sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

27 de janeiro, Dia da Memória pelas Vitimas do Holocausto.



No dia 27 de janeiro de 1945, as tropas do Exército soviético destruíram a entrada do campo de concentração de Auschwitz, na atual Polônia, e, desde então, a Europa faz uma série de celebrações para lembrar os horrores do Holocausto nazista.
O Dia da Memória pelas Vítimas do Holocausto contará com uma celebração em um dos locais das atrocidades da Segunda Guerra Mundial, o campo de concentração de Auschwitz, mas a Itália também lembra o episódio com eventos e mostras fotográficas sobre o tema.

O Dia da Memória pelas Vítimas do Holocausto contará com uma celebração em um dos locais das atrocidades da Segunda Guerra Mundial, o campo de concentração de Auschwitz.

"Recordar é o antídoto mais forte contra o esquecimento e a indiferença, e o instrumento mais importante para traçar uma nova estrada", disse a prefeita de Roma, Virginia Raggi, durante uma celebração com estudantes de escolas da capital italiana. Há cerimônias ainda em Florença, Veneza e Milão.

Em Roma, uma mostra que lembra o sofrimento das pessoas nos campos de concentração nazistas e a vida dos sobreviventes, feita pelo fotógrafo Simone Gosso, também está ocorrendo na capital.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, divulgou uma mensagem pelos 72 anos do fim dos campos de concentração e lembrou que "nesses tempos desafiadores, a memória não é apenas uma lembrança do passado, mas é o compasso para não repetir os mesmos erros no futuro, sem cair nas mesmas armadilhas que fizeram com que permitíssemos que a discriminação e o ódio se espalhassem".

Não repedir no presente os erros do passado? A esquerda não se comove como não aceita que o holocausto tenha acontecido, como também não se comove com o massacre de cristãos que acontecem nos dias de hoje na Síria. Como seus similares terroristas que assassinam pessoas pelo mundo e também desconhecem o holocausto, são “gêmeos siameses”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário