segunda-feira, 20 de março de 2017

Um "presidente" apostando na ignorância dos avaliadores.

Temer diz que esquema de fraude em frigoríficos atinge pequena parte do setor.
Temer convidou embaixadores de países importadores para uma churrascaria neste domingo

Diferente de Dilma, que só de abrir a boca, todos, dos mais aos menos cultos, já percebiam que iam ser ditas besteiras, o ainda presidente Temer minimiza o problemas usando percentuais como se fossem desprezíveis. Mais não são!

A operação deflagrada pela polícia federal atingiu em cheio as maiores empresas de alimentos do País, como também as maiores exportadoras. Temer em sua nota alega que o problema atingiu uma “pequena” parte do setor. Sim, uma pequena parte em percentual de empresas existentes, mas em volume de produção representa quase uma totalidade se levarmos em conta as diversas marcas administradas pelas empresas criminosas.

Quanto aos funcionários envolvidos, Temer também minimiza, alegando que 33 é um numero inexpressivo levando-se em conta a quantidade de funcionários ligados ao Ministério da Agricultura, 11 mil servidores. Mas, e se levarmos em conta só o numero de fiscais responsáveis por este ramo? É claro que é um percentual significativo, né “presidente”?



Se olharmos para as cifras milionárias que estas mesmas empresas dispensaram para a campanha da chapa Dilma/Temer, talvez encontremos explicações do desespero de Temer em minimizar o problema, afinal, ninguém dá nada sem esperar algo em troca. E esse “algo” está sendo cobrado agora! Não são simples adulterações, foi envenenamento da população brasileira e estrangeira que consumiu esses produtos não se sabe há quanto tempo.

O prejuízo para o setor será imenso em curto prazo, com demissões com o baixo consumo e consequentes prejuízos e até fechamentos de pequenas e sérias empresas.

A União Europeia já suspendeu as importações do Brasil, seguida da China e Chile. E o “presidente” tentando minimizar uma situação que em números reais representa um desastre na economia brasileira.


Não será esse “churrasco” bancado para ministros e embaixadores de 33 países importadores que vai acalentar governos ansiosos em desvendar a verdade sobre os produtos brasileiros.

Um comentário:

  1. A suspensão de importadores europeus acompanhados de outros países será um ou mais um golpe na economia brasileira que já está fragilizada !

    ResponderExcluir