quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

“Os erros de Luís!


Você errou, Luís…
Errou na mão, errou na dose, errou no tempo, errou na história…
Contra todo e qualquer argumento, Luís, você teve a oportunidade histórica de fazer diferente…
Mas escolheu fazer igual, escolheu piorar o que sempre criticou…
Esqueceu suas raízes, suas origens humildes e se aliou aos poderosos de plantão…
Esqueceu os seus amigos antigos e olhando apenas pra o próprio umbigo, Luís, abraçou a traição…

Você errou Luís…
Errou feio…
Errou no mensalão, errou no petrolão, errou ao escolher e defender Dilma e ao andar na contra-mão…
Errou ao deixar seu filho ser o “fenômeno” executivo de plantão…
Errou ao deixar o poder e a glória lhe subir a cabeça…
Errou mais ainda ao deixar que o dinheiro e a fama congelassem seu coração…
Errou em Santo André, no São Francisco, no Rio de Janeiro, em Atibaia, em Guarujá, em todo o país…
Errou na presunção de não ter ninguém à altura de sua luz…
Errou quando se equiparou em honestidade a Jesus…
Errou de forma tropega e infeliz…

Você errou muito Luís…
Errou quando transferiu a culpa pra gente que não podia mais se defender…
Celso Daniel, Marisa Letícia, acusados depois de morrer…
Errou quando disse que nada sabia, quando cinicamente mentia, insistia em não se envolver…
Errou quando foi incapaz de reconhecer um erro sequer, seu ou de seu partido…
Dos genuínos dólares na cueca às reformas e imóveis dos quais “nunca tinha ouvido”…

Como você errou Luís…
Errou ao perder um dedo, ao fazer segredo de sua voraz ambição!
Errou ao se achar “o cara”, errou na auto-vitimização!
Errou ao elogiar Chaves, Evo, Maduro, errou na manipulação…
Errou com os companheiros Dirceu, Palocci, Delcídio, Vaccari, Vargas, deixando todo mundo na mão…
E na prisão! 

É Luís…
De tanto que errou, você tanto fez, que agora é a bola da vez…
Na marola do mar de lama em que se transformou o seu tempo no poder, não tinha mais como se esconder…
E embora o fanatismo de uns, o ego de outros e o interesse de tantos ainda tentem lhe absolver,
mais do que uma pena, você é digno de pena, Luís…
Todos que lhe conhecem sabem muito bem que seu maior crime foi um assassinato!
Foi você, Luís, e só você que matou o Lula…
E ao matar o Lula você aniquilou a mais bonita militância política que um partido já teve neste país…
Uma militância legítima, espontânea, verdadeira…
Não a que você conseguiu transformar em gente paga, com pão e mortadela…

Você errou Luís…
E já passou da hora de pagar as contas por seus erros…
Quem sabe, em sua arrogância insana, você até se sinta feliz…
Afinal você vai em cana! E cana é tudo o que você sempre quis!”

Autoria desconhecida

O texto, embora muito bem elaborado e com certa dose de humor, não é da lavra de Marieta Severo, como fartamente divulgado nas redes sociais. Marieta Severo é eleitora de Lula e do PT assumida.

Por meio de sua conta no Instagram, a filha da artista com o cantor Chico Buarque informou que a mãe tomará as providências legais cabíveis.


terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Uma triste coerência entre o estilo de Cristiane Brasil e seu vídeo grotesco.


Ao ceder à tentação golpista, a classe política brasileira deixou-se envolver por essas sucessivas erupções de tumores no tecido social, ao ponto de não mais sermos capaz de saber quando – e de que maneira – novos surtos ainda irão nos fazer penar.
Eu ainda me pego refletindo para entender quando foi exatamente essa inflexão em direção ao absurdo.

E, hoje, mesmo diante da consolidada narrativa protofascista entre os pobres, pior, entre os jovens pobres, imposta pelos humores de uma classe média majoritariamente iletrada, não consigo dimensionar com exatidão o tamanho da nossa desgraça.

Simplesmente, ainda não consigo juntar todas as variáveis dessa equação.

Vejam bem, não é exatamente a imagem dessa filha de Roberto Jefferson, cercada de varões tirados de alguma pornochanchada dos anos 1970, que me surpreende.
No fundo, há uma triste coerência entre o estilo da deputada e essa inserção midiática grotesca.
Minha angústia é não conseguir localizar o tempo exato em que, justamente no momento em que caminhávamos para ser uma grande nação, esses ratos contaminaram as instituições, a política, as mentes e os corações das pessoas comuns com sua narrativa de ódio, ignorância, vileza, egoísmo e covardia.
Leandro Fortes é esquerdista, dá para perceber na linguagem que usa: "golpista", “protofacista”, “ódio”, “ignorância”, “vileza”, “egoísmo” e “covardia”; como também escreve para o “Brasil 247” (2+4+7=13). Só que na sua cabeça, o “momento” em que o Brasil caminhava para ser uma grande Nação é interrompido com o impeachment de Dilma, ignorando que todos esses personagens fizeram parte dos cenários de Lula e Dilma. Ele deve voltar bem mais no tempo para localizar o exato momento que desviamos o caminho dce nos tornar uma Grande Nação.

Força Major Freitas! A Honra já é sua.

Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas ao centro

Encarando o segundo CJ, Conselho de Justificação, por emitir opiniões que "desagradam o sistema"!
A que ponto chegou a inversão de valores nesse país, ser punido por criticar o governador (investigado por corrupção) e deputados da Alerj, dos quais vários estão PRESOS!
Não há dúvidas que se fôssemos um praça já estaríamos na rua!
Porém, mesmo assim tem sido um peso descomunal tanto ataque por parte dos nosso inimigos, mas eis que o Livro da Lei sempre trás uma palavra de motivação!
"Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados.
Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;
2 Coríntios 4:8,9"
#ForçaeHonraSempre
#DeusNoComando


É UM ABSURDO NÃO TERMOS O DIREITO A CRITICAR QUEM QUER QUE SEJA, ONDE QUER QUE SEJA!
"Constituição da República Federativa do Brasil de 1988:
Art. 5º - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, liberdade, igualdade, segurança e a propriedade, nos termos seguintes:
(...)
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
(...)
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;
(...)
Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
(...)
§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística."
“É muito arbitrário retirar o direito à crítica ao governo ou considerar como violação grave uma crítica a um superior, tendo claro que a jurisprudência constitucional tende a limitar o menos possível a liberdade de expressão” (MARION BACH, Advogada criminal, pesquisadora e doutoranda em Ciências Criminais)
Desde que começou a se manifestar dizendo as verdades que todos gostariam de ouvir sobre um governo corrupto, uma Corporação subserviente a interesses políticos, mesmo com o custo de centenas de vidas de policiais por ano, o Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas trava uma luta desigual com o “poder” bandido, o mesmo que governa, legisla e julga no Estado do Rio de Janeiro. Dentro da Corporação não faltam oficiais e praças que o apoiem, mas dentro dos limites que também não virem alvos; bem como oficiais superiores que o vêm como grande empecilho às suas aspirações na Corporação, serem promovidos e assumirem comandos por indicação política e, para isso, se quedam a vontade política de se livrar do Combatente Major Freitas.
#Força Major Freitas! A Honra já é sua.


O que "apequenou" o STF?


A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou que revisar o início da execução da pena após condenação em 2ª instância por causa do processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é "apequenar muito o Supremo". 

"Não sei por que um caso específico geraria uma pauta diferente. Seria apequenar muito o Supremo. Não conversei sobre isso com ninguém", 

O entendimento atual do STF, de 2016, permite a prisão de condenados em 2ª instância, como é o caso de Lula. Contudo, há ações na Corte sobre esse tema. Sobre isso, Cármen Lúcia reforçou: "Votei igual duas vezes [em favor da prisão em segunda instância]. Em 2009 fui voto vencido. Em 2016, fui voto vencedor.". A presidente do STF acrescentou ainda que o tema não estará em pauta em fevereiro e tampouco há previsão da chegada de ações do tipo ao plenário em março.

'O que apequenou o STF foi a conivência com o golpe', diz Damous 

O deputado Wadih Damous (PT-RJ), ex-presidente da OAB no Rio de Janeiro, escreveu em seu perfil no Twitter que "o que apequenou o STF foi a conivência com o golpe e ter se tornado o coveiro da Constituição e não o seu guardião". A declaração foi feita após a presidente do Supremo, a ministra Carmen Lucia, afirmar que revisar o início da execução da pena após condenação em 2ª instância por causa do processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é "apequenar muito o Supremo". 
O líder do MTST, Guilherme Boulos, também comentou sobre a declaração da presidente do STF. "Ministra Carmen Lucia, 'apequenar' o STF é se omitir diante de uma condenação sem provas e com evidente viés político", escreveu Boulos em sua página no Twitter.
Lula teve sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá confirmada no último dia 24, pelo Tribunal Regional federal da 4ª Região. A pena foi aumentada de nove anos e meio para 12 anos e um mês de prisão. Como ainda cabe recurso junto ao TRF4, Lula ainda não foi preso. Contudo, o recurso poderá apenas esclarecer pontos da sentença, e não reverte-la.
Jornal do Brasil


A “pequenez” ou GRANDEZA do STF será vista e conhecida pelas decisões do Presidente do STE, Luiz Fux, que assume o TSE a partir de amanhã em substituição a Gilmar Mendes. O TSE pode conceder ou negar o direito de Lula disputar a eleição presidencial deste ano.

As "galinhas" do Pezão.


Esse é aquele momento em que se eu fosse comandante geral, retirava a tropa toda da Rocinha, até o governador se retratar publicamente!
Cadê o respeito com os diversos policiais feridos e com a família do Soldado Chaves?
Cadê o respeito com a tropa que sangra, dia e noite, naquele inferno criado pelos políticos?



Fico pensando o que um filho de um policial morto deve pensar sobre tamanha boçalidade, quando o governador compara seus policiais com "galinhas"!
#Absurdo
#Inaceitável

Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas

Já que estava numa reunião com moradores, deveria ser mais enfático em suas declarações, questionando o por que dos moradores não denunciarem os traficantes, seus locais de guarda de drogas e armas. Armas que não matam só policiais, matam a sociedade, matam os moradores da Rocinha.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Condenada sem ser citada pela Justiça Trabalhista?


A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) publicou neste domingo (28) um vídeo que viralizou na internet e no qual ela se defende da condenação na Justiça do Trabalho. O processo impediu a parlamentar de tomar posse como ministra do Trabalho no governo de Michel Temer.
No vídeo, a deputada afirma que não tinha conhecimento da dívida trabalhista com os dois motoristas que empregou sem assinar carteira de trabalho e sem pagar os benefícios devidos.
"Eu juro pra vocês que eu não achava que tinha nada pra dever para duas pessoas que entraram contra mim e vou provar isso em breve. Todo mundo tem direito de pedir qualquer coisa na Justiça. Qualquer um pode pedir qualquer coisa abstrata, o negócio é o seguinte: quem é que tem direito? Ainda mais na Justiça do Trabalho. Só quero saber o seguinte: 'quem' pode passar na cabeça das pessoas que entram contra a gente em ações trabalhistas?", questiona Cristiane, sendo apoiada por quatro homens que estão com ela. "Tô com você, doutora", "Ação trabalhista toda hora a gente tem", diz um dos apoiadores da parlamentar.


A tentativa do governo de nomear Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho se arrasta desde o início de janeiro, quando o juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói, suspendeu, em decisão liminar, a posse da deputada. Na sequência, Cristiane e o governo perderam diversos recursos no Tribunal Regional Federal e tiveram a posse negada pela presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia.
O governo e o PTB, partido de Cristiane, ainda aguardam uma decisão do Plenário do STF.

Sacanagem da Justiça Trabalhista, condenar Cristiane Brasil sem ao menos intima-la a tomar conhecimento e apresentar defesa. Ora, é pensar que o povo é otário mesmo em acreditar nisso. Além dos dois motoristas há também a noticia de uma empregada doméstica que trabalhou para a dePUTAda sem que ela recolhesse suas contribuições previdenciárias.

Em 2005, houve uma audiência de conciliação entre a empregada e Cristiane, que reconheceu os direitos de Sebastiana e combinou um pagamento de R$ 500 para que o processo fosse arquivado. Será que ela embora presente na audiência de conciliação também não tinha conhecimento?
Link aqui

Intervenção militar seria enorme retrocesso, diz comandante do Exército

A declaração foi dada em palestra na Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro.


O comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, afirmou hoje que a existência de setores da sociedade que pedem intervenção militar no Brasil sinaliza a gravidade dos problemas que o país enfrenta.
"Isso, na minha opinião, é um termômetro da gravidade do problema que estamos vivendo no país. Intervenção militar seria um enorme retrocesso", disse Villas Bôas, em palestra no Seminário Brasil: Imperativo Renascer, realizado na Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro.
Villas Bôas citou uma pesquisa de opinião que apontava o apoio de mais 40% da população à ideia de intervenção e disse que tal adesão, por outro lado, reflete a confiança desses setores da população nas Forças Armadas. "Interpreto também aí uma identificação da sociedade com os valores que as Forças Armadas expressam, manifestam e representam", acrescentou. De acordo com o general, a Marinha, o Exército e a Aeronáutica são também "guardiões da identidade nacional", que ele considera estar em um caminho de fragmentação.
Villas Bôas destacou que o tema defesa não teve relevância nas últimas campanhas políticas. Para tentar inverter esse cenário, o general disse que o Exército tem dialogado com candidatos à Presidência da República. "Estamos fazendo contato com os candidatos mais ou menos consolidados, e oferecendo consultoria e ajuda para que trabalhem nesse sentido."
Na visão do comandante do Exército, existe no país uma percepção de que a soberania nacional não sofre ameaças, o que faz com que o debate sobre defesa não tenha apelo na sociedade. "Somos o único grande país não beligerante. Este é o lado ruim de uma coisa boa. Nos falta o sentimento de um projeto nacional."
Rio Grande do Norte
Entre as funções das Forças Armadas no país, Villas Bôas mencionou o emprego de militares em operações como as de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em curso atualmente no Rio de Janeiro.
No caso do Rio Grande do Norte, onde as Forças Armadas atuaram três vezes em menos de dois anos, o general disse acreditar que as operações vão ser necessárias novamente. "Em um ano e meio, fomos empregados três vezes no Rio Grande do Norte e, nesse espaço de tempo, não houve nenhuma modificação estrutural no sistema de segurança pública daquele estado. E nós sabemos que logo seremos chamados a intervir novamente."
Existe alguma possibilidade dos militares voltarem ao poder? Sim, se eleitos!


Não descarto a “Intervenção Militar” no Brasil, creio que ela já acontece desde o início da “Lava Jato”. Uma Intervenção como em 64, com tomada abrupta de poder seria inadmissível aos olhos do mundo. Nenhum pronunciamento dos Generais leva a crer no modo de pensar dos intervencionistas de plantão nas redes sociais, a Intervenção é silenciosa e paulatina, só sendo possível vê-la com a razão e não com a emoção.

Gilmar Mendes novamente hostilizado.

Ministro Gilmar Mendes é hostilizado em voo no Brasil.
Episódio acontece após ele ter sido abordado com críticas por brasileiras, em Portugal.


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, voltou a ser hostilizado por brasileiros, após duas turistas terem criticado ele nas ruas de Lisboa, no início do mês. Desta vez, a abordagem aconteceu dentro de um avião, que estaria seguindo para Cuiabá (Mato Grosso) neste fim de semana.
Quando o avião pousou, os passageiros começaram a hostiliza-lo, questionando se ele mandaria também soltar o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), que está cumprindo pena na penitenciária da Papuda, em Brasília. 

No vídeo, é possível ouvir gritos como “prende o ministro”, “vai soltar o Lula?”, “e o “Aécio?” e “vergonha”. Depois, houve um forte coro de "Fora, Gilmar!"

Gilmar Mendes vem enfrentando forte oposição, inclusive dentro do próprio STF, por causa de seu posicionamento com relação a acusados, principalmente no âmbito da Lava Jato. No fim de 2017, o ministro concedeu habeas corpus a vários presos, entre eles a ex-primeira dama do Rio Adriana Ancelmo e o empresário do ramo de ônibus Jacob Barata.


domingo, 28 de janeiro de 2018

O PT apodreceu, os "satélites" sabem disso.


É evidente que o PT insistirá no plano de eleger Lula. Aos petistas é tudo ou nada e sabemos que quem está nessa situação é capaz de qualquer coisa, inclusive clamar por assassinatos como fez a ordinária de nariz empinado.
Mas ao contrário do Brilhante Filipe G. Martins, que costuma acertar em doses cavalares, não penso que Lula e o petismo sigam sendo protagonistas das disputas políticas, sociais e culturais do País – talvez um pouco das culturais. O trabalho de luta pela hegemonia que eles levaram a cabo continua em alta; eles propriamente ditos, não. Por isso que escrevi dias atrás que a prisão de Lula não altera em nada a marcha da revolução, pois o trabalho de subversão das Instituições e da sociedade civil foi muito bem feito. Basta apenas que o processo revolucionário decida qual o melhor caminho a seguir e, sinceramente, acredito que o petismo não está entre as opções pelos seguintes motivos:

       1) O PT apodreceu e é altamente tóxico, de modo que é preciso cortar o braço para preservar o corpo da revolução.
        2) O Foro de São Paulo é hierarquicamente inferior aos projetos mundiais de dominação. A saber: islâmico, sino-soviético e globalista-financeiro.            3) O poder de chamamento da militância petista praticamente pulverizou-se, como o julgamento de Curitiba e Porto Alegre bem demonstraram.
     4) A própria militância minguou, sendo possível ver tanto pelo saldo negativo de filiações em 2016 quanto pela inexpressiva participação dos filiados nas ultimas eleições dos Diretórios.

Acima estão os motivos principais, mas há outros, como o fato de Lula não ter conseguido eleger o próprio filho em São Bernardo, além de não ter emplacado o candidato a prefeito em Miguel Leão, cidade nordestina com menos de 1.500 habitantes.

Também entra na conta a mudança de discurso de FHC, que passou a falar na polaridade “establishment vs povo” como se ele próprio fosse o povo, e não o establishment , o que foi corroborado pela fala de José Serra no encontro da executiva do partido, no fim do ano passado, onde afirmou que é preciso abandonar o “viés marxista da esquerda”, isto é, é preciso liquidar o petismo, neutralizar a tensão nacional e colocar o processo revolucionário novamente nos trilhos do socialismo Fabiano.

No entanto, se eu estiver errado, o caminho do PT de volta ao trono passaria pela total colaboração dos tribunais superiores, a exemplo de TSE, STJ e STF, que poderiam barrar a prisão do canalha e permitir sua candidatura, a qual já teria resultado garantido pelas urnas bolivarianas. Isso significaria, portanto, que os projetos globais do poder, sobretudo o globalista-financeiro, ao qual o PSDB faz parte, deram novamente avalo ao PT, coisa da qual eu duvido um pouco.

Texto retirado da internet


Certamente o PSDB e os outros partidos satélites do PT sabem disso, e se preparam para dar seguimento ao socialismo/comunismo no Brasil.

“PONTO DE INFLEXÃO”


A bem da verdade, para a Justiça, não há quaisquer dúvidas a respeito dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro praticados pelo ex-presidente no exercício do mandato. Isso não está mais em discussão.

É o que se pode inferir das palavras de um dos desembargadores do TRF4 antes de proferir seu voto: “O julgamento dessa turma põe fim à discussão acerca da matéria de fato. Restando, eventualmente, se houver recurso aos tribunais superiores, exame de questão de direito, mas não mais, a rigor, questões de fato”.
Não há como desconsiderar que o réu está envolvido em diversos outros processos e que outras condenações semelhantes estão por vir.

Como falar, então, em candidatura ou pré-candidatura deste cidadão a cargo político e pior, ao mais alto cargo da Nação, o mesmo em que foram cometidos os crimes agora julgados e muitos outros ainda por serem?

Será que raciocinam com as consequências para nosso país, aqueles que ainda avaliam pública e insistentemente hipóteses que tornem viável o exercício da Presidência da República do Brasil por um condenado? E me refiro, em especial, a instituições como a mídia, políticos e setores do próprio judiciário. Será que isso é bom para uma democracia sempre em busca de se consolidar? Não seria muito mais racional abrir espaço para discutir os danos decorrentes de tal situação?

Será que por um momento imaginam as dificuldades de relacionamento de toda a ordem com as demais nações? E o constrangimento e grau de confiança de um chefe de estado ao negociar com seu colega condenado pela prática de crimes tão graves? E como exerceria sua liderança, tal governante, sobre instituições como as Forças Armadas, só por exemplo, basicamente calcadas na disciplina e no cumprimento das leis?

Pelos podres poderes remanescentes, ainda consideráveis, acumulados graças ao uso criminoso do governo, pelo seu perfil populista, que ainda lhe garante significativo índice de aceitação, sobretudo nas camadas menos esclarecidas e, também, pela extensão incomparável dos crimes cometidos – “principal articulador do esquema de corrupção do seu governo”- é, de longe, o ex-presidente, a principal figura dessa funesta geração de políticos, independente de coloração partidária.

Sua exemplar punição, sobretudo, abrirá caminho, e até certa jurisprudência, para um acerto de contas com todos os demais que não honraram seus cargos eletivos. Um golpe mortal na corrupção. O contrário seria nossa maior tragédia.

General Gilberto Rodrigues Pimentel, Presidente do Clube Militar


Vejam só como a vida da voltas.



Vejam só como a vida da voltas.
Sabem quem e o advogado de Lula?
Chama-se Christiano Zanin Martins.
E quem e Christiano Zanin Martins?
Christiano Zanin Martins e casado com Valeska Teixeira, filha de Roberto Teixeira.
Portanto Christiano e genro de Roberto Teixeira.
Mas quem e Roberto Teixeira?
Pra quem não sabe, Roberto Teixeira e dono do escritório Teixeira & Martins advogados. 
Tem mais, Lula e padrinho de casamento de Cristiano e Valeska.
Portanto, Lula e Roberto Teixeira sao compadres.
Lula e “dindo” de Cristiano e Valeska.
Ta mas o que isso tem a ver????
Tem a ver com a VARIG, mais precisamente com o fim da VARIG.

Relembrando: Roberto Teixeira foi o responsável por arquitetar juridicamente o golpe que foi a venda fraudulenta e ilegal da Varig em 2006 para o fundo estrangeiro Matlin Patterson, chefiado por um Chines larapio, chamado Lap Chan (foto em anexo).
Na foto da quadrilha que liquidou a VARIG, Christiano aparece ao lado de Valeska (vestido branco). A sua esquerda, Lap Chan, o Chines bandido. Roberto Teixeira, e o ultimo a direita.
A foto tem dedicatória de Lula. 


"Ao amigo Marco Audi, um abraco, Lula". 
Tem que ampliar a foto para poder ler a dedicatória. 
Entenderam?


Os fatos:
Lap Chan comprou a Varig na bacia das almas por 57 milhões de Reais num Leilão realizado dia 20 de Julho de 2006, no hangar da empresa, no aeroporto Santos Dumont.
1 ano depois, Lap Chan vendeu a parte boa da empresa, os chamados ativos, para o Grupo Aurea – Leia se GOL - do Nene Constantino por 320 milhões de dólares
O passivo, incluindo as rescisões trabalhistas foi para as "calendas gregas".
Tudo arquitetado nos bastidores com aval do governo corrupto de Lula.
Estima-se que o escritorio de Roberto Teixeira tenha levado 6 milhões de dólares para ajudar a liquidar com a VARIG.
Ao mesmo tempo que matava VARIG, o governo de Lula emprestava bilhões de reias do BNDES a fundo perdido para Cuba, Venezuela e Mozambique, entre outros. 
O tempo passou e de tanto ajudar fazer falcatruas, Roberto Teixeira e hoje mais um reu na Lavajato.
Roberto Teixeira e Cristiano Zanin alem de Genro e sogro, são sócios no escritório de advocacia Teixeira & Martins advogados. 
Entenderam?


Esta turma vem fazendo sacanagem ha muito tempo. Prejudicaram muita gente.

Como disse John Kennedy: "Perdoe seus inimigos, mas não esqueça seus nomes"
Então, em nome dos 9 mil funcionários da VARIG vitimas de um crime de lesa-pátria, que foram para o olho da rua em 2006, sem receber um centavo de rescisão trabalhista, hoje e um dia de celebração.
O império que estes bandidos montaram em cima de corrupção e sacanagem, esta ruindo. O poder ja lhes foi tirado, a liberdade começa a ser tirada. Falta resgatar o patrimônio amealhado de maneira fraudulenta.
No final de tudo, so a verdade os libertara.
Em tempo: sera que Cristiano sera o advogado de defesa do sogro quando este for julgado por Sergio Moro?
Ou se dara por impedido?
Boa sorte ao Cristiano e ao Roberto Teixeira, enquanto bebo minha champanhe por aqui.
Viva a VARIG!

Eduardo Eidt Letti
Piloto da Varig por 20 anos.”


Fernando Henrique Cardoso e os Comunistas da América Latina



O socialista tucano Fernando Henrique Cardoso foi o principal responsável por salvar o projeto de poder comunista-socialista representado pelo petismo ainda no seu nascedouro quando, no ano de 2005, enveredou todos os esforços para que não fosse aberto processo de impeachment contra o então presidente Lula no auge das investigações do escândalo do mensalão.

Três anos antes,  quando ainda exercia a presidência do Brasil, Fernando Henrique Cardoso desempenhou papel central na articulação política e diplomática na América Latina e em Washington para fazer fracassar a tentativa de deposição por meio de intervenção militar do então presidente venezuelano Hugo Chávez, fato esse reconhecido pelo falecido ditador comunista poucos anos depois. 

Não fosse a atuação firme do socialista Fernando Henrique Cardoso, possivelmente o projeto esquerdista representado pelo petismo não teria perdurado por mais onze anos, promovendo a destruição econômica, a corrupção generalizada e a delinquência institucional no país.

Da mesma forma, não fosse o compromisso de Fernando Henrique Cardoso com a ideologia autoritária e antidemocrática do socialismo, o bolivarianismo chavista não teria talvez sobrevivido e os venezuelanos não estariam hoje morrendo de fome sob um regime de ditadura comunista tutelada por Cuba e com laços explícitos com o terrorismo islâmico e com o tráfico internacional de drogas e com o crime organizado.

Até mesmo a hoje irrelevante e sempre patética Dilma Rousseff deve o prolongamento angustiante de seu segundo mandato, que tanto custou ao país até seu afastamento, ao empenho e esforço de Fernando Henrique Cardoso e seu posicionamento contrário ao impeachment, até esse ter se tornado irreversível, já que ele a considerava uma mulher honrada. 

Por fim, o Foro de São Paulo e o movimento comunista latino-americano no seu conjunto e seus aliados no campo da narcoguerrilha, devem muito de suas vitórias geopolíticas, com as consequentes mazelas que elas representam para os povos e para a democracia no continente, ao tucano socialista Fernando Henrique Cardoso.

Critica Nacional


Se existe uma ditadura comunista e genocida na Venezuela é por que o Brasil, governado pelo tucano Fernando Henrique Cardoso e depois pelos comunistas Lula e Dilma, deu sustentação e respaldo político, diplomático e econômico ao flagelo do chavismo.
Se não fosse o PT e PSDB no poder no Brasil, não existiriam Hugo Chavez e Nicolas Maduro, que hoje está levando ao extermínio do povo venezuelano num autentico holocausto latino-americano. O artigo de abril do ano passado trata do tema e continua válido.