segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

É época de "retronaba"!

RESULTADO CASO DA PRISÃO DE OITO POLICIAIS MILITARES DA UPP TURANO.

Continuem cometendo delitos em nome da disciplina e hierarquia, a "retronaba" será insuportável

“retronaba” é o termo popular que indica que, para se prejudicar alguém deve-se fazer com embasamento e conhecimento legal, do contrário pode-se virar réu onde antes figurava como acusador.

O Dr. Sandro Figueiredo em atendimento aos oito policiais militares da UPP Turano que foram presos  no dia 13/02/2017 (hoje) pelo 1º Tenente Belo a mando do Capitão Silva, acusados de cometerem os crimes previstos nos artigos 149 e 163 do CPM (Motim e Insubordinação) pelo fato de terem se recusado a cumprir ORDEM ILEGAL daquele oficial, que determinou que os policiais subissem o morro do Turano SEM ARMAS E SEM COLETES para realizarem a rendição do serviço. Momento em que os policiais pediram que o oficial emanasse a ordem por escrito e assinada, o que após recusar, DEU VOZ DE PRISÃO aos mesmos, conduzindo-os para a CPP, onde os policiais foram ouvidos, não na DPJM, mas na 2ª seção. 

Com a presença do Dr. Sandro Figueiredo, foram apontados o Crime previsto no artigo 174 (Rigor Excessivo) do CPM cometido pelo 1º Tenente Belo, bem como Abuso de Autoridade tipificado na alínea “a” e “i” do artigo 3º da lei 4898/68 cometido pelo mesmo oficial e pelo Capitão Silva.

Os policiais militares foram imediatamente postos em liberdade pelo Comandante da Unidade, que sabiamente, por entender ilegal e sem qualquer fundamentação aquela prisão, não manteve os policiais presos administrativamente por 72 horas, liberando-os de imediato, haja vista a pronta intervenção já ter ocorrido.


Diante de tais fatos, por estarem presentes indícios de autoria e materialidade delituosa, está sendo proposta contra o 1º Tenente Belo e Capitão Silva as denuncias cabíveis junto ao Ministério Público Comum pelo crime cometido pelos oficiais em questão, além das ações administrativas cabíveis pelo ABUSO COMETIDO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário