terça-feira, 1 de agosto de 2017

Criminosos e seus "tribunais"


“O juiz Sérgio Moro, da lava jato, vai a julgamento em inédito Tribunal Internacional Popular no próximo dia 11 de agosto.O Tribunal Internacional Popular será realizado em Curitiba porque a cidade sedia a força-tarefa comandada pelo juiz parcial.
A data escolhida, Dia do Advogado, simboliza a reação dos profissionais ao magistrado que age contra o Estado Democrático de Direito, partidariza sentenças, usa o lawfare contra o “inimigo” e institui o Estado Midiático Penal.”
Há, depois, outra passagem ainda mais absurda:
“Com o lema “A lava jato no banco dos réus, o Povo é o Juiz”, o Tribunal Internacional Popular tem como logomarca oficial uma fotografia estilizada de um ‘sorridente’ Moro ao lado do ‘feliz’ senador tucano Aécio Neves. O Tribunal Internacional Popular é uma iniciativa dos coletivos “Advogadas e Advogados Pela Democracia” e “Frente Brasil de Juristas Pela Democracia”.”
Via de regra, quase sempre que nos deparamos com alguma associação ou entidade cujo nome termine em “pela democracia”, podemos ter a certeza de que não é, definitivamente, pela democracia.
Aliás, é quase sempre ao contrário. Se dizem que lutam pela democracia é porque provavelmente apoiam a ditadura cubana e Nicolás Maduro.
O procurador Ailton Benedito explica que a iniciativa, além de ilegal, é criminosa, além de ser uma atitude típica de organizações criminosas:

As FakeNews divulgam que a Orcrim organiza um "tribunal internacional popular" para julgar a LavaJato. Seria piada, se não fosse crime.
No Brasil, o uso da denominação TRIBUNAL é prerrogativa exclusiva do Poder Judiciário. A pantomima "tribunal internacional popular" é ilegal.
A Orcrim montar um "tribunal internacional popular" para julgar a Lava Jato é caso típico de coação no curso do processo (art. 344 do CP)
O crime organizado costuma montar "tribunais" para julgar autoridades, condená-las e executar suas penas capitais em "
microondas".
Na Itália, durante a operação Mãos Limpas, o crime organizado também julgava, condenava e executava autoridades com tiros, bombas etc.
A pantomima chamada "tribunal internacional popular" da Orcrim para julgar a Lava Jato é mais uma identidade com a operação Mãos Limpas.
brasil on line e politica na rede

2 comentários:

  1. Um horror, soh pode ser coisa de bandido e pior !!! bandido de colarinho branco, pq bandido comum nao faz isso nao!!!!

    ResponderExcluir
  2. Coisa de esquerdista que chamam maduro de Presidente e apoiam o massacre na VNZL

    ResponderExcluir