sábado, 11 de fevereiro de 2017

Não as deixem só!


Guerreiros são pessoas
Tão fortes, tão frágeis
Guerreiros são meninos
No fundo do peito
Precisam de um descanso
Precisam de um remanso
Precisam de um sono
Que os torne perfeitos
É triste ver meu homem
Guerreiro menino
Com a barra do seu tempo
Por sobre seus ombros
Eu vejo que ele berra
Eu vejo que ele sangra
A dor que tem no peito
Pois ama e ama
(Guerreiro menino - Gonzaguinha)


Vimos, presenciamos e vivenciamos por anos a morte, a decapitação, o esquartejamento e a incineração de nossos policiais. Foram milhares no curso do tempo! A sociedade se calava, não deu atenção, não se ressentia com a mortandade de homens e mulheres que são também a sociedade que morre no dia a dia deste Brasil. São mais de 60.000 mortes violentas por ano, superior ao que a guerra do Vietnam ceifou em mais de uma década de conflito.


Associe-se a isso o descaso governamental, a falta de condições de trabalho, o armamento sem manutenção, as viaturas sem blindagem e, por fim, a falta do fruto do seu trabalho. O sustento das famílias policiais, como todo o funcionalismo público do Estado do Rio de Janeiro. Nomes sendo negativado, dividas não sendo pagas, os juros somados a isso. É lógico que o resultado é previsível!

Hoje no Estado do Rio de Janeiro um pavio está aceso e assim como ocorreu no Espirito Santo este pavio vai queimar até atingir o “petardo” explosivo. Aí não haverá como consertar o estrago causado. Nos fatos ocorridos no Espirito Santo o pavio foi aceso há um mês, percorreu seu caminho não lhe sendo dada atenção, ele explodiu!


A sociedade é a única com capacidade de “apagar” este pavio, com sua solidariedade, com seu apoio e com sua cobrança. Um governo criminoso, atuando em várias modalidades criminosas precisa ser eliminado, o PMDB precisa ser extirpado.

As Guerreiras sozinhas conseguiram o que ninguém conseguiu, chamar atenção para a falácia pública. As “Leoas” vendo seus filhos chorar, vai à caça!


Diante deste cenário vimos as esposas de policiais sozinhas e, como sociedade fomos levar nosso apoio. À cada unidade da PMERJ que chegávamos a alegria delas era visível, elas choraram, agradeciam, queriam e precisavam disso. Da sociedade com elas.


São dezenas de milhares de esposas, filhos, pais que podem se somar a isso. Como eu disse, o “pavio” está aceso. Embora uma certa mídia vendida teime em afianças as palavras mentirosas do governo, a manifestação legítima das esposas de policiais está surtindo o efeito, não o efeito desejado, pois, o governo teima em provocar esta situação. Os saques de lojas aconteceram, os arrastões aconteceram, como também roubos e furtos aumentaram. Em Bonsucesso e Penha lojas fecharam com os arrastões e saques nas lojas, na Baixada fatos idênticos também ocorreram em São João de Meriti. Mas estou certo de que a mídia vendida nada divulgou.


Portanto, os deputados hoje “gradeados” dentro da ALERJ, que teria de ser transformada em presídio definitivo, prestem muita atenção! Os sinais estão mais do que evidentes e a sociedade deve estar atenta aos verdadeiros culpados pelo caos que se aproxima.


Um comentário:

  1. Elas não estão sozinhas. O segmento da sociedade que teve a oportunidade de aprender a raciocinar. Está com elas é apoiando a Polícia Militar.

    ResponderExcluir