terça-feira, 11 de julho de 2017

A indignação de todos os dias


A imagem do policial caído ao solo hoje em Minas Gerais, segurando seu fuzil, manchando sua farda e o solo brasileiro com seu sangue, traduz uma realidade de um país que escolheu o crime como como "parceiro"!
Cabo Marcos da PMMG, que nosso Senhor o receba e conforte os seus!
Esperamos em Deus que esse país acorde e expulse os vagabundos da política, das suas casas desligando a TV e sobretudo dos seus valores escolhendo de uma vez por todas o caminho do bem!


video
Desabafo de um policial militar

Esses marginais fazem parte do bando que atacou a cidade de Santa Margarida, no interior de Minas Gerais no dia de hoje.

Mataram um vigilante do banco e o CB Marcos da PMMG. Tiraram cruelmente a vida de dois pais de família, acabaram com os sonhos de dois trabalhadores, dizimaram duas famílias.
video

video
video
Sabe o que vai acontecer com eles? Se ficarem presos após a audiência de custódia, terão direito a visitas, progressão de pena, celular, televisão, churrasco, maconha, visita íntima e durante esse tempo NÃO LHES FALTARÃO DEFENSORES! Não tarda estarão nas ruas fazendo tudo novamente!



Sabendo disso tudo, como dizer para o policial que está ali que ele não deve apertar o gatilho na primeira oportunidade?
Eles cumpriram a lei? Fizeram sua parte? Então agora que os que "vivem no ar condicionado" decidindo a vida alheia, num tribunal ou num plenário FAÇAM A SUA PARTE! POIS A POLÍCIA JÁ TEM FEITO A SUA...SOZINHA!


video


Nosso código penal é de 1941 com várias "colchas de retalhos", precisamos de uma atualização urgente contemplado dois pontos em especial:
Corrupção com penas mais severas;

Agressão a agentes da lei, pena pesada, perpétua ou pena de morte!
video
Enquanto isso não mudar, marginais travestidos de torcedor, terroristas de manifestações, traficantes (vítimas do sistema) e toda horda de bárbaros que afrontam o Estado se sentirão livres para agir como em São Januário!

Major Elitusalem Gomes De Freitas

"Com muita tristeza soube hoje, na hora do almoço, que mais um defensor da sociedade, em combate, foi impiedosamente assassinado. Pior foi ouvir o áudio de seu colega, relatando o medo daquele PM de trabalhar, de atirar, por não entender mais, em batalha, qual o liame que separa o estrito cumprimento do dever legal do abuso de autoridade.
Importante refletirmos sobre isso. Sobre em que tipo de sociedade queremos e devemos viver. Sobre o papel e único dever absoluto do Estado de prestar segurança à população de bem, que vem sendo massacrada pela bandidagem.
Onde estão os defensores dos Direitos Humanos para ampararem a família deste PM, Cabo Marcos Marques da Silva? E a família do vigilante Leonardo José Mendes?
Temos que nos indignar. O país está em guerra e nossa soberania está enfraquecendo. Barbáries são noticiadas todos os dias. Não podemos aceitar isso como um fato normal. Se queremos segurança, paz, precisamos estar do lado certo. Que Deus conforte os familiares. "

Vaneska Baruki
Juíza de Direito da Vara Criminal TJGO
Caldas Novas
A morte de um policial é a morte da sociedade, é um ato terrorista contra a população, é a forma que usam para amedrontar e intimidar. Se o policial é vitima sem que a sociedade e a Justiça nem os legisladores nada façam, pronto, o cenário é benéfico ao bandido.


Nenhum comentário:

Postar um comentário