quarta-feira, 12 de abril de 2017

A destruição do Rio


Alguns acreditam, como o próprio ministro da Fazenda Henrique Meirelles, que a destruição das finanças do Rio foi obra do povo. O povo é apenas a consequência dos empresários corruptores e dos governantes ladrões. São 15 anos de desmando e de corrupção lato sensu.
O Rio é forte, mas não pôde aguentar esse tipo de destruição. Hoje, até o bairro de Noel é destruído pela bandidagem. Não existe mais boemia no bairro da boemia.
A nostalgia é estimulada pela necessidade de assaltos, sequestros, tiroteios de rua e roubos de automóveis daqueles que são produtos dos nossos governantes.
Os bandidos não nascem bandidos, são feitos bandidos, muitas vezes por causa do ambiente familiar e social. Hoje, eles são criados pelos nossos governantes. O equívoco dos bandidos é delinquir contra o povo e não contra os governantes que os tornaram criminosos.

As balas perdidas não deveriam voar em lugar nenhum. Mas, caso voassem, deveriam voar nos palácios e mansões dos corruptos e corruptores.
Só este ano, já são pelo menos 51 policiais mortos. Quando um policial - sem salário ou proteção, preocupado com a educação e saúde de seus filhos - comete um desatino em função do seu estado de estresse, não pode e não deve ser tratado pelos segmentos formadores de opinião como criminoso. Tratamento de criminoso deve ser sim dado aos governantes, quando matam, quando roubam.
Como pode ser obediente o policial que assiste seu chefe maior levando para viajar o cachorro da família no helicóptero oficial do governo? Mandando seus assessores levarem mochilas de dinheiro sujo para apartamentos e esconderijos?
Hoje, uma das maiores redes hospitalares do Brasil, especializada em prestar serviços para os ricos, se realmente precisava se utilizar de métodos escusos, deveria ter se locupletado da fortuna dos ricos. Porém, ao contratarem conhecidos meliantes, se locupletaram da rede pública, se aproveitando dos privilégios de isenção de tributos, prejudicando os mais pobres.
É um método sanguessuga, com os jalecos dos envolvidos sujos de sangue.
Era o que faltava para a desmoralização deste estado, que além de assistir seus governantes roubarem de alguns segmentos empresariais, agora vê que eles entraram até no essencial serviço de saúde.
E o apartamento da Lagoa, como foi pago? Qual o valor registrado?
Um dos presos é comprador indireto de um apartamento na Lagoa. Se tiverem tempo de pegar os anúncios da mesma época na qual o imóvel foi comprado, vão ver que realmente é um apartamento que devia receber o nome de saque “Jornada nas Estrelas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário