domingo, 23 de abril de 2017

Juiz ouve ‘as ruas’ e manda soltar PMs acusados de execução


O juiz Alexandre Abrahão Dias Teixeira, do 3º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro, aceitou os argumentos do Ministério Público e concedeu a liberdade para os policiais militares Fabio de Barros Dias e David Gomes Centeno, lotados no 41º BPM (Irajá), acusados de executar dois traficantes na frente da Escola Municipal Jornalista e Escritor Daniel Piza, na Pavuna, no último dia 31 de março.

A cena foi filmada por um morador, que postou [as imagens] nas redes sociais. Nessa mesma operação, a estudante Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, acabou morrendo por balas perdidas que a atingiram na perna e na cabeça durante uma recreação no pátio. O magistrado escreveu em sua decisão que, após passar horas e horas meditando sobre a questão, ponderou “especialmente [sobre] a voz das ruas”. E citou as palavras do desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo: “As relações sociais mudaram, e a magistratura precisa mudar também. O juiz moderno não pode mais ser aquela figura da ‘torre de marfim’, especialista em temas do Direito, mas insensível ao que acontece fora de seu gabinete”.

Abrahão se mostrou preparado para as críticas que virão: “O julgamento destes fatos me dá a convicção de que a decisão, seja ela qual for, será alvo de apedrejamento público. Especialistas, mesmo sem conhecer o processo, farão ‘julgamentos’, criarão ‘teses conspiratórias’, ‘insinuações’. E continuou falando sobre [eliminar] o sobre o cenário de guerra que tomou conta do Rio de Janeiro: “A sociedade, estou consciente, está desestruturada pela guerra assimétrica enfrentada nesta ex-cidade maravilhosa. O cidadão, no final, pretende tão somente viver em paz e merece pelos altos preços que paga em todos os sentidos. Enfim! A turbulência faz parte do jogo democrático. Assim como a promotora de justiça, aceito esse ônus da função. Afinal, em momentos de intolerância extrema, nós, juízes, acabamos alvo de toda sorte de ataques!”, escreveu.


"Eu escolhi uma profissão que pouco me importa a opinião da mídia, pouco me importa o reconhecimento da sociedade, pouco me importa os perigos da carreira;
Escolhi uma profissão que quando olho para o lado vejo heróis forjados no fogo, quando coloco a cabeça no travesseiro vem a memória mais rostos que salvei do que aqueles que sentiram o rigor da Lei;
Escolhi uma profissão que corre em direção ao perigo e não foge dele;
Escolhi uma profissão que só os fortes, corajosos e sagazes sobrevivem;
E quando volto pra casa é o olhar de admiração da minha família que encontro;
Escolhi uma profissão que é sobre tudo uma razão de ser."
(Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas)


TRECHO EXTRAÍDO DO ALVARÁ DE SOLTURA DOS PMS DO 41 BPM.
Ademais, não se pode ignorar a situação de “guerra" enfrentada diariamente por policiais, pelos moradores das comunidades, trabalhadores, enfim, a situação trágica de exacerbada violência
que toda a sociedade fluminense vem enfrentando, a qual, notoriamente, vem resultando na morte de muitos inocentes, inclusive de policiais, os quais vêm sendo covardemente exterminados pela mera qualificação profissional que ostentam. Poucos atentam para a gravidade desta situação. É a proteção da sociedade que está sendo caçada e assassinada. 
Certo é, porém, que mesmo na guerra há regras que devem ser observadas. 
A famigerada frase “bandido bom é bandido morto”, muito utilizada para propagar um discurso de ódio e de negação da Justiça, deve ser reescrita: “bandido bom é bandido atrás das grades, e por longo tempo”; enquanto “policial bom é policial vivo, bem aparelhado, bem
remunerado, valorizado, respeitado e nas ruas,protegendo a sociedade e combatendo a criminalidade”!
Alexandre Abrahão Dias Teixeira
Juiz Presidente

2 comentários:

  1. UM EXEMPLO PARA OUTROS TRIBUNAIS

    ResponderExcluir
  2. CORRETÍSSIMO O JUIZ !!!,.....NOSSA SOCIEDADE NÃO AGUENTA MAIS OS ABUSOS DA CRIMINALIDADE !!!,...O JUDICIÁRI E OS MILITARES SÃO UNICOS EM PRESTÍGIO PARA OPINAR A RESPEITO DA SOCIEDADE PQRQUE ,MAUS POLÍTICOS ESTÃO DESMORALIZADOS ARRASTANDO A CLASSE P/ A LAMA SOCIAL E OS DO EXECUTIVOS NÃO FICAM ATRAS ,....VAMOS VARRER P/ SENPRE ESSES CANALHAS TOGADOS DO STJ,...COMPRADOS E VENDIDOS POR SEUS INDICADORES .,TEM DE HAVER UM SISTEMA DIFERENTE NESSA CARREIRA.

    ResponderExcluir