sábado, 17 de fevereiro de 2018

O General se fará merecedor de nossa confiança?

Bom dia General Braga Netto! Seja muito bem vindo ao caos do Rio de Janeiro.

General Walter Souza Braga Netto

Estamos ansiosos por mudanças e melhorias, só gostaria que o senhor entendesse que os soldados da Briosa não têm 18 anos, muitos estão cansados, têm filhos, pagam Pensão Alimentícia, estão cheios de empréstimos e se desdobrando entre a escala apertada e o “bico”.
Não temos tempo para pintar meio fio, capinar quartéis, passar cal nos muros e fazer educação física. Não temos diversos tipos de fardamentos (farda de passeio, educação física, de gala ou de combate), temos apenas um “MUG” velho e surrado.

Treinamento? Na “Briosa” isso é para poucos, somente os “estrelas” e praças especializadas. “Barriga azul” do Batalhão convencional só treina quando bate de frente com vagabundo na favela (com uma sutil diferença, nosso alvo não é de papel. É de carne e osso e revida!)


Na guerra temos o inimigo de boné, bermuda e chinelo com AK 47 nas mãos (esse é o mais fácil e previsível de se combater). E temos o inimigo oculto, que se esconde atrás de um terno e gravata e que tem o poder da caneta, essa sim é a arma mais letal já inventada pela humanidade quando nas mãos erradas. Uma caneta nas mãos de quem detêm o poder faz mais estragos que qualquer metralhadora .50. Esse inimigo é o mais impiedoso que existe, não temos treinamento para combatê-lo ou estamos impedidos de fazê-lo. É ele que nos obriga a trabalhar por longas e intermináveis horas em favela conflagradas, sem descanso, sem alimentação digna, circulando com viaturas sucateadas e gambiarradas, com pneus carecas, sem blindagem, com armamento velho, obsoleto, sem manutenção e propenso a panes constantes, com coletes anti balísticos vencidos, sujos e fedorentos, tendo como base um container de lata sem refrigeração, sem alojamento decente, dormindo em colchonetes no chão, comer quentinhas frias e dar descarga no vaso sanitário com balde.


Espero que o senhor com sua longa experiência no Exercito Brasileiro, com mais de quarenta anos de serviço, consiga motivar e dar ânimo aos recrutas com apenas quatro anos de caserna, que já perderam as contas de quantos colegas enterraram e estão sempre a pensar em largar a profissão com a visão da morte sempre tão perto. Espero que o senhor tenha um bom poder de persuasão sobre os membros do Ministério Público, do Judiciário e com os parlamentares, estes que só entram em favelas para fazerem acordos com bandidos em troca dos votos da comunidade.

Nossa guerra é desleal , não temos treinamento, fardamento, alimentação, apoio logístico e o pior! NÃO TEMOS APOIO DA POPULAÇÃO POR QUEM SACRIFICAMOS NOSSAS VIDAS!!! Somos massacrados pela mídia, por “policiólogos” que só conhecem a violência pela TV e não temos apoio jurídico para nos defender quando erramos procurando acertar. São frações de segundos que podem transformar um herói em vilão.


Enfim, poderia escrever um livro sobre a guerra diária no Rio de Janeiro, mas prefiro apenas resumir. Tenho 17 anos de serviço (na ponta da lança), tenho alguns autos de resistência, algumas marcas de tiros pelo corpo e pude perceber que o momento em que você é socorrido por seus colegas de farda e sua vida está nas mãos dos médicos da rede pública, só Deus é quem pode decidir se é sua hora ou não. Nós policiais do Rio de Janeiro estamos a espera de um MILAGRE! Mas, enquanto nosso salvador não volta, temos um General do Exercito Brasileiro, enviado com a missão de botar ordem no caos. Conseguirá ou serão só mais ações midiáticas engendradas por políticos?

Estamos confiando no senhor, 01! Bem vindo a GUERRA!

Um Sargento PMERJ

3 comentários:

  1. Li sua carta. Ajudo a pagar seu salário e você o meu...Conte comigo. kharla Berrondo. Eu quero meu Brasil de volta. Nós merecemos!!

    ResponderExcluir
  2. É lamentável...é uma VERGONHA !!!

    ResponderExcluir
  3. O GEN vai mandar pagar os décimos de 2017 e 2018 ?

    ResponderExcluir