segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Um Desembargador sob suspeita


Esses mesmo bandidos que tocam o terror hoje na Rocinha estiveram presos pela invasão a um hotel em São Conrado, mas saíram da prisão pela porta da frende por alvará concedido pelo Desembargador Siro Darlan. Isso mesmo, um desembargador os colocou em liberdade para que voltassem a traficar, matar, roubar e impor terror na Cidade do Rio de Janeiro.

Alegou na época excesso de tempo presos sem que houvesse julgamento, do que o M.P. discordou.



Siro Darlan também é responsável pela soltura de Danúbia Rangel, mulher do traficante Nem da Rocinha, dias antes de ser condenada a 28 anos de prisão. Interessante, não?


Mulher do traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, Danúbia de Souza Rangel conseguiu na Justiça o direito de cumprir prisão domiciliar em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A decisão é do desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A "xerifa da Rocinha" será monitorada por equipamento eletrônico depois que deixar a prisão.

Hoje Danúbia Rangel é foragida da Justiça, mas pode ser vista junto a atores “globais” se exibindo sem qualquer receio.


O desembargador acumula suspeitas e até denuncia ao CNJ sobre sua conduta ao conceder liminar beneficiando um miliciano acusado de homicídio, formação de quadrilha e outros crimes em seis processos de duas Varas Criminais de Duque de Caxias. O filho do Desembargador foi defensor do preso. Interessante, não?


2 comentários:

  1. Se a Receita Federal fizesse um "pente fino" na vida financeira do dito desembargador iria ver que ela subiu misteriosamente nessa época,sem que ele ganhasse na Mega Sena...No Brasil a justiça é mesmo muito CORRUPTA..Se o bandido tiver DINHEIRO não fica preso nem um dia...
    .

    ResponderExcluir
  2. Uma safadeza total...membros do judiciário, são corruptos, comprometidos e até esclerosados e sem noção de realidade, tamanha sua distância da realidade da sociedade.

    ResponderExcluir