terça-feira, 11 de abril de 2017

GLOBO manipuladora


A PM do Rio é a que mais mata e que mais morre no Brasil. Os números foram divulgados em dois estudos sobre a segurança pública no Rio. Só este ano, 51 PMs foram mortos. É um recorde para os quatro primeiros meses do ano. Essa conta é da própria polícia e começou a ser feita há 23 anos.


De lá para cá, um em cada cinco PMs foi morto ou ferido durante o trabalho ou por causa dele. E fica ainda pior se a gente contar só os policiais da capital e Região Metropolitana. O número dobra para dois em cada cinco policiais mortos ou feridos.

O percentual de policiais mortos no Rio supera o número de militares americanos mortos nas guerras em que o país entrou no século 20.

Nem mesmo numa matéria que poderia ser séria, a GLOBO mostra sua tendência em classificar a PM como assassina de homens, jovens, negros e pobres. Se omitindo que dentro destes perfis também estão os brancos e pardos. Dentro da guerra que a GLOBO declara acontecer, também omite que ela é travada nas comunidades carentes, onde o tráfico encontrou ambiente propício à sua instalação, bem como os partidos políticos que proliferam a ideia do fim da Polícia Militar.

A GLOBO usa uma “CPI” da ALERJ para dizer que os inquéritos são “arquivados” pelo Ministério Público, quando na verdade o MP requer o arquivamento ao juiz. Se o arquivamento é requerido, isso se dá por não haver nos autos fundamentação suficiente para que haja denuncia, já que o órgão ministerial é quem possui a titularidade da ação penal pública, não o podendo fazer sem subsídios comprobatórios de culpabilidade.


Por fim, a PM não é a instituição preparada para uma guerra, não é preparada para combater nesse “front” que a cada dia extermina seus componentes, assim como extermina uma sociedade. Na verdade a polícia militar está adaptada no enfrentamento desta guerra. A finalidade da polícia não é guerrear, pois numa guerra se mata para não morrer e tem a legislação amoldada para esta situação, de GUERRA.


Um comentário:

  1. Exatamente. ..as policias estaduais não possuem a função constitucional do combate ao Narcotráfico internacional de drogas.. Até teria condição de se estruturar devido ao seu vontingente e localização das UOPs...
    Teria que dar uma estrutura para esse fim ..toda a Instituição ser instruida nos molde do BOPE..Pois as questões cruciais para o sucesso das investidas seriam : formação, instrução, treinamento e logistica de combate à guerrilheiros de Cartéis varegistas de drogas internacionais!!!

    ResponderExcluir