sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Quase chegando lá.


Não pensem que a comunização de um país vem num piscar de olhos. No modelo atual, ela é gradativa e quase imperceptível, como no famigerado caso da rã que morre na água quente desde que você a esquente aos poucos. Hugo Chavez assumiu o governo venezuelano em 1999, e desde então tratou de ir mudando gradativamente a constituição Venezuelana. Seu sucessor, Nicolas Maduro, só deu continuidade ao trabalho, que agora, após 18 anos, culmina com 85% da população Venezuelana na linha da pobreza e uma inflação de 741%. 

video

Analogamente, desde que Fernando Henrique Cardoso assumiu a presidência da Republica no Brasil em 1995, ele tratou de preparar o terreno para que Luiz Inácio Lula da Silva viesse depois. Alimentou movimentos que posteriormente seriam braços armados do Partido dos Trabalhadores (PT), tais como o Movimento dos sem terra (MST), intensificou a doutrinação socialista nas escolas (seguindo assim a cartilha de seu guru (Antonio Gramsci) e promoveu diversas outras medidas preparatórias ao ponto de, ao passar o bastão do projeto socialista brasileiro para Luiz Inácio Lula da Silva, disse com todas as letras: “Você sabe que este lugar aqui é seu”
A Venezuela levou 18 anos para chegar na miséria total e no Socialismo propriamente dito. O Brasil ainda não chegou a tanto, pois apesar de haver uma hegemonia cultural socialista e um Estado totalitário no sentido administrativo (impostos abusivos, regulações histéricas, intervenções, sufocamento da iniciativa privada, etc., etc.) não há um pleno domínio das forças armadas; bem como das forças militares locais em geral, vocês já ouviram falar em fim da policia militar? Pois então… Os Esquerdos querem muito, para que haja uma só força nacional armada, subordinada a um governo central, federal, como há na Venezuela. Aliás, é justamente este conluio entre poder político, poder econômico e forças armadas que faz com que o povo venezuelano não tenha nenhuma opção.
A nossa miséria não é total mas estamos chegando lá. O Estado intervencionista não se cansa de falir empresas. Isto faz crescer o numero de desempregados que ainda são espoliados por altos impostos. O discurso cada vez mais marxistas inclusive de militares preocupa, e as campanhas de demonização das policias militares locais ganham cada vez mais adeptos. Estaríamos caminhando para a extinção dos poderes armados Estaduais e um conluio militar federal semelhante ao Venezuelano? Seriam os 12 milhões de desempregados e as prateleiras cada vez mais vazias dos supermercados um prenúncio do que ocorre na Venezuela? Aguardemos cenas dos próximos capítulos…


Rodrigo Miceli


2 comentários:

  1. MINHA PATRIA é VERDE AMARELA AZUL BRANCO!!!
    A LIBERDADE TEM SEU PREÇO...
    DEMOCRACIA SEMPRE DEMOCRACIA!!!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que nunca vi ou conheci pessoas tão infames como nossos políticos 🇧🇷🙏🔫

    ResponderExcluir