domingo, 25 de junho de 2017

O DESENCARCERAMENTO MATA!

Policial é morto em operação que mulher também atuava no RS.
O escrivão Rodrigo Wilsen da Silveira, 39, era chefe de investigação da 2ª Delegacia de Polícia de Gravataí e participava de uma operação no combate ao tráfico de drogas em um condomínio na Travessa Herbert, na região central do município.
Ao ingressar no apartamento indicado, o policial levou um tiro na cabeça de um dos criminosos. O agente foi socorrido às pressas pelos colegas e conduzido ao Hospital Dom João Becker, mas não resistiu aos ferimentos.

A mulher do policial civil Rodrigo Wilsen da Silveira, 39, a também policial Raquel Biscaglia é consolada após a morte do marido, em Gravataí, região metropolitana de Porto Alegre...

- 06/05/2013 - Maicon de Mello Rosa foi mencionado em escutas telefônicas, como integrante de uma quadrilha de tráfico de drogas. NADA FOI FEITO.

- 22/06/2013 - Maicon de Mello Rosa pratica uma tentativa de Homicídio típica de grupos de tráfico, na carona de um automóvel. NADA FOI FEITO.

- 04/08/2013 - Maicon de Mello Rosa, na carona de uma motocicleta, mata a tiros um advogado. Responde até hoje o processo em liberdade. NADA FOI FEITO.

- 30/08/2013 - Maicon de Mello Rosa É PRESO temporariamente (depois preventivamente) por assalto à mão armada.

- 30/04/2014 - Apenas 8 meses após ser preso, um Juiz concede a Maicon de Mello Rosa a LIBERDADE PROVISÓRIA, mediante compromisso de manter-se SEM DELINQUIR.

- 03/10/2014 - Maicon de Mello Rosa é encontrado acompanhando outro homem que estava ilegalmente armado. Entra na ocorrência como testemunha. Explicações? Nenhuma. NADA FOI FEITO.

- 04/11/2014 - Maicon de Mello Rosa é preso em flagrante delito armado e acompanhado de indivíduo também armado. REVOGADA A LIBERDADE.

- 29/12/2016 - Maicon de Mello Rosa é condenado a uma pena próxima de 5 anos, em regime SEMIABERTO, pela prática do roubo a que respondia. SEMIABERTO POR ASSALTO À MÃO ARMADA.

- 08/05/2016 - Maicon de Mello Rosa recebe o benefício de SAÍDA ESPECIAL pela 2a Vara de Execuções Penais da capital.

-10/06/2016 - Maicon de Mello Rosa recebe a tornozeleira eletrônica.

- 24/06/2016 - Maicon de Mello Rosa
é considerado foragido. Apresenta-se apenas em 07/07/2016 - Duas semanas após - e??? NADA FOI FEITO.

- 24/09/2016 - Maicon de Mello Rosa é considerado foragido e apresenta-se dois dias após - 26/09/2016 -. Sua fuga é JUSTIFICADA por defeito na tornozeleira.
Tal se repetiu entre 27/09/2016 e 02/10/2016 (5 dias), entre 22/10/2016 e 24/10/2016 (2 dias ) e entre 29/01/2017 e 30/01/2017 (1 dia). ALGUMA PREOCUPAÇÃO COM A FUNCIONABILIDADE DA TORNOZELEIRA? NENHUMA.

- 01/06/2017 - Maicon de Mello Rosa pratica roubo a residência. Inquérito concluído rapidamente, com representação pela prisão preventiva​ encaminhado ao Ministério Público (prazo encerrando hoje).

HOJE : Maicon de Mello Rosa matou o policial civil RODRIGO WILSEN DA SILVEIRA (foto), casado e pai de dois filhos menores, em pleno exercício das funções de defesa da sociedade.


Quem estava lá para levar o tiro fatal foi este herói anônimo que tombou.
Não foi o professor de garantismo da universidade, não foi o advogado engomado que vive às custas do dinheiro do tráfico, não foi o Juiz comunista que administra a execução penal com mão de veludo, não foi o ativista de direitos humanos que vive e propaga um humanismo desumano, não foi o advogado público pago com tributos que prega o esvaziamento dos presídios, não foi o sociólogo comunista de meia-tigela, não foi o político muquirana o que nada faz para agravar as leis penais, nem o ministro do STF que posa de autoridade, lançando normativas de DESENCARCERAMENTO, não foi a ONU patética que só se mete onde não precisa e errado, se omitindo de onde deve ser firme...NEM FOI VOCÊ, ESTÚPIDO PAPAGAIO QUE REPETE, ACRITICAMENTE, AS ASNEIRAS QUE OUVE OU LÊ nas igrejinhas acadêmicas, na mídia canalha ou em conversas de Mauricinhos e Patricinhas no MCDonalds ou comendo batata frita no shopping ou enchendo a pança de vodka, cheirando cocaína e fumando maconha na noite da capital dita politizada gaúcha.
Quem tombou foi um herói. Mais um mártir...

E amanhã os imbecis falarão da "Polícia que mais mata no mundo" e da necessidade de "DESENCARCERAMENTO", em um país que prende menos de 10% dos autores de crimes hediondos.

Esperando a nota de pesar da AJURIS , da Associação dos Juízes pela Democracia, do Mestrado de Ciências Criminais da PUC, da Defensoria Pública (instituição de confiança dos gaúchos) e demais instituições da mesma relevância e utilidade social...

Por Eugênio Paes Amorim, Promotor de Justiça da 7ª Promotoria do tribunal do Juri de Porto Alegre.

Policial é morto em operação que mulher também atuava no RS

sábado, 24 de junho de 2017

Não adianta reclamar, o Brasil é "chacota" mundial.

O pior da viagem do presidente Michel Temer à Noruega é que, ao ser agredido não como cidadão, mas como representante de um país, a agressão foi dirigida a este país.
À reportagem, Hatlen confirmou que, diante dos resultados da investigação, decidiu “dar as informações para a Justiça”. “Somos uma empresa cotada na Bolsa e dependente de uma boa reputação”, comentou.
“Temos zero tolerância quando se trata de corrupção”, insistiu.
Há poucos meses, um jornal norueguês fez um teste. Deixou 20 carteiras com dinheiro na rua, em diferentes partes de Oslo. Do total, 15 foram devolvidas à polícia. Link: Exame

Qual seria o resultado se o teste fosse realizado no Brasil? Nem preciso dizer, né?

Esta senhora, primeira-ministra da Noruega - país com a população do Maranhão, e que exporta bacalhau - não tem nenhum nível de autoridade para fazer o que fez contra um país que, circunstancialmente, passa por um momento que o mundo inteiro já viveu.
 A crise política acompanha o presidente Michel Temer na viagem à Noruega. Na manhã desta sexta-feira (23), a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, afirmou que a Operação Lava Jato preocupa e que é preciso achar uma solução para a corrupção.

O mais conhecido foi na Itália, com a Operação Mãos Limpas. O juiz Baltasar Garzón também ganhou notoriedade na Espanha em diversas investigações contra a corrupção, a lavagem de dinheiro e a ditadura. O Rei da Espanha, Juan Carlos, abdicou ao trono em meio aos escândalos de corrupção envolvendo sua filha, princesa Cristina, e o marido dela, Iñaki Urdangarin. A princesa da Inglaterra, Lady Diana, morreu num acidente de carro até hoje mal explicado e envolto em suspeitas de assassinato. A Rainha Elizabeth, aos 91 anos, não abdica ao trono talvez por medo de seu sucessor. Os escândalos da IBM na Argentina, nos anos 1990, exigiram do governo dos Estados Unidos determinar que suas empresas não negociassem mais com aquele país. 
Se não bastasse tudo isso, a frase que simboliza a disseminação da corrupção em um país remete exatamente à vizinha da Noruega: "Há algo de podre no reino da Dinamarca", imortalizou William Shakespeare, em Hamlet.

Quem é essa senhora para fazer observações contra um país como o nosso? A única coisa a se lamentar é que o presidente Michel Temer não deveria ter se calado diante da agressão. A suposta gafe que cometeu, ao confundir a Noruega com a Suécia, poderia na verdade estar externando o desprezo e o desinteresse sobre aquele reinado.
Embora os escândalos de corrupção tenham sido comum em diversos países como dito no texto, o Brasil se difere dos demais citados pela sua inércia, aliás, pelo seu esforço em se manter como está. É certo que 99% dos políticos brasileiros, mais o judiciário não mais são merecedores de confiança, já demonstraram que estão dispostos a desafiar às leis e até a Constituição para manter os corruptos em seus cargos.

O povo “gado” assiste a tudo revoltado, mas só “revoltado”, se mostrando inerte em ações que num futuro possa alterar esta situação.

video
Enquanto isso, nossos “representantes” viajam pelo mundo servindo de chacota até para países sabidamente ditadores, como a Venezuela, que na ONU, satiriza as criticas do representante brasileiro que falou sobre assuntos de Direitos Humanos desrespeitado naquele país.


Finalizando, digo que o mundo inteiro, até os países menos recomendados, têm sim condições de ridicularizar e continuar ridicularizando o Brasil por sua falta de exemplo e ações.

Esses atores vão acabar sendo linchados.


O ator Fábio Assunção foi detido na cidade pernambucana de Arcoverde após se desentender com policiais militares, na madrugada deste sábado (24). De acordo com o jornal Folha de Pernambuco, Fábio teria quebrado o vidro de uma viatura policial e xingado os PMs. Testemunhas disseram que o ator estava sob efeito de álcool.
video

Em um vídeo postado na internet, é possível ver o ator algemado no fundo da viatura. "Chama o sargento, eu quero olhar no olho dele", diz Fábio. Em outro momento, ele acusa o policial de tê-lo desacatado. "Desacato é o que ele fez agora. Eu não sou criminoso, filho da puta. Pede um autógrafo pra ele", afirma.
video

Em outro vídeo, pessoas que estava na festa filmam a detenção do ator. "Fábio Assunção acabando a festa de Arcoverde. Fábio Assunção passando vergonha. Olha a situação de um ator da Globo", são alguns dos comentários.
video


Com informações de Correio 24 horas

“Xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz”


A Corregedoria Nacional do Ministério Público (CNMP) instaurou nesta quarta-feira (23) procedimento para investigar a venda de palestras pelo procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba (PR).
A polêmica começou após o jornal Folha de S.Paulo mostrar que uma empresa estava oferecendo palestras do procurador por R$ 40 mil em seu site. A página foi retirada do ar, em seguida, e substituída por uma mensagem afirmando que a oferta não havia sido autorizada pelo palestrante. 
A empresa informou ainda que se retrata "por qualquer tipo de prejuízo e/ou situação que tenha vindo a causar ao Sr. Deltan Dallagnol". 
A empresa informou ainda que se retrata "por qualquer tipo de prejuízo e/ou situação que tenha vindo a causar ao Sr. Deltan Dallagnol". 
A representação foi feita pelos deputados federais do PT Paulo Pimenta (RS) e Wadih Damous (RJ) no começo desta semana e, de acordo com a Folha, será analisada pelo corregedor nacional Cláudio Henrique Portela do Rego sem prazo estabelecido. Segundo o CNMP, Portela participa de diligências no Estado de Goiás e só deve retornar a Brasília na próxima semana.
O corregedor tem três alternativas: arquivar o caso, abrir uma sindicância, ou abrir um Processo Administrativo Disciplinar(PAD). Se o PAD for aberto, uma comissão será montada dentro de um prazo para investigar, ouvir Dallagnol e preparar um relatório. Finalizado esse processo, o assunto entra na pauta de julgamento do plenário.
Os deputados responsáveis pela representação pediram que o procurador apresente a lista dos clientes que contrataram suas palestras desde 2014, os valores de cada palestra e a declaração dos clientes à Receita Federal. 
Defesa
Em nota à Folha, a assessoria do Ministério Público Federal do Paraná afirmou que "é claramente descabido a reclamação dos deputados". E informou que resoluções do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do CNMP reconhecem que integrantes podem realizar atividade docente gratuita ou remunerada.

A Procuradoria ainda disse ao jornal que a maioria das palestras prestadas para grandes públicos pelo procurador é gratuita e que em 2016 os valores foram destinados a entidade filantrópica - que não foi nomeada -, no total de R$ 219 mil. 
O procurador da Lava-Jato Deltan Dellagnol publicou uma nota neste sábado em que afirma que todo o dinheiro recebido por ele em palestras, no ano de 2016, foi "integralmente destinado para a construção do hospital oncopediátrico Erasto Gaertner". 

O hospital Erasto Gaertner que informou ter recebido, "integralmente e sem intermediários, o recursos referentes à realização de 12 palestras do procurador da República Deltan Dallagnol, que somaram R$ 219 mil". O que dá um valor médio de R$ 18.250 por palestra. 

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Um CRIMINOSO no limite da covardia.


O ex-governador do Rio Sérgio Cabral, já envolvido em mais de dez denúncias - e com certeza se envolverá em outras -, recebeu do juiz Sérgio Moro uma pena reduzida pelo que fez. Admitindo-se que outros processos se somarão à pena mínima, poderemos chegar a uma pena justa de uns 300 anos de cadeia para um delinquente que que quebrou o estado do Rio, com mais de 20 milhões de cidadãos.

Destruiu a hierarquia de todos os segmentos que do governo do estado são dependentes, quando seus servidores constatam que não vão receber salário, suas vidas se tornarão verdadeiros tormentos por não poderem dar comida aos filhos, por terem suas luzes cortadas, pela saúde sem remédio, pelo corpo sem roupa e execuções que a toda hora batem em suas portas, crianças morrendo por falta de hospitais, estado falido, sem qualquer perspectiva de recuperação nos próximos 20 anos.
E esse delinquente ainda envolve um chefe de Igreja como testemunha de suas delinquências. Tenta comprometer a única instituição que não está envolvida em seus desmandos. Qual o depoimento que pode prestar a seu favor o Cardeal do Rio de Janeiro, a não ser lhe perdoar, se o ex-governador sentir arrependimento de seus pecados de roubar?
Não. Indicou o representante no Rio de Sua Santidade, o Papa, para politicamente mostrar que o que fazia levava benefício para o segmento mais pobre. 

Ato de covardia. Devia chamar sim os chefes de seus restaurantes internacionais, os costureiros de suas grifes, os joalheiros de suas joias e seus comparsas de governo para mostrar à autoridade que jamais roubou sozinho. Que quando solicitava, era connoisseur da gastronomia e um dândi colecionador de joias raras e bonitas.
Hoje, com certeza, só a devolução do que roubou é pouco. O que merece esse senhor seria chamar Don Orani Tempesta, ou um outro sacerdote, para lhe dar a extrema-unção, se o país tivesse leis severas.

Rio de Janeiro? Fuja!!!


"Fuja do Rio de Janeiro, só fuja, não tem nada de maravilhoso aqui.
Não venha aqui atrás de emprego, não tem.
Não venha aqui atrás de qualidade de vida, não tem.
E se você der sorte, conquistar um bom emprego, ganhar muito dinheiro, não demonstre.
Se seu salário te dá condições de andar com o carro do ano, não compre. O vagabundo também quer o carro do ano, e ele vai tomar o seu. Sim, ele vai e ponto. 
Ande a pé ou combine o transporte com alguém... o transporte público não é recomendável, você vai ser assaltado.
Não existe "SE me assaltarem", o correto é "QUANDO me assaltarem".
Você que é carioca e ficou puto com o possível veto ao Carnaval 2018, alegando que o carnaval atrai muitos turistas, que dá muito dinheiro, que deve ser encarado como investimento e não como gasto... Pois bem, aonde vai parar o retorno desse investimento? Piada.
Enfim, isso aqui ta uma merda.
Sei que tenho amigos aqui que estão fora do país, fora do RJ, com saudades da cidade. 
Conselho: aguente firme. É melhor sentir saudades do que sentir uma bala rasgando a pele.
Aos amigos que estão pensando em começar do zero, tentar a sorte em outro canto, se você tem essa oportunidade: vá e não olhe pra trás.
Enfim, a cidade é maravilhosa sim, para uma corja de vagabundos agirem livremente. Eles vão te sacanear, vão levar o que você tem, você vai perder, eles vão ganhar. A certeza da impunidade é a cereja do bolo.
Não tem enrolação, não tem mensagens entrelinhas. O papo é reto e explícito. SÓ VÁ.

Para finalizar, gostaria de marcar o Governo do Estado do Rio de Janeiro e a Prefeitura do Rio de Janeiro e dizer que vocês são merdas."
Por Matheus Laureano

quinta-feira, 22 de junho de 2017

O crime nas asas da FAB

Rocha Loures voou em avião da FAB para buscar mala com R$ 500 mil, aponta PF.

Há décadas vemos "delinquentes" políticos usando e abusando dos aviões de nossa Força Aérea, os quais sem o menos escrúpulo usam até para irem com família e convidados a festas de casamento que nada tem de oficial. Mas usar a FAB para cometer o crime já é demais!

Luís Cláudio Lula da Silva, filho do presidente, usou avião da FAB (Força Aérea Brasileira) com 14 amigos. Foi durante as férias de 2004. O deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ) tentou de todos os modos verificar a veracidade da história. Só conseguiu confirmar a mordomia junto ao Gabinete Institucional da Presidência da República. Antes, havia feito sucessivos requerimentos à Secretaria-Geral da Presidência da República, Ministério da Casa Civil e Ministério da Defesa. Ninguém admitia o uso do avião oficial. Mas existiu. 

O ex-assessor do presidente Michel Temer, o também ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), pegou carona com o ministro Gilberto Kassab, da Ciência e Tecnologia, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) de Brasília para São Paulo, onde recebeu no dia seguinte 10 mil notas de R$ 50 que totalizaram os R$ 500 mil na mala de propina da JBS.
Desde o momento em que decolou de Brasília, às 19h, Loures já estava sendo monitorado pela Polícia Federal, com a autorização do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). As informações sobre o voo integram o relatório da Polícia Federal que tem Temer e Loures como investigados e foram divulgadas nesta quinta-feira (22) pelo jornal O Estado de S.Paulo.
A PF também concluiu que Rocha Loures tinha uma grande preocupação de chegar a São Paulo no horário marcado. Por isso, mesmo com a possibilidade de voar em avião da FAB, o ex-assessor de Temer solicitou à sua assessora na Câmara, identificada como Alessandra, que utilizasse verba pública parlamentar para comprar uma passagem em voo comercial, caso houvesse algum imprevisto com a carona de Kassab.
“Entende-se uma preocupação em embarcar em tal dia, inclusive existe a menção a um jantar as 20 horas em São Paulo”, registrou a PF no relatório. “No mesmo diálogo, Rocha Loures menciona manter o voo com Kassab.”. Loures pediu à assessora que providenciasse "volta no outro dia, ou seja, após o encontro com Ricardo Saud", indica a PF, em referência ao lobista da JBS que entregou o dinheiro ao ex-deputado.

Na Alemanha já não suportam mais os muçulmanos.

Texto de uma médica tcheca.Ela é anestesiologista e trabalha num hospital de Munique. Vejam o que está acontecendo no atual ambiente multicultural da Alemanha, segundo o que ela relata.


"Ontem tivemos uma reunião sobre como a situação aqui e em outros hospitais de Munique ficou insustentável. As clínicas não conseguem lidar com emergências e assim começam a enviar tudo para os hospitais.
Muitos muçulmanos estão recusando ser tratados por funcionários do sexo feminino e, nós, as mulheres, estamos nos recusando a trabalhar entre africanos especialmente. As relações entre a equipe e os migrantes está indo de mal a pior. Desde o último fim de semana, migrantes que vão a hospitais têm que ser acompanhados por policiais.

Muitos migrantes têm AIDS, sífilis, tuberculose aberta e muitas doenças exóticas que, aqui na Europa, nem sabemos como tratar. Se recebem uma receita, aprendem na farmácia que têm que pagar em dinheiro. Isto leva à explosão de insultos inacreditáveis, especialmente quando se trata de remédios para crianças. Eles abandonam as crianças com o pessoal da farmácia e dizem: Então, curem-nas vocês! Portanto, a polícia não tem que proteger apenas clínicas e hospitais, mas também grandes farmácias.
Só podemos perguntar: Onde estão todos aqueles que, nas estações de trem e na frente das câmeras de TV, mostram cartazes de boas-vindas?Sim, por enquanto as fronteiras foram fechadas, mas um milhão deles já estão aqui e, definitivamente, não seremos capazes de nos livrar deles.Até agora, o número de desempregados, na Alemanha, era de 2,2 milhões. Agora vai ser 3,5 milhões. A maioria destas pessoas é completamente não empregável. Um mínimo deles tem alguma educação.

E mais: suas mulheres não fazem coisa alguma. Estimo que uma em dez está grávida. Centenas de milhares trouxeram consigo lactentes e crianças menores de seis anos desnutridas e negligenciadas. Se isto continuar, e a Alemanha reabrir suas fronteiras, eu voltarei para casa, na República Tcheca. Ninguém vai poder me segurar aqui, nem com o dobro do salário. Eu vim para a Alemanha e não para África ou Oriente Médio.
Mesmo o professor que dirige o nosso departamento falou da tristeza em ver a mulher da limpeza fazendo seu serviço, há anos por 800 Euros, e depois encontrar homens jovens estendendo a mão, querendo tudo de graça e, quando não conseguem, se alteram.

Eu realmente não preciso disso! Mas estou com medo de, se voltar, encontrar o mesmo na República Tcheca. Se os alemães, com os seus recursos, não conseguem lidar com isto, lá seria o caos total. Ninguém que não tenha tido contato com eles pode ter uma ideia de que espécie s que são, especialmente os da África, e como os muçulmanos agem com soberba religiosa sobre a nossa equipe.
Por ora, nosso pessoal ainda não foi reduzido, em consequência das doenças trazidas para cá, mas, com centenas de pacientes todos os dias, isso é apenas uma questão de tempo.

Num hospital perto do Rheno, os migrantes atacaram a equipe a facadas, depois de trazerem um recém-nascido de 8 meses, que estava à beira da morte, arrastado através de meia Europa, durante três meses. A criança morreu, depois de de dois dias, apesar de ter recebido os melhores cuidados, numa das melhores clínicas pediátricas da Alemanha. O médico teve que passar por cirurgia e duas enfermeiras foram para a UTI. Ninguém foi punido. A imprensa local é proibida de noticiar. Nós ficamos sabendo por e-mail.
O que teria acontecido a um alemão, se ele tivesse esfaqueado um médico e duas enfermeiras? Ou se ele tivesse jogado sua própria urina, infectada por sífilis, no rosto da enfermeira e a ameaçado de contaminação? No mínimo, iria ser preso imediatamente e depois processado. Com esse povo, até agora, nada aconteceu.

Então, pergunto: onde estão todos aqueles que saudaram sua vinda e os recepcionaram, nas estações ferroviárias? Sentados, bonitos em casa, curtindo suas organizações não lucrativas, aguardando ansiosamente os próximos trens e o próximo lote de dinheiro em pagamento dos seus préstimos como recepcionistas???!!!
Se fosse por mim, eu arrebanharia todos esses recepcionistas e os traria primeiro aqui, para a ala de emergência do hospital, para agirem como atendentes, depois para um alojamento de migrantes, para que possam cuidar deles lá mesmo, sem policiais armados, sem cães policiais, que hoje podem ser encontrados em todos os hospitais da Baviera, e sem ajuda médica."

Eis o teor do desabafo desta profissional, que nos pode dar uma ideia do que está sendo preparado, como futuro, através da multiculturação, que está sendo impingida aos povos do Velho Continente, principalmente à Alemanha.
Uma coisa é a solidariedade, e outra é a ingenuidade...

Texto retirado da Internet

video
No Brasil, brasileiros esperam anos por licença e são preteridos por muçulmanos recém chegados. No Rio de Janeiro, nossos compatriotas ficam sujeitos a terem suas mercadorias apreendidas pela fiscalização enquanto os "imigrantes" obtém fácil e rapidamente.



A grande maquiagem se desfez.

A enchente, a corrupção, a falta de escolas e de professores, a falta de hospitais, a insegurança... nada acabou. 

O antigo prefeito fez tudo para maquiar o Rio de Janeiro, fez tudo para a cidade virar páginas do mundo inteiro. Hoje, mora em Nova York e é CEO de empresa chinesa com ligações estreitas com a venda de equipamentos e vagões para o metrô do Rio.
E hoje, o Rio que ele deixou volta a ganhar destaque quando a região mais rica da cidade submerge com uma chuva de dez horas.

O Rio do museu de bilhões de reais, do VLT de alto custo e benefícios sociais e financeiros sem resultado, e ainda com uma dívida de R$ 900 milhões, vê seu comércio falido e engolido pela inundação, por obras desnecessárias em suas ruas, como se essa água pudesse apagar o incêndio de suas contas atrasadas que levam à falência.
A região mais rica da cidade paga pela omissão de um prefeito que se preocupou em empreender bilhões de reais numa região onde se mata por um celular: a Zona Portuária, cercada por comunidades assoladas pela crise e pela destruição causadas por esses administradores nesses últimos anos. Administradores que fizeram com que os mais pobres e sofridos, na luta pela sobrevivência, não tenham sequer o direito - pela raiva do que veem na corrupção e na anomia - de respeitar as leis. Ainda mais quando estes mais pobres percebem que os "fazedores" das leis são também os fabricantes de suas desgraças, quando roubam e malversam o dinheiro público.
Ontem e hoje, o Rio de Janeiro é o retrato do que fizeram estes homens. Em compensação, pode ser também uma primeira paga para aqueles que vivem nessa região, onde esses quadrilheiros foram tão bem votados. 
Bombeiros auxiliam a retirada de pedestres que ficaram ilhados durante o temporal no Jardim Botânico 

Se a sofridão fosse só desses homens, tudo bem. Mas não é. É dos pobres trabalhadores, que voltam para as suas quatro horas diárias de transporte para casa, para poderem dormir quem sabe outras quatro horas, e depois gastar mais quatro horas para chegar aos seus locais de trabalho sacrificante e desgastante, onde ganham seus salários mínimos e adiam um pouco mais suas mortes de fome.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Um General testemunha na defesa de Lula?

General promovido por Lula é testemunha do petista em processo da Lava Jato.

General de Divisão Expedito Alves de Lima à direita

Expedito Alves de Lima vai depor na ação penal que trata da compra de terreno pela Odebrecht, destinado ao Instituto Lula.


O general Expedito Alves de Lima presta depoimento na manhã desta terça-feira (20) à Justiça Federal do Paraná, no âmbito da Operação Lava Jato. Ele é testemunha do ex-presidente Lula, no processo que envolve a compra, pela Odebrecht, de um terreno em São Paulo para a construção do Instituto Lula. Lima serviu no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República como diretor do Departamento de Gestão entre 2007 e 2010, até ser promovido a general pelo petista. Atualmente, ocupa o posto de general de divisão, um dos mais altos do comando do Exército. O militar se orgulha de seu passado humilde na seca da Paraíba. Ele foi admitido como engraxate em uma unidade militar no Rio de Janeiro quando tinha apenas 10 anos de idade. Lima costuma comparar sua trajetória à do ex-presidente, também de origem nordestina e que conseguiu chegar ao mais alto cargo público do país.

Considerando a possibilidade de uma eleição direta, considerando a possibilidade de afastamento do General Villas Bôas por problemas de saúde e a possibilidade de Lula voltar à Presidência, é muito oportuno esse “favorzinho” que lhe será prestado. O "favorzinho", caso Lula volte, pode lhe render mais uma promoção e o Comando da força Terrestre. Mas corre o risco de ser preso por mentir na Justiça, já que as provas contra Lula são incontestáveis.

O SOCIALISMO BRASILEIRO


O socialismo em tese deveria, pelo próprio nome, estar profundamente vinculado ao bem estar social e buscar, através do crescimento político dos trabalhadores, a diminuição das desigualdades entre classes sociais. Contudo, OBVIAMENTE ISSO NÃO TEM NADA COM O BRASIL DE HOJE.
A “democracia” brasileira hoje tem mais de 14 milhões de desempregados, uma concentração de renda bem razoável,   nível educacional baixo e uma crise na rede hospitalar pública. Fica bonito nos partidos políticos o S de social ou T de trabalhista mas a realidade da nossa democracia é que ela dá um banho de crueldade e alienação do povo quanto a riqueza da nação.
O chavão da esquerda fundamentada em parcela das idéias de Karl Marx de que a Burguesia explora o proletariado- Os ricos capitalistas exploram o povo. Eu não me sinto explorado pelos capitalistas pois é o liberalismo que gera empregos e empregados consomem sapatos, frutas, casas , carros, viagens, celulares, educação etc. Não me importa se um ser humano tenha um grande negócio  seja rico. É um princípio acumulativo. O maior fracasso é do socialismo brasileiro que gera uma carga tributária de quase 50 por cento e, de fato ,aliena o povo de seus direitos básicos- saúde,  habitação,  educação,  trabalho e segurança. 
E nós não vemos grandes perspectivas de mudar em 2018. Temos que apoiar a Justiça Federal, a PF, a Procuradoria e outros através das mídias pois a corrupção e seus corruptores são os piores criminosos. Quando desviam verbas de hospitais se igualam a assassinos hediondos pois certamente pessoas morreram e morrerão por falta de cuidados, quando desviam verbas de estradas outros morrem de acidentes, outros perdem empregos e safras por não poderem escoar , quando desviam dinheiro do ensino tomam o futuro das crianças e a qualidade de vida dos professores.
Devemos não votar mais nestes corruptos, seus amigos e indicados pois sem foro privilegiado caem fácil nas malhas da justiça,  principalmente Federal.
Outra coisa, para finalizar desejo que os corruptos sejam julgados  como criminosos comuns, pois muitos deles poderão voltar, como já voltaram, não todos, como perseguidos políticos que lutaram pela democracia e pelo povo. A maior desgraça de um país é a não punição da corrupção somado ao fim da meritocracia. A não punição da corrupção é um vírus que faz com que mais e mais pessoas fundamentem suas ações em idéias e valores distorcidos. Desejo escola, hospitais e nosso imposto sendo fonte de financiamento de empresas honestas que querem crescer empregando. Enfim, fiquemos atentos, pois as gerações futuras merecem a qualidade de vida que não temos hoje.



O Mapa da corrupção no Brasil.

Se você analisa as delações da JBS, as da Odebrecht e as das demais empreiteiras, a conclusão é mais ou menos a seguinte:
O Brasil foi dividido entre cinco grandes quadrilhas nas últimas duas décadas.


A maior e mais perigosa, diferentemente do que diz o Joesley, era a do PT. Era a mais estruturada, mais agressiva, mais eficiente e com planos de perpetuação no poder. Comandava a Petrobras, vários fundos de pensão e dividia o poder com as quadrilhas do PMDB nos bancos públicos. Sua maior aliada econômica foi a Odebrecht. O chefão supremo era o Lula. Palocci e Mantega, os operadores econômicos. Era o Comando Vermelho da política: pra se manter na presidência eram capazes de fazer o Diabo.

A segunda maior era a do PMDB da Câmara. Seus principais chefões eram Temer e Eduardo Cunha. Eliseu Padilha, Geddel Vieira Lima, Moreira Franco e Henrique Eduardo Alves eram os subchefes. Lúcio Funaro era o operador financeiro. Mandava no FI-FGTS, em diretorias da Caixa Econômica, em fundos de pensão e no ministério da Agricultura. Por causa do controle desse último órgão, tinha tanta influência na JBS. Era o ADA dos políticos - ou seja, mais entranhada nos esquemas do poder tradicional e mais disposta a acordos e partilhas.

A terceira era o PMDB do Senado. Seu chefão era Renan Calheiros. Seu guru e presidente honorário, José Sarney. Edison Lobão, Jader Barbalho e Eunício Oliveira eram outras figuras de proa. Mandava nas empresas da área de energia e tinha influência nos fundos de pensão e empreiteiras que atuavam no setor. Vivia às turras com a quadrilha do PMDB na Câmara, que era maior e mais organizada.

A quarta era o PSDB paulista, cuja figura de maior expressão era o Serra. Tinha grande independência das quadrilhas de PT e PMDB porque o governo de São Paulo era terreno fértil em licitações e obras. A empresa mais próxima do grupo era a Andrade Gutierrez, mas também foi financiada por esquemas com Alstom e Odebrecht.

A quinta e última era o PSDB de Minas -- ou, para ser mas preciso, o PSDB do Aécio. Era uma quadrilha paroquial, com raio de ação mais restrito, mas ainda assim mandava em Furnas e usava a Cemig como operadora de esquemas nacionais, como o consórcio da hidrelétrica do Rio Madeira.

Em torno dessas "big five" flutuavam bandos menores, mas nem por isso menos agressivos em sua rapinagem -- como o PR, que dava as cartas no setor de Transportes, o PSD do Kassab, que influenciava ministérios poderosos como o das Cidades, o PP, que compartilhava a Petrobras com o PT, e o consórcio PRB-Igreja Universal, que tinha interesses na área de Esportes.

Havia também os bandos estritamente regionais, que atuavam com maior ou menor grau de independência em relação aos nacionais. O PMDB do Rio e seu inacreditável comandante Sérgio Cabral, por exemplo, chegaram a ser mais poderosos que os grupos nacionais. Fernando Pimentel comandava uma subquadrilha petista em Minas. O PT baiano também tinha voo próprio. Elas se diferenciam das quadrilhas tucanas que estavam apenas circunstancialmente restritas aos territórios que comandavam -- mas sempre tiveram aspirações e influência nacionais.

Por fim, vinham parlamentares e outros políticos do Centrão, que eram negociados de maneira transacional no varejo: uma emenda aqui, um caixa 2 ali, uma secretaria acolá...

Digo tudo isso não para reduzir a importância do PT e o protagonismo do Lula nos crimes que foram cometidos contra o Brasil. Lula tem de ser preso e o PT tem que ser reduzido ao tamanho de um PSTU.
Mas ninguém pode dizer que é contra a corrupção se tolerar as quadrilhas do PMDB ou do PSDB em nome da "estabilidade", "das reformas" ou de qualquer outra tábua de salvação que esses bandidos jogam para si mesmos.


E que ninguém superestime as rivalidades existentes entre esses cinco grandes grupos. Em nome da própria sobrevivência eles são capazes de qualquer tipo de acordo ou acomodação e farão de tudo para obstruir a Lava Jato.

Por Paulo Chagas, General Exercito Brasileiro