domingo, 17 de setembro de 2017

“Se tiver que haver, haverá”

General Mourão volta à cena, fala em intervenção militar e deixa corruptos em pânico.


 

Em evento na Loja Maçônica Grande Oriente, O General Antonio Hamilton Martins Mourão voltou a cena sua fala ecoou imediatamente nas redes sociais. 


Confira um trecho da entrevista:


Questionado sobre uma possível intervenção militar, o general foi claro e objetivo: “Se tiver que haver, haverá”.

A existência dos lideres precedeu a criação dos governos. Governo que não seja exercido por lideres, é aberração. (Coronel PMERJ Paúl)

Segundo o general, o momento é de aproximação. As instituições estão sendo forçadas a cumprirem o seu papel, ou seja, a justiça está sendo forçada a ser cumprida, doa a quem doer.


Em evento na Loja Maçônica Grande Oriente, O General Antonio Hamilton Martins Mourão foi homenageado e sua fala ecoou imediatamente nas redes sociais e, certamente, a mídia comunista vai falar mal. (Marta Serrat)

Caso a justiça passe a não funcionar mais e a não punir os corruptos culpados pela atual situação no país, aí sim, seria a hora das Forças Armadas agirem.

“Ou as instituições cumprem o seu papel, ou teremos que impor”, disse o eminente general. 

Um comentário:

  1. Os terroristas de ontem utilizaram a intervenção militar para se transformarem em herois. Os crimes comuns impetrados por gente daquela laia foram escondidos sob o manto da "perseguição da ditadura". Se houver outra intervenção militar, os bandidos de hoje, condenados na Lava-Jato etc tambem se tornarão herois e tomarão o poder com o apoio da comunidade internacional. Se o Gal. Mourão quer ajudar, ensine como o povo deve se mobilizar contra o comunismo entreguista que, no Brasil, usa o pLano Real como instrumento de geração do miséria, transferindo todos os impostos para os bancos atraves do juros mais alto do mundo.

    ResponderExcluir