quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A mídia só mostra um lado. GLOBO, vai "TOMATECRÚ"

                           Major Elitusalem Freitas ao centro

Uma averiguação da Polícia Militar do Rio constatou indícios de que o major Elitusalem Freitas cometeu os crimes de incitamento e publicação ou crítica indevida, previstos no Código Penal Militar. Segundo apuração da Corregedoria da corporação, o oficial fez postagens no Facebook insuflando PMs a matarem criminosos e defensores de Direitos Humanos. Ele escreveu ainda críticas ao Curso de Formação de Oficiais deste ano. O militar também será submetido a Conselho de Justificação que poderá culminar com sua expulsão da PM.

A conclusão do procedimento da corregedoria foi publicado no Boletim Disciplinar Reservado da corporação dessa quarta-feira. A investigação será encaminhada ao Ministério Público para que seja oferecida denúncia. De acordo com o boletim, seu porte de arma deve ser revogado e sua carteira funcional, recolhida.
Este jornaleco deveria se instruir melhor antes de informar o que não tem conhecimento. Se um “procedimento” vislumbra cometimento de crime militar, deve ser imediatamente suspenso e instaurado um IPM, este sim, competente para apurar e denunciar.
Logo, o “procedimento” é meramente instrumento de apreciação disciplinar, não tem competência de encaminhamento ao Ministério Público, só o IPM faz isso e assim mesmo ao Ministério Público Militar.
Se a fonte de informação deste "jornaleco" foi a PMERJ, o que está omitido, mostra que está muito a dever a verdade dos fatos e dos "procedimentos".

O Major PMERJ Freitas afirma que em nenhum momento o "jornaleco" tentou contato, não oportunizando seu Direito ao Contraditório e Ampla Defesa, tão em falta nos dias de hoje e também nos "procedimentos " da PMERJ. Major Elitusalem Freitas frisa que: "Como sempre prevalece a ultima palavra da mídia e se quiserem ser justos, coloquem junto a matéria o link de seu vídeo".
#RetrocederNunca!

A vontade política é assim, eliminar seu opositor com falsas acusações, escondendo a verdade e cooptando um FDP que coadune com ela. E na PMERJ isso é fácil acontecer.

Força e Honra! HURRA!!! 


Ex-chefe do Estado-Maior, Ricardo Pacheco abriu investigações, mas foi preso como mentor do bando que roubou milhões da saúde PMERJ.

Muito estranho a instauração de Conselho de Justificação, que pode excluir com perda da Patente ou Reformar ex ofício o oficial. Tivemos noticiais de outros, que escancaradamente, roubaram o dinheiro dos policiais, dinheiro da Saúde do policial, dinheiro que sai do bolso do policial, e que até hoje não se cogita a exclusão. Será que por detrás do assalto ao dinheiro do policial, que foi de milhões, há a política envolvida?

Nenhum comentário:

Postar um comentário