quinta-feira, 21 de setembro de 2017

General Mourão está em Comando do E.B.!


Um general quatro estrelas não se move de lá para cá sem critérios, ele tem funções tem funções específicas pertinentes ao seu posto, para onde fosse remanejado, exerceria forte influencia sobre seus comandados. Foi para Brasília, onde pensavam não exercer essa influencia. Enganaram-se!

São quase 600 parlamentares que formam o Congresso Nacional composto do Senado e Câmara dos Deputados e, desse total existem pessoas bem intencionadas que não levantam suas vozes por temerem a perda de seus mandatos, bem como sabem que outros já foram assassinados em acidentes não muito bem esclarecidos.


O General Mourão não ousaria tanto se não tivesse respaldo, se não tivesse pessoas do Legislativo e STF do seu lado. Afinal, a morte de Teori Zavascki deixou alguns Ministros receosos.


A Maçonaria em esteve presente nas grandes mudanças ocorridas neste País e hoje não está sendo diferente. Sabe-se que o bem e o mal, pessoas, fazem parte da Irmandade. Mas os do bem estão atentos e se movimentando para que os do mal sejam desmascarados.


O pânico dos criminosos foi imediato, requerimento para intimar o Ministro da Defesa, Comandante do Exercito e o General Mourão, este ultimo mesmo que coercitivamente, à força, preso. Perderam o senso do ridículo.

Mourão falou sim em nome do Exercito Brasileiro e, embora o ministro comunista da defesa tenha pedido punição para o general, o Comandante do Exercito não obedeceu. E mais ainda, O General Villas Boas que durante sua fala no Senado disse que Intervenção Militar só a pedido do Chefe de um dos Três Podres, acrescentou “na iminência de um caos”.

Embora Villas Bôas não admita ter o general Mourão falado em nome do Alto Comando, ele foi taxativo quando disse “minha visão e de meus companheiros do Alto Comando do Exercito”. O que leva a crer que o General Mourão tem apoio irrestrito de seus pares, ao contrario do general Villas Bôas que fica sozinho, restando-lhe acatar permanecendo no comando, mas não em Comando.

2 comentários: