terça-feira, 28 de novembro de 2017

A "escrava" liberta!

Temer decide demitir ministra Luislinda Valois

O presidente Michel Temer decidiu demitir Luislinda Valois (PSDB), ministra dos Direitos Humanos. Segundo o jornal carioca O Dia, ele ainda procura uma saída honrosa para a desembargadora aposentada baiana, que ainda não teve sua saída anunciada. 

A substituta pode ser outra baiana: a deputada federal licenciada Tia Eron, atual secretária municipal de Promoção Social. A cúpula do PRB, partido de Tia Eron, estaria fazendo movimentações para tornar a indicação possível. O CORREIO tentou falar com a deputada licenciada e sua assessoria sobre um possível convite para o cargo, mas sem sucesso.

Uma deputada do PMDB também é cotada para ocupar o posto, caso seja confirmada a saída de Luislinda Valois, desgastada após o episódio em que pedia para receber salário acima do teto. 

Na ocasião, ela comparou sua situação à escravidão. Desembargadora aposentada da Bahia, ela queria receber este benefício e o salário integral de ministra, o que lhe renderia R$ 61,4 mil por mês. O teto constitucional contudo é de R$ 33,7 mil. 

No entanto, desistiu do pedido, após a polêmica. "Considerando o documento sobre a situação remuneratória da ministra Luislinda Valois, o Ministério informa que já foi formulado um requerimento de desistência e arquivamento da solicitação", informou nota divulgada pela assessoria da pasta, na ocasião.


  





3 comentários:

  1. Ela está errada em pedir o que é seu direito?
    Nós também não pedimos o que é direito?
    Se o direito que ela pede é errado, que se mudem as leis. O q não pode é achar q a nossa moral vale mais que as leis. Se as leis são imortais, que sejam mudadas.

    ResponderExcluir
  2. Que raio de comentário é esse Dá pra explicar melhor. Não sou tão inteligente assim.Ô capacidade

    ResponderExcluir