quinta-feira, 9 de março de 2017

FORÇAS ARMADAS resolvendo o ATOLEIRO no PARÁ


Por mais que se diga que os militares das Forças Armadas têm sido cada vez mais aplicados em atividades que destoam da sua verdadeira destinação, os comandantes militares não têm como se negar a enviar tropas para remediar os prejuízos causados à sociedade pela má administração de políticos de várias localidades do país.



O 53º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), cumprindo mais uma determinação do Ministério da Defesa, iniciou a Operação denominada Atoleiro. A “operação” será realizada entre os municípios paraenses de  Itaituba e Novo Progresso.


A ação se destina a desatolar caminhões e prestar os auxílios necessários para que a sociedade local consiga transitar entre os municípios que utilizam a BR 163. A situação da "estrada" é tão precária por conta do abandono de seguidas administrações locais que até os caminhões militares têm dificuldades para transitar pelo local. Como nós, militares, quem reside ou passa pelo local sabe muito bem que essa situação não tem nada de novidade, é assim "desde sempre".

Entre as  atividades desenvolvidas pelo 53º BIS, organização militar que é diretamente subordinada à 23ª Brigada de Infantaria de Selva, com sede em Marabá (PA), está o apoio logístico, segurança e sinalização da estrada e transporte de alimentos que chegam no aeroporto de ITAITUBA para os cidadãos de Bela Vista do Caracol.

Embora o governo tenha sido informado sobre as péssimas condições das estradas utilizadas para escoamento da grande safra de soja, nenhuma providencia foi tomada. Só com o isolamento de milhares de caminhoneiros em cerca de 5.000 caminhões carregados despertou para a situação precária a qual não teve atenção anteriormente quando avisados sobre o que deveriam saber.
Então, novamente, os militares são acionados para resolver problemas causados pela incompetência e até pelo banditismo de nossos políticos.


Nosso Exercito tem histórico em recuperação e construção de estradas com qualidade e economia de recursos financeiros, o que incentiva políticos a permanecerem na inércia de suas incompetências para, em caso de necessidade, acionar nossa Força terrestre para fazer o que não é de sua competência.

Um comentário: