quarta-feira, 22 de março de 2017

Fraude milionária na compra de coturnos para a PM

MP investiga fraude milionária na compra de coturnos para a PM.

O Ministério Público investiga um suposto esquema de fraude na compra de coturnos para a Polícia Militar. Quatro contratos entre os anos de 2013 e 2014 no valor total de R$ 2,370 milhões são os principais alvos. A fornecedora é a Susa do Brasil Indústria e Comércio de Couros Ltda, que também atende as Forças Armadas. No primeiro semestre do ano passado, quando oficiais da corporação foram denunciados por envolvimento em desvios do Fundo de Saúde da Polícia Militar (Fuspom) que podem chegar a R$ 16 milhões, foi cumprido mandado de busca e apreensão determinado pela Justiça na sede da empresa. Chama a atenção na documentação o fato de parentes do dono da Susa, Alcides de Andrade Borges, serem sócios de outras do mesmo ramo. Há suspeitas de que elas fossem usadas como fachada durante a negociação dos contratos. A coluna procurou Alcides, mas ele não retornou às ligações. Uma funcionária da Susa alegava sempre que ele não estava. A PM não se pronunciou.
Oficial doente
Preso sob a acusação de desvios de verba do Fuspom, Ricardo Pacheco foi parar no Hospital da PM. Laudos médicos já foram anexados ao processo que tramita na Auditoria da Justiça Militar. Para os mais próximos na Unidade Prisional, o oficial alegou que não sentia mais as pernas.
Uma das maiores reclamações na PMERJ é que Cabos e Soldados, a quem o Estado deve fornecer uniforme gratuitamente, estão tendo de comprar estes itens com seus parcos vencimentos. Daí vem esta notícia de que houve uma fraude milionária na compra deste calçado que eles compram no comercio especializado, fraudaram a Corporação e seus componentes, assim como roubaram o dinheiro da saúde PMERJ (FUSPOM), oriundo da contribuição de todo o efetivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário