sábado, 29 de abril de 2017

Coisas inacreditáveis de um povo insano



A mulher entra equivocadamente numa área que não pertence mais ao Estado. Recebe um tiro de traficantes que metralharam seu carro e é levada por eles para uma ONG dentro da favela. 
A mulher, sofrendo claramente da Síndrome de Estocolmo, fica feliz por sobreviver ao atentado e agradece a seus algozes por não a matarem. 
 A ONG "Luta pela Paz", ou algo assim, ao receber a vítima das mãos daqueles que ela deveria combater, pois eles são contrários a paz, encaminha a mulher baleada para um hospital do Estado Constituído, deixando claramente a certeza de que ela, a ONG, não tem razão nenhuma para existir.
Para fechar a história insana e dar a ela um tom de normalidade e aceitação, o folhetim comunista das Organizações Gobo publica desta forma:
"Médica baleada em favela foi salva por bandidos".
A única coisa que os bandidos fizeram para "salvar" essa mulher foi errar os tiros e acertar apenas um, e no ombro.
É a primeira vez na história, e só poderia acontecer aqui no Brasil, que a falta de pontaria é considerada um ato heroico.
Além de suporte jurídico e LEGISLATIVO, o crime, agora, tem assessoria de imprensa também.
Texto: Roberto Santa Rosa



Nenhum comentário:

Postar um comentário