quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Carta aberta ao Ministro da Justiça


Exmo Sr. Torquato Jardim, DD Ministro da Justiça do Brasil.
Sr. Ministro:


1. Sou o Cel PM Wilton Soares Ribeiro, da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Iniciei minha carreira militar como Soldado do glorioso Exército Brasileiro, defendendo a democracia nas longínquas terras do Caribe, República Dominicana.

Tive a honra de trilhar todos os Postos do Oficialato de minha Corporação, terminando pela honra máxima de decidir seus destinos como Chefe do Estado Maior Geral e Comandante Geral.
Me orgulho de ter sido o primeiro colocado em todos os Cursos realizados em minha Corporação, bem como ter atingido posição de destaque na conclusão do Curso de Guerra na Selva , realizado no antigo COSAC, hoje CIGS/EB/Amazonas.

Deixei alguns legados em minha Corporação, o que muito também me orgulho, como: ter sido um dos fundadores do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais), e posteriormente seu Comandante,   criação da VBTP/T (Viatura Blindada de Transporte de Pessoal/Tropa), conhecida mundialmente como "Caveirão", criação do GAM (Grupamento Aeromarítimo), construção do Palácio da Caveira (Sede do BOPE), construção do Batalhão da Maré, construção da sede nova do Batalhão de Jacarepaguá (18º BPM), aquisição dos Fuzis AR.15, utilizados até hoje pela Corporação, criação dos GPAE (Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais), posteriormente conhecidos como UPP, bem como muitas outras realizações de Comando. 


2. Inicio minha missiva fazendo a pergunta que todos os seus amigos, auxiliares, funcionários, colegas de outros Ministérios, superiores, etc, devem estar se fazendo nesse momento: Onde o Sr. estava com a cabeça, quando às 4h da manhã , do dia 31 do corrente, fez constar  em anotações do Blog do Jornalista Josias de Souza, do jornal Folha de São Paulo, que o Comando Geral e de Batalhões da PM do Estado do Rio de Janeiro são sócios do crime organizado? Que o Cel PM Teixeira teria morrido porque estava acumpliciado com o crime organizado? Isso entre outras e outras aleivosias. 


3. A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, a mais antiga Força de Polícia Ostensiva do Cone Sul, criada por D. João VI  em 1809, não merecia esse torpe e irresponsável tratamento. Ela é composta de homens e mulheres de bem. Muitos deles heróis. Se temos nossas mazelas internas, quaisquer Instituição, seja pública ou privada, também as tem. Quando identificamos nossos desviados de comportamento esperado, "cortamos-lhes as cabeças". Sempre foi assim. Ela constitui a melhor força permanente de combate urbano do Brasil, quiçá da América do Sul. Ela é a última barreira entre a relativa ordem e o caos social a ser em futuro não muito distante, composto por força destruidora da criminalidade violenta, armada com armas de guerra, que poderá se abater de forma ainda   mais brutal e impiedosa  sobre  nosso Estado. Destruí-la, a PMERJ, se  esse  é o vosso desiderato, é crime de lesa-pátria.


4. Seus homens e mulheres, par a defender a sociedade Fluminense, independente de qualquer classe social,  estão a morrer como moscas, abatidos pelas balas assassinas oriundas dos Fuzis de Guerra e Granadas, que o Sr., por dever de ofício, deveria evitar que inundassem nossas fronteiras secas, molhadas, aéreas, portos, aeroportos, estradas federais. Somente neste ano de 2017, até o dia de hoje, foi atingida a macabra e covarde cifra de 114 Policiais Militares assassinados.


5. Então, que história é essa de atacar publicamente a PM do Estado do Rio de Janeiro e seus Oficiais e Praças, sem apresentar fatos concretos? Seu foro privilegiado não lhe dá este direito Sr. Ministro. A Casa de Vidigal e Castrioto está profundamente indignada e revoltada com tal irresponsável e inconsequente  procedimento totalmente desprovido do mínimo pundonor.


6. Em nome de cada Comandante de Batalhão ou de fração menor, vamos nos defender. Em nome da memória do Cel PM Teixeira, já saudoso Comandante do 3º BPM, tombado em combate, vamos nos defender. Em nome de cada familiar PM atingido, vamos nos defender. Em nome de cada gota de sangue PM derramada em solo pátrio, ao longo de 208 anos de existência servindo e protegendo o povo de nosso Estado do Rio de Janeiro, vamos nos defender. Em nome dos tombados na Guerra do Paraguai e na Revolta da Armada, vamos nos defender. 


7. O Sr. conseguiu atingir-nos naquilo que temos mais sagrado em nosso espírito militar. Nossa honra e a memória honrosa de nossos mortos e feridos em combate. O Sr. profanou os túmulos de nossos heróis. O Sr. afrontou a sagrada história da Polícia Militar. 


8. Vamos processá-lo, Sr. Ministro. A Caserna General Castrioto e o QG de Vidigal vão levá-lo às barras dos tribunais. Cada Policial Militar do Estado do Rio de Janeiro e seus também sofridos e mártires familiares vão interpelá-lo  judicialmente para que o Sr. prove suas acusações. Essa será nossa defesa. Este é o nosso dever. Essa é a nossa obrigação institucional.

Cel PM Wilton Soares Ribeiro, ex-Comandante Geral da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e Sócio da AME/RJ.

5 comentários:

  1. No futuro que pra muitos ainda pode parecer distante o mapa da Terra será refeito, os hinos de algumas nações não serão mais ouvidos, cidades modernas, limpas e sem excesso de habitantes uma realidade, novas estradas bem aproveitadas e seguras na superfície do planeta e no subsolo, comunidades bem lideradas, alimentação completamente modificada e de altíssima qualidade, o relacionamento do ser humano com natureza bastante produtivo, a humanidade vista como a verdadeira família pelos que não serão mais senhores de uma visão curta e de uma sensibilidade limitada. As escolas do mundo bem assistidas, professores e alunos respeitados e se respeitando, patrões e empregados aliados e sócios nos projetos e na prosperidade, pais e filhos amigos e companheiros, governos transparentes e confiáveis, Deus não mais esquecido e consultado, os que não querem isso não estarão mais neste mundo! No já mencionado futuro que não está distante o ódio será substituído pelo amor, a vingança pelo perdão, a agressão pelo carinho, a indiferença pela solidariedade e a guerra pela paz. O roubo deixará de existir dando lugar a distribuição justa das riquezas, a maldade sairá de cena, a desgraça não será mais rotina mas evitada. Os pensamentos serão educados, a estabilidade emocional sob controle, as atitudes bem pensadas, os hábitos e os costumes saudáveis, os encontros e reencontros mais tranquilos, a inteligência atualizada e de roupa nova, a sabedoria livre para circular na mente e no coração, uma bondade que não será tímida, os encarnados conversando pacificamente sobre o futuro de todos, as flores do tempo admiradas e bem cuidadas. Em nenhum lugar haverá pobreza e miséria, ninguém fragilizado, uma natureza feliz porque os humanos criaram juízo, cresceram e se comportam como gente grande. Os movimentos do tempo vão continuar, haverá significativa quantidade de recursos para todos, o consumo de carne de animal praticamente extinta, a paz e a liberdade não mais ameaçadas. Quem continuar encarnado neste planeta e os que retornarem a ele por merecimento perceberão tudo isso e muito mais. Agora uma pergunta que ainda precisa ser feita: Neste momento estão colocando a vida de vocês em ordem? Pensem sobre isso. Não se deixem distrair pelas aparências porque muita gente continua sendo afastada de muitas maneiras nesse período de transição planetária, muita gente se tornando visível nos palcos da vida e nos palcos do tempo. Texto de Rui Teles, Século XXI, Planeta Terra. (Espírita e Terapeuta).

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, com relação ao aparato da justiça de Pernambuco tjpe mppe DP no caso da FACEPE Finep MCTi essa acusação a esses órgãos públicos do Estado de Pernambuco seria acolhida. Estranho que o ministro Torquato Jardim recebeu a minha denuncia ao vivo no SENAI de Recife Pernambuco quando era ministro da transparência e contra a corrupção, no auditório, e também via sistema e não fez nada!

    ResponderExcluir
  3. façam isso de imediato esse vagabundo que não cumpre seu dever de ministro quer jogar a culpa da sua incompetencia nas costas dos policiais e macular a honra de quem já não pode mais se defender uma pessoa sem o minimo carater

    ResponderExcluir
  4. O desgoverno faz seu macabro pepel de colocar o povo contra o povo usando sua midia da desenformação deixando a população entregue ao bandidismo social e politico.

    ResponderExcluir
  5. É certo que a Polícia Militar tem que tomar as medidas judiciais cabíveis.

    ResponderExcluir