sábado, 7 de janeiro de 2017

Sofri "bullying" dos militares.


No ano de 1973 seguia eu pela Vila militar, na época com 14 anos e, passando em frente a Escola de Comunicações em Deodoro, sofri um “bullying” do militar da guarda por ter meus cabelos compridos.

Juro, foi terrível isso para mim, me causou sérios transtornos na minha adolescência recém iniciada. Minha vida se transformou, nunca mais fui o mesmo. Ainda naquele ano entrei num “cursinho” preparatório e prestei concurso para a EPCAr, não logrando êxito na aprovação. Tentei de novo e no ano de 1.975 lá estava eu, na Escola Preparatória de Cadetes do Ar.



Nunca mais meus cabelos cresceram, foram 34 anos como militar (FAB e PMERJ) e já sete anos na Reserva (aposentado) Viu o que o “bullying” fez comigo?


Hoje não pratico “bullying”, mas o que aprendi nessas décadas me  incentivam a agora ir novamente para a Vila Militar “bulinar”, mexer com o brio dos militares, despertar seu amor patriótico que, por mais que não transpareça, ainda existe dentro de cada um deles.


Vamos “bulinar” na Vila Militar, é uma experiência indescritível!

Na primeira vez recebi voz de prisão, na segunda vez fui advertido sobre a possibilidade de prisão mas continuei a me manifestar.  Na terceira vez interditei meia pista de rolamento da Vila Militar, o efetivo PE a pé, a cavalo, de viatura e de moto se limitaram a nos observar e registrar em fotos e vídeos. 

Já na quarta vez eles só chegaram quando já havíamos terminado nossa manifestação, restando um forte cumprimento de mão e a conhecida continência militar.

2 comentários:

  1. obrigado por fazer o que eu gostaria de fazer

    ResponderExcluir
  2. se o alto comndo do exército nem quer saber de intervenção!! já foram vacinados em 21 anos. não aguentaram o tranco.

    ResponderExcluir