quarta-feira, 29 de março de 2017

PM, é preciso que você reaja!


Muitos dos policiais que hoje estão morrendo diariamente nem eram nascidos quando eu estava na ativa, mas me compadeço e uma revolta toma conta de mim. Revolta também contra eles, que nada fazem para mudar o atual cenário. Eu tinha decidido não mais postar nada em defesa da vida do policial militar do Estado do Rio de Janeiro, já que eles mesmos parecem não se importar com a morte dos seus, só o fazendo nas redes sociais e esquecendo no dia seguinte ou até a morte do próximo.

Estou na Reserva Remunerada há nove anos, prestes a passar à Reforma definitiva. Porque eu iria me preocupar? Compareci a todas as manifestações pela vida do policial, em todas me decepcionei com a ínfima presença dos interessados, principalmente os da ativa. Parentes só os do morto do momento, no próximo já não compareciam.

O governo PMDB do Rio de Janeiro desde o inicio já preparava uma armadilha para os policiais, jogando os mais inexperientes numa “selva” dominada por “feras” que matam, decepam, torturam e incineram qualquer um a qualquer hora e por qualquer motivo. Parece que foi um trato, a venda de drogas nunca rendeu tanto lucro quanto no inicio das UPPs, não precisavam de “soldados” para defender seus pontos de venda, a PMERJ estava lá de graça. O lucro era tanto que as armas voltaram em grande quantidade e mais modernas, já que o ganho despertou interesses de rivais e a PMERJ não conseguiu conter as invasões de facções rivais.

video

Neste vídeo fica claro o quanto estas comunidades os desprezam, as pessoas de bem estão imobilizadas pelo medo. O policial militar caído ao chão após ser baleado, e a "cumunidade" fazendo vídeo e incentivando a roubar a arma, um fuzil, que poderia render R$ 20.000,00 rais se vendida aos traficantes. Percebe-se que o ladrão voltou e jogou a arma junto ao corpo do policial, não por arrependimento, e sim porque foi chamado atenção pelos traficantes de que aquela merda de arma não lhes servia.

A "comunidade de bem", com as modernas tecnologia, poderia, se quisesse, acabar ou pelo menos diminuir o poderio bélico/financeiro dos traficantes fazendo denuncias pelos meios disponíveis que garantem o anonimato, mas não o fazem. 

Hoje, findo o “reinado” PMDB, as viaturas voltam a ser como na década de 90, sucateadas, desmanchando e canibalizadas para que outras continuem rodando. As armas sem nenhuma manutenção, sujas, expostas à intempéries do tempo, enferrujam sem lubrificação, falhando quando o policial mais precisa dela.

Não posso simplesmente virar as costas como um “ôda-se” para jovens que morrem diariamente. Mas estes jovens também precisam valorizar suas vidas, sua profissão, seus equipamentos de uso diário.


Estarei sempre com a PM! Enquanto tiver forças para ficar de pé e andar, ombrear com eles. Mas para isso preciso deles, de suas presenças nos eventos reivindicatórios. Do contrário, não terei com quem ombrear.

4 comentários:

  1. É meu amigo, fica difícil lutar em prol de uma classe que 'não está nem aí' para sua autodefesa. Morei 19 anos no Rio de Janeiro em duas etapas: 1976 a 1993 e depois de 1999 a 2001. Tenho muitos colegas, amigos e irmãos de armas aí na Cidade Maravilhosa, mas, ... Bem, deixa prá lá! Daqui de Natal, RN, torço para a que a situação do Rio de Janeiro melhore para todos.

    ResponderExcluir
  2. Sou admirador e dependente da atuação da Polícia Militar na segurança pública incondicionalmente.

    ResponderExcluir
  3. Concordo ...
    Porém é preciso mencionar o desvio de função constitucional da Policia Militar Estadual..O combate ao Narcotráfico de drogas internacional cabe as Polícias Judiciárias Federais e Estaduais de forma que a investigação sumária cumine na prisão inclusive dos vendedores varejistas ...pois os Estados Brasileiros e o próprio País não produz essas drogas e nem o armamento utilizado pelos traficantes! !
    Daí o desvio de função constitucional gritante que persiste em nossa instituição que mesmo com as baixas assustadoras, geram um enorme lucro para cúpula e Unidades operacionsis (Batalhões) que mesmo com o efetivo parco e sem logística à contento , são impotentes para suprir a demanda da letalidade violenta nas zonas utbanas!

    ResponderExcluir
  4. Temos que comprovar a inconstitucionalidade das UPPs e reforçar as UOPs com esse efetivo desperdiçado na Segurança de vagabundos..esse caso de Manguinhos, Vila Kennedy etc..esses ataques à policiais em áreas supostamente pacificadas!! Como podemos explicar esses fatos?
    Existe processo de pacificação?
    Cadê a Prefeitura?
    Porq a insistência numa forma de policiamento fracassada em que o seu cocriador se encotra preso no Complexo do Gericino?

    ResponderExcluir