terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A sociedade gastaria R$ 18,8 bilhões só para pagar as HORAS EXTRAS dos MILITARES.

General MOURÃO quebra o silêncio e fala que a sociedade gastaria R$ 18,8 bilhões só para pagar as HORAS EXTRAS dos MILITARES.


Revista Sociedade Militar – RJ. Depois de meses seguidos de silêncio após a crise desencadeada por suas declarações sobre a incompetência do governo DILMA e necessidade de engajamento da sociedade em uma luta para salvar o país, o General de Exército Antônio Hamilton Martins Mourão, que desde a época vinha se mantendo discreto, emite um comunicado público onde descreve a situação diferenciada dos militares das Forças Armadas e a “economia” que a sociedade faz em mantê-los em situação “previdenciária” diferenciada.


A voz de MOURÃO é considerada fortíssima na medida em que é considerado por grande parta da caserna e sociedade em geral como militar honrado, desassombrado e que em momentos cruciais vividos pela sociedade diz o que tem que ser dito. O caráter do general é admirado a ponto de frequentemente uma "estátua" inflável que o representa ser erguida em manifestações contra a esquerda em vários locais do país.


Pelo linguajar agora utilizado pelos comandos militares e oficiais do alto escalão percebe-se que as forças estão contra-atacando em busca de reparar o estrago feito pela imprensa que passou meses "informando" que os militares seriam os responsáveis pelo suposto rombo na previdência. Termos como HORAS EXTRAS e FGTS, usuais e de fácil compreensão para a sociedade civil, são cada vez mais utilizados em textos e palestras de oficiais generais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário