sexta-feira, 30 de março de 2018

A VENEZUELA E O BRASIL.



A Venezuela mostra o mais recente quadro de destruição causado pela progressiva implantação do regime comunista.
Lá, as Forças Armadas foram coniventes e omissas. Permitiram e estão permitindo a instalação do caos governamental.

Aqui, houve tentativas de implantação do comunismo em 1935, 1964 e 1968, de maneira mais violenta e com o uso das armas. Tais iniciativas foram barradas pelas Forças Armadas do Brasil.

Com novos métodos, aproveitaram os governos petistas para o lançamento das bases que levariam o Brasil a adotar o mesmo regime que está sendo imposto ao nosso vizinho. Tal processo, imaginavam eles, seria mais rápido com a programada eleição de José Dirceu para presidente da República. Mas, como a esquerda, além de ávida pelo poder, é mais ainda pelo dinheiro fácil da corrupção, o projeto socialista começou a ruir com as operações policiais e judiciais do Mensalão, ainda no primeiro governo Lula, e com a Lava Jato, já no primeiro governo Dilma.


Contudo, eles não desistiram. E o Lula, mesmo já condenado, por corrupção e lavagem de dinheiro, a quase 10 anos de prisão, e réu em mais cinco processos, ainda insiste, com a ajuda de intelectuais e políticos acostumados a mamar nas tetas dos governos e de uma parte da população ignorante e facilmente manipulada com as promessas de esmolas públicas, em se colocar como candidato ao maior cargo da República. E tenta, internamente e no exterior, posar de vítima das elites que, nas suas palavras, dominam o Brasil desde o descobrimento. 

As pessoas de bem esperam que o Poder Judiciário cumpra com o seu dever, condenando os corruptos de todos os matizes, particularmente o chefe da organização criminosa que dominou o país por mais de 13 anos.

Por enquanto, como uma verdadeira República, acreditamos no funcionamento pleno de nossas instituições. Pena que, para os venezuelanos, reste apenas o uso da força.


Luiz Osório Marinho Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário