quinta-feira, 20 de julho de 2017

Crise da corrupção pode resultar em eleição de "Trump brasileiro"

'Huffington Post' diz que consequências podem ser globais caso Bolsonaro seja eleito.



 O diário norte-americano The Huffington Post publicou nesta quinta-feira (20) uma longa matéria sobre a crise da corrupção que assola o meio político do Brasil, assim como grandes empresas, faltando pouco mais de um ano para as eleições presidenciais que acontecem em outubro de 2018.
O noticiário diz que a potência não-nuclear do mundo e a quarta maior democracia está em meio a uma crise política que parece que não acaba nunca. Nos últimos três anos, o crescente escândalo de corrupção do Brasil envolveu centenas de políticos, a presidente Dilma Rousseff foi deposta e o ex-presidente do país, Luiz Inácio Lula da Silva, foi condenado a quase dez anos de prisão e o atual mandatário está em vias de ser retirado do seu cargo.
Post avalia que a condenação e possível prisão de um ex-presidente, potencial candidato para as eleições presidenciais do próximo ano, levará o Brasil à uma crise ainda maior. Mas também deve causar preocupação para o resto do mundo. Sem um Brasil estável, será difícil - talvez impossível - resolver os problemas internacionais mais urgentes do planeta.
"O mundo precisa do Brasil", disse Mark Langevin, chefe do Instituto do Brasil na Escola de Assuntos Internacionais Elliott da Universidade George Washington.

Post avalia que a condenação e possível prisão de um ex-presidente, potencial candidato para as eleições presidenciais do próximo ano, levará o Brasil à uma crise ainda maior.

O maior recurso natural do país, a floresta amazônica, é crucial na luta global contra a mudança climática, e o debate sobre como protegê-lo continua sem resolução. O presidente do Brasil, Michel Temer, está em vias de aprovar uma legislação que remova proteções de uma área da Amazônia equivalente ao tamanho de Portugal. E após anos de progresso substancial cortando as emissões de gases de efeito estufa durante a gestão de Lula da Silva, essas emissões voltaram a aumentar nos últimos anos.

O Brasil também está no bom caminho para se tornar o maior exportador de alimentos e produtos agrícolas na próxima década. É o responsável por quase um quinto da água doce disponível no mundo e está entre os principais produtores de biocombustíveis sustentáveis, o que significa que o país está posicionado para ajudar a enfrentar os efeitos potenciais das mudanças climáticas - incluindo a escassez de alimentos e água em certas partes do mundo, acrescenta HP.
As fortes relações do Brasil com a China e a melhoria das relações com outras potências mundiais - incluindo os EUA, a Rússia e a União Européia - também permitem que ele se envolva em "um grande ato de equilíbrio" entre nações com relações mais adversárias, disse Langevin.
"Você não pode ter uma discussão séria sobre as mudanças climáticas, a sustentabilidade, a segurança alimentar, se o Brasil não estiver na mesa", disse Paulo Sotero, diretor do Instituto do Brasil no Woodrow Wilson International Centre for Scholars, com base em Washington Think tank.
Mas, acrescentou, "o Brasil que tem que estar à mesa é um Brasil credível, um Brasil que está sendo gerenciado politica e economicamente de maneira apropriada".
Ai que está o problema. Agora, a cadeira da presidência do Brasil parece desocupada.O escândalo de corrupção é uma grande razão para isso, aponta o Huffington. Lula não é o primeiro, nem será o último político a sucumbir à Lava Jato. Temer, atual presidente do Brasil, também está enfrentando acusações de corrupção e suborno que poderiam desencadear processos de impeachment no Congresso e seus críticos alegaram que seu apoio à lei de desmatamento amazônico é uma moeda de troca para ganhar o apoio da importante bancada ruralista. 
Original em: Huffpost

Um comentário:

  1. Se Trump e Bolsonaro são ERRADOS!!! adivinha quem está evando o cidadão a apoiar eles? e porque???

    ResponderExcluir