quarta-feira, 29 de março de 2017

Quem é a Ministra que soltou Adriana “Cabral” Anselmo?


Maria Thereza de Assis Moura, conhecida como “Delegada” ou “Delê” para os íntimos, não prestou concurso para juiz. Era advogada e foi nomeada por – adivinhe - ele mesmo, o notório presidente Lula, para assumir uma vaga destinada a advogados no STJ em 2005. A ministra - que nunca foi Juiz e lá chegou assim como Dias Toffolli e Ricardo Levandowiski, sem prestar concurso, este último indicado por Orestes Quércia para o Tribunal de Alçada! - é fã ardorosa dos Direitos Humanos, sendo especialista em conceder liminar em Habeas Corpus para soltar criminosos. Entre outros, ela garantiu que o jornalista Pimenta Neves, aquele diretor do Estadão que assassinou a namorada e confessou, ficasse solto até o último grau de recurso. Mandou soltar também Thiago Paiva, sobrinho de Tião Vianna, amigão do Lula e do PT, quando era indiciado por formação de quadrilha, formação de cartel, corrupção ativa e passiva. Entre seus vários trabalhos, sempre a favor dos Direitos Humanos, contesta o rigor com que são tratados os presos acusados de crimes hediondos. Ela acha que condenados por crimes hediondos devem ter progressão para sair mais rapidamente da cadeia. 


Ela é uma espécie de Maria do Rosário de toga. Desta vez, numa operação Solta a Jato, atropelou uma decisão de Desembargador Abel Gomes, do TRF, mandando soltar uma criminosa TRÊS DIAS após ele mandar Adriana Ancelmo continuar presa em Bangu.

3 comentários:

  1. Brazil, zil, zil... (com Z mesmo)...

    ResponderExcluir
  2. Daqui a pouco concede internet porque os meninos precisam para os trabalhos escolares. Telefone também porque os meninos precisam ligar para o pai preso. A juiza esquece que essa mulher pode corromper as crianças.

    ResponderExcluir
  3. Essa ministra determinou que na casa não pode ter internet ou telefone. Como os meninos vão fazer os deveres de casa, sem internet? Como vão se comunicar com os amigos? Como vão pedir pizza?

    ResponderExcluir