sexta-feira, 16 de março de 2018

Este sim é Intervencionista no uso da RAZÃO!



Meu trabalho é apoiar os Generais. Nada tenho contra o Bolsonaro e nada tenho a favor dele. Imagino que haja algum motivo maior para alguns generais acreditarem nas próximas eleições. Ninguém pode garantir que não esteja sendo trabalhada uma ação de correção do sistema eleitoral, até então, fraudulento. Nada garante que Bolsonaro (não sou bolsonarista) não esteja alinhado com a Força e que seja o seu fantoche para abrir caminho para generais tomarem o poder aos poucos, nos ministérios, através de sua indicação, se eleito em eleições limpas. O Exército tem um exímio serviço de Inteligência e sabe perfeitamente todas as fraudes que permeiam o sistema eleitoral. Eleições podem ser o plano B das FFAA, já que o POVO, não seguiu a recomendação de alguns generais para que mostrassem sua indignação nas ruas, aos milhões. Não há lei que possibilite juridicamente uma Intervenção Militar no Brasil, a não ser que o POVO, de onde demanda todo o Poder, manifeste a sua soberana vontade aos milhões, pelas capitais. Sem clamor não haverá legitimação de qualquer ato militar de salvaguarda, em nível nacional. Assim, só restaria um Caos Generalizado, que saísse do controle das Forças Auxiliares, para as FFAA agirem. 
Agora, com a execução estratégica da vereadora do Rio, talvez pela Esquerda para martirizá-la e iniciar a sua luta armada frente à Intervenção Militar estadual, mais um cenário prospectivo deve estar sendo colocado à mesa do Alto Comando, ao que tudo indica. Ninguém sabe o que há por detrás de Bolsonaro. Um sujeito esperto e inteligente, conhecedor do lixo parlamentar, que certamente sabe que alguma "força maior do que ele" mudará a atual condição criminal das urnas para algo limpo e confiável. Quando Obama, em dois mandatos, implementou o fabianismo nos USA, quase destruindo a economia e a política daquele país, o Pentágono manteve-se em silêncio. Contudo, arquitetaram um fabuloso plano de "colocar" na presidência um fantoche, multi-bilionário, capaz de se auto-financiar. autônomo e independente, para comandar os Estados Unidos no "seu lugar". Hoje, sabemos que, quem governa os USA é o Pentágono, de topete loiro despenteado. Quem nos garante que nossas FFAA não estariam planejando o mesmo? Tenho amigos bolsonaristas e tenho amigos intervencionistas e respeito a todos. Cada grupo é composto por pessoas que acreditam piamente estar agindo da melhor forma pelo Brasil. Sou militarista. Defendo a força do chumbo, para resolver o problema do Brasil. Quero generais comandando a ação. Só que não tenho bola de cristal para saber o que está por trás do Bolsonaro, das FFAA, das Eleições e do Pé do Neymar. O que sei é que se bolsonaristas e intervencionistas não se unirem, mais fortalecida estará a esquerda e caminharemos para tempos muito sinistros.
Concentre suas energias em algo que valha a pena. Sou apenas um velho soldado de Caxias combatente da Primeira Intervenção, de 1964. Avante!

Por Joe Patriota.

Um comentário: