade e de ir e vir, assim como todas as outras, é uma sociedade na qual se atinge mais facilmente a felicidade de todos.
Consulta no TSE Link: Consulta LIGA

Foi difícil, mas ultrapassamos os pontos mais difíceis desta jornada, o LIGA é hoje oficialmente um Partido Político em formação e já autorizado pelo TSE a fazer a coleta de assinaturas de apoiamento, o que já está em andamento.

A política se transformou ao longo dos anos, a Ciência Política, tão propagada por Aristóteles em 300 A.C, em seus primeiros passos na Arte ou Ciência da organização, direção e administração de nações ou Estados foi se deteriorando passando a beneficiar a poucos.
Na Renascença, a política adotou outros contornos com Maquiavel, onde a busca pelo poder poderia ultrapassar barreiras no modo de consegui-lo, mesmo que conceitos defendidos pela igreja fossem desrespeitados e a moral ultrajada.

Hoje, pior que no século XVI, nenhum valor a não ser o que entra no bolso é respeitado, vale tudo pelo poder, nem que sejam as vidas de milhares e até de milhões de pessoas.

O LIGA vem para resgatar o que de belo existe na política, ela funcionando para a felicidade de um todo, assim como Aristóteles pensou há mais de 2.300 anos atrás.

Os mau caráter de hoje que veem a política como forma de se dar bem, de fazer da política uma hereditariedade, passando cargos de pai para filhos, não encontrará refúgio no LIGA. O mérito será a condição de sucessão, encorajando os capacitados que antes não ousariam na aventura política para não ariscarem serem comparados a ladrões, mercenários, desleais, injustos ou desonestos; os valores estarão de volta.

Temos agora as armas, nos resta irmos à luta. Vamos à luta?


                           Modelo da Ficha de Apoiamento preenchida

Já somos um partido em formação (agremiação partidária) e constamos no site do Tribunal Superior Eleitoral como tal. Se você, ao navegar por nosso site, constatar que se identifica com os ideais liberal- clássico- conservador e for de DIREITA CONSERVADOR, ajude-nos imprimindo nossa ficha de apoiamento.


Neste link você encontra todas as informações para impressão e preenchimento da ficha de apoiamento.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Fux julgando Cabral? Ai tem "truta"!

                                         Ministro do STF Luis Fux
Fux vai julgar Cabral e sua turma no Supremo.
Um pedido de habeas corpus feito pela defesa de José Orlando Rabelo no STF foi distribuído para o ministro Luiz Fux.
Rabelo, preso desde 17 de novembro pela operação Calicute, é apontado como um dos operadores da propinolândia que imperou no Rio de Janeiro durante o governo Sérgio Cabral.

A distribuição do pedido para soltar Rabelo para Fux significa que todos os recuros levados ao Supremo no âmbito da Calicute ficarão sob a responsabilidade de Fux.
Vamos voltar um pouco no tempo?
12 de abril de 2013
O governador Sérgio Cabral negou ter conhecimento sobre uma possível articulação visando a nomeação da filha do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux para o cargo de desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado do Rio.
8 de março de 2016

Pezão nomeia filha de ministro do Supremo como desembargadora.

A advogada Marianna Fux, de 34 anos, filha do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, foi nomeada desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB)